Resenha - Dias Infinitos

Resenha feita pela Tay!
Título: Dias Infinitos
Título Original: Infinite Days
Série: Rainha Vampiro
1- Dias Infinitos
2- Stolen Nights (2012 US)
3- Eternal Dawn (2014 US)
Autor: Rebecca Maizel
Editora: Galera Record
Páginas: 384
Ano: 2015
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Submarino // Americanas

SinopseCansada de passar seus infinitos dias perseguindo e matando vítimas inocentes, Lenah Beaudonte, uma poderosa vampira da era vitoriana, decide abandonar seu coven de comparsas decadentes e transformar-se em humana. Mas o ritual capaz de transformá-la é extremamente perigoso. É necessário que um vampiro se sacrifique por ela, e não só isso; Lenah precisará passar 100 anos hibernando.Felizmente, Rhode, o grande amor da vida dela, resolve se sacrificar para realizar esse sonho. E a transformação é bem-sucedida. Após 592 anos, Lenah acorda em um corpo humano, na prestigiosa escola particular Wickham, em Massachusetts. Ela está completamente sozinha em outro século e precisa aprender a viver no mundo moderno, como uma adolescente comum. E justamente quando Lenah parece ter se adaptado à nova vida, feito novos amigos e até arrumado um namorado, o passado volta para assombrá-la. Seus ex-companheiros vampiros embarcam em uma caçada mortal para encontrá-la e capturá-la. Agora não só Lenah, mas todos que ama correm perigo. Será que ela conseguirá escapar e salvar os amigos sem revelar seu maior segredo?

A TramaEu não tinha tantas expectativas quanto à Dias Infinitos, embora a sinopse tenha me dado uma certa esperança de encontrar uma história bem legal sobre vampiros. Mas, quando comecei a leitura e passei pelos primeiros capítulos, vi que seria um livro enrolado e um pouco entediante. Nada no universo da autora conseguiu me conquistar e eu não me senti conectada com a história em nenhum momento. O livro enrola bastante para chegar à parte interessante, que acaba nem sendo tanto assim. Há várias cenas desnecessárias em que parece que o enredo se perde e fica muito focado na paixão instantânea de Lenah por Justin, que, aliás, desenvolvem um romance bem chato.

A Protagonista: Quando vampira, Lenah era poderosa e imponente, uma das mais cruéis. Não se importava em torturar suas vítimas e adorava o medo que elas sentiam. Uma coisa que gostei na construção da personagem, é que, já humana, ela ainda pensava como uma vampira, embora os desejos da espécie não a incomodassem mais, porque era de se esperar que tendo hibernado lá no início do século XX, ela não tivesse acordado já pensando como uma adolescente do século XXI. Mas Lenah não foi uma protagonista perfeita, não me causou nenhum tipo de empatia e eu não me importei nenhum pouco com ela. Ao início da leitura, pensei que seria uma garota forte, que soubesse controlar seus sentimentos e fosse mais cautelosa em sua primeira vez como humana em mais de 500 anos. Ao contrário, ela foi inundada de sentimentos, o que é compreensível, mas simplesmente perdeu sua maturidade de uma vampira de 500 anos e muitas vezes agia de forma estúpida

Os Personagens Secundários: Teve apenas um personagem que conseguiu me agradar: Tony. Ele era divertido e tinha um carisma natural que me faria querer ser amiga dele se o conhecesse pessoalmente. A relação de Lenah com Justin, se pararmos para pensar bem, não teve utilidade nenhuma para a história! Sem contar que ele não tinha nada além de beleza e charme. Sendo honesta, não me preocupei com nenhum dos personagens, não tive sentimento nenhum por eles e todos são completamente clichês.

Capa, Diagramação e Escrita: Enfim uma coisa que posso elogiar! Eu gosto da capa e do tom de azul que ela tem. Na contracapa, temos a parte de cima do rosto da garota e o título é em relevo. A diagramação da editora está boa para ler, mas sempre tenho as mesmas reclamações a fazer: impressão falhada em algumas partes do texto e alguns erros na revisão. Para mim a escrita da autora não teve nada de mais. É em primeira pessoa, mesmo assim não fez com que eu me conectasse em nada com a protagonista. 

ConcluindoO livro faz parte de uma trilogia ou série (tem três livros publicados, mas não sei se haverá outros) que não tenho vontade de continuar. Como já disse, não me importei o suficiente com os personagens para querer saber a sequência de suas histórias. O final de Dias Infinitos foi bem fechado, digamos assim, então não sinto que continuar mudaria meu ponto de vista. Não gosto de não recomendar algum livro, mesmo que não tenho gostado dele, porque outras pessoas podem adorá-lo. Mas se querem um conselho, existem livros de vampiros bem mais interessantes e divertidos.

Classificação: