Resenha - As Estranhas e Belas Mágoas de Ava Lavender

Resenha feita pela Tay!
Título: As Estranhas e Belas Mágonas de Ava Lavender
Título Original: The Strange and Beautiful Sorrows of Ava Lavender
Livro Único.
Autor: Leslye Walton
Editora: Novo Conceito
Páginas: 304
Ano: 2014
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Submarino // Saraiva // Casas Bahia

SinopseGerações da família Roux aprenderam essa lição da maneira mais difícil. Os amores tolos parecem, de fato, ser transmitidos por herança aos membros da família, o que determina um destino ameaçador para os descendentes mais jovens: os gêmeos Ava e Henry Lavender. Henry passou boa parte de sua mocidade sem falar, enquanto Ava que em todos os outros aspectos parece ser uma jovem normal nasceu com asas de pássaro.
Tentando compreender sua constituição tão peculiar e, ao mesmo tempo, desejando ardentemente se adaptar aos seus pares, a jovem Ava, aos 16 anos, decide revolver o passado de sua família e se aventura em um mundo muito maior, despreparada para o que ela iria descobrir e ingênua diante dos motivos distorcidos das demais pessoas. Pessoas como Nathaniel Sorrows, que confunde Ava com um anjo e cuja obsessão por ela cresce mais e mais até a noite da celebração do solstício de verão. Nessa noite, os céus se abrem, a chuva e as penas enchem o ar, enquanto a jornada de Ava e a saga de sua família caminham para um desenlace sombrio e emocionante.

A Trama: Somos apresentados à história de Ava Lavender de uma forma diferente (bem parecida com a encontrada no livro Middlesex, que já resenhei aqui pra vocês), onde ela volta anos no passado para contar a trajetória dos seus bisavós da França para os Estados Unidos, momentos antes da Primeira Guerra começar. Depois, somos apresentados à Emilienne, futura avó de Ava e, posteriormente, à Viviane, sua mãe. É uma história de realidade fantástica, onde o elemento mágico é bem sutil e de alguma forma se mescla com o cotidiano. Acompanhamos o crescimento, as paixões e as mágoas dessas mulheres e aos poucos vamos tomando certa empatia pelas suas vidas, mesmo que não consigamos entender ou mesmo concordar com alguns rumos e decisões. A história também carrega uma atmosfera mórbida que eu não esperava encontrar, devido a algumas mortes que acontecem no início e que me deixaram chocada. E realmente não esperava o que acontece nos últimos capítulos do livro e isso acabou com o meu coração.

A Protagonista: Ava é, acima de tudo, uma garota normal, com a particularidade de ter nascido com um par de asas. Isso gerou um grande alvoroço ao redor da menina, que cresceu conhecendo apenas os limites da sua casa, assim como seu irmão gêmeo, Henry. Apesar de ser a protagonista e centro do "grande acontecimento" da trama, Ava não parecia um elemento principal, mas sim mais um no amontoado da história. Isso não é ruim, porque eu gostei que, apesar das asas, outros personagens eram tão importantes quanto ela, até mais se pararmos pra pensar. 

Personagens Secundários: Ainda não sei bem o que achar dos personagens, porque eles são bem diferentes de outros que já conheci. Estou me referindo especialmente à Emilienne e Viviane. Mãe e filha que são bem diferentes uma da outra. Enquanto Emilienne é um forte, que se fechou para questões sentimentais por ter se decepcionado tanto com as pessoas na juventude e ainda adquiriu a antipatia das pessoas de onde morava apenas por ser mais sensitiva e cheia de superstições, Viviane era uma pessoa magoada pelo grande amor de sua vida que a abandonou sem mais nem menos, mas mesmo assim ela continuou esperando sua volta. Acredito que as duas foram as personagens que mais conseguiram se destacar e crescer na história. Mas também gostei de Gabe, o faz tudo, que morre de amores por Viviane. 

Capa, Diagramação e Escrita: A capa é linda! Sou apaixonada por ela desde que vi a versão americana e fiquei muito feliz que a Novo Conceito manteve. Adoro o tom de azul e a representatividade da pena. A diagramação está ótima, gosto principalmente de uma pequena pena que há nos inícios de capítulo, que em cada um está em uma posição diferente, como se estivesse caindo (fiquei encantada com esse detalhe). A história é contada com muita sensibilidade, com uma narrativa até poética por assim dizer. A leitura flui bem, mesmo que os primeiros capítulos tenham sido um pouco travados para mim. Não há como negar que há muito sentimento e questionamentos nesse livro. Mesmo que o foco principal tenha sido abrir uma questão quanto ao amor (em todas as suas formas), também há vários traços de crítica a aceitar o próximo, mesmo com suas diferenças.

Concluindo: Não vou dizer que amei esse livro, porque tem suas ressalvas e ele não conseguiu me ganhar como outras pessoas. Mas eu gostei muito, gostei das mensagens e de como a autora não teve medo de impor as verdades do mundo aos seus personagens tão peculiares. Aliás, peculiar é uma palavra que define muito bem esse livro. Peculiar, belo e triste, o que resultou numa obra única capaz de encantar muitos leitores. 

Quotes:
Assim que eu nasci, as enfermeiras tiraram-me da sala de parto para explorar algo que mais tarde foi descrito em um relatório médico anônimo apenas como uma leve anormalidade física. Não demorou muito para os religiosos reunirem-se sob a luz das janelas do hospital, carregando velas e entoando hinos de louvor e medo. Tudo porque, quando nasci, abri os olhos e, em seguida, desdobrei o par de asas matizadas que me envolviam como um casulo de plumas. 


(...) - E, às vezes, quando estou me sentindo bem para baixo, quando sinto falta de minha avó, preciso me lembrar de que o amor vem em todos os tipos de embrulhos (...)

Classificação: