Resenha - A Festa da Insignificância

Resenha feita pela Maay!  
Título: A Festa da Insignificância
Título Original: La Fête de I'nsignifiance
Autor: Milan Kundera
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 136
Ano: 2014
Saiba mais: Skoob
Comprar: Submarino // Amazon // Extra

Uma história muito louca com mensagens realmente relevantes.

SinopseLembrando A grande beleza, filme de Paolo Sorrentino acolhido com entusiasmo pelo público brasileiro no mesmo ano, o novo romance de Milan Kundera coloca em cena quatro amigos parisienses que vivem numa deriva inócua, característica de uma existência contemporânea esvaziada de sentido. Eles passeiam pelos jardins de Luxemburgo, se encontram numa festa sinistra, constatam que as novas gerações já se esqueceram de quem era Stálin, perguntam-se o que está por trás de uma sociedade que, ao invés dos seios ou das pernas, coloca o umbigo no centro do erotismo.
Na forma de uma fuga com variações sobre um mesmo tema, Kundera transita com naturalidade entre a Paris de hoje em dia e a União Soviética de ontem, propondo um paralelo entre essas duas épocas. Assim o romance tematiza o pior da civilização e lança luz sobre os problemas mais sérios com muito bom humor e ironia, abraçando a insignificância da existência humana.

A Trama: Honestamente, eu não enxerguei uma linha narrativa nessa livro. Não vi um início, meio e fim na história - mas não vejam isso de forma negativa. Digamos que é... Diferente.
O autor retrata o cotidiano de quatro amigos de forma leve e até divertida, agora, se você olhar com um pouco mais de atenção, perceberá, nas entrelinhas, uma forte crítica à sociedade atual. 

Os Personagens: O livro traz poucos personagens e não sei, sinto como se não tivesse os entendido completamente. Para mim, o foco do livro não são os personagens e nem a trama, é a mensagem que ele traz e as reflexões que gera.

Capa, Diagramação e Escrita: A capa é simples, mas bonita. E gente, o livro é capa dura - ainda que ela fosse horrível, já teria um lugar no meu coração. 
A escrita do autor é fluída e, de cara, parece bastante simples. Com o passar das páginas, porém, o leitor percebe que de simples ela não tem nada - é preciso prestar muita atenção para absorver um pouco do que o autor quis dizer.

Concluindo: Esse é um livro que se lê rápido e a leitura, em si, é bastante tranquila. Agora, ele é muito complexo. Mesmo tendo apreciado, sinto que não compreendi todas as mensagens escondidas no texto - e teria que reler, e reler, e reler, e ainda assim acredito que continuaria encontrando novas ideias a cada releitura.
Eu gostei, me fez refletir bastante e acredito que daqui há muito tempo ainda lembrarei com carinho dessa obra. Porém, tenho plena consciência de que muitos irão odiar - o que é uma pena, porque provavelmente essa pessoa terá se prendido à história, sem se permitir enxergar através dela.

Quotes:
Nós compreendemos há muito tempo que não era mais possível mudar este mundo, nem remodelá-lo, nem impedir sua infeliz trajetória para a frente. Havia uma única resistência possível: não levá-lo a sério.

Classificação: