Resenha - Naomi & Ely e a Lista do Não-Beijo

Resenha feita pela Maay!  
Título: Naomi & Ely e a Lista do Não-Beijo
Título Original: Naomi & Ely's no Kiss List
Autores: David Levithan e Rachel Cohn
Editora: Galera
Páginas: 256
Ano: 2015
Saiba mais: Skoob
Comprar: Submarino // Saraiva // Extra

Esse é um livro para descontrair, então não esperem nada muito profundo.

SinopseUma análise bem-humorada sobre relacionamentos. Naomi e Ely são amigos inseparáveis desde pequenos. Naomi é irresistível, todos que cruzam seu caminho acabam se apaixonando. Mas ela sempre amou apenas o único cara que não pode ter: seu melhor amigo gay. E Ely é um conquistador barato que gosta de brincar com os sentimentos dos meninos até finalmente conseguir se apaixonar. 
Para preservar a amizade, criam a lista do não beijo - a relação de caras que nenhum dos dois pode beijar em hipótese alguma. A lista do não beijo protege a amizade e assegura que nada vá abalar as estruturas da fundação Naomi & Ely. Até que... Ely beija o namorado de Naomi. E quando há amor, amizade e traição envolvidos, a reconciliação pode ser dolorosa e, claro, muito dramática.

A Trama: Naomi & Ely são os típicos melhores amigos que parecem ter nascido grudados. Cresceram juntos, estudaram juntos, fazem faculdade juntos... E as coisas estão funcionando relativamente bem - se você ignorar o pequeno detalhe de que 1. Ely é gay e 2. Naomi é apaixonada por ele. Mas então...
Ely simplesmente beija o namorado de Naomi. E ok, Naomi tenta perdoar isso. Só que Ely não conhece limites para a babaquice, e esconde o namorado da garota no armário (literalmente) quando ela aparece de surpresa em seu quarto. Aí, vamos combinar... Não tem melhor amiga que resista né?! Obviamente os dois brigam, e a história começa a se desenrolar, sob diversos pontos de vista. É um livro para passar o tempo, e se você tiver isso em mente, perceberá que ele cumpre perfeitamente o seu papel.

Os Protagonistas: Naomi me conquistou. Ela é egoísta, mal humorada, cabeça dura... Reconheço todos os seus defeitos e clichês. Mas também reconheço que se fosse eu, no seu lugar, teria sido bem mais terrível com Ely. Além disso, a personagem pode ser tudo isso aí, mas também tem seu lado bom.
Ely me irritou. Minha vontade era dar com a cabeça dele na parede até o indivíduo se ligar do #$%*& que ele foi com a melhor amiga! Porque além de beijar o namorado dela, além de não esperar os dois terminarem para assumir um romance com ele, o ser acha que está certo porque está seguindo seu coração!!!  Não sei se sou apenas eu que penso assim, mas subentende-se que o namorado/namorada de seu amigo/amiga seja território proibido, não é? Enfim, se fosse para eleger a pior parte do livro, Ely ganharia o troféu sem a menor sombra de dúvida.

Os Personagens Secundários: Gostei muito de Robin-mulher, suspirei por Gabriel, me solidarizei com Bruce, o primeiro, quis socar Bruce, o segundo, me incomodei com a falta de parágrafos de Robin-homem... Mas nenhum personagem secundário chegou aos pés da mãe de Naomi. O que é muito surpreendente, se você levar em conta que ela mal aparece no livro. Na verdade, é bem estranho ela ter sido minha personagem favorita - nem sei dizer o porque, mas foi.

Capa, Diagramação e Escrita: Amei essa capa, de verdade. As cores são lindas, a lombada é maravilhosa, e combina bastante com a trama. Mas preciso dizer que ainda não me acostumei com o fato de não ter logo da editora na capa. Nas fotos pela internet aparece a logo, mas meu exemplar não tem - não sei se todos são assim ou foi um erro mesmo.
A escrita dos autores é leve, fluída e muito gostosa. O livro é narrado sob o ponto de vista de quase todos os personagens - e no começo até achei isso estranho - mas funcionou bem, principalmente porque no início de cada capítulo tem o nome do narrador da vez. 

ConcluindoQuem não gostou do livro que me perdoe, mas eu gostei. Não amei nem nada do tipo, mas sabe aquele livro bem leve, perfeito para curar uma ressaca literária? É esse aqui.
Com a onda dos sick-lits e romances que seguem uma fórmula trágica, padrão e comum a lá Nicholas Sparks acho que as pessoas começaram a esperar drama demais dos livros, e esqueceram de que às vezes eles podem servir apenas para nos distrair da realidade por algumas horas.
Enfim... Leiam sem expectativas de que ele mude suas vidas, e tenho certeza de que irão curtir bastante. 

Quotes:
A amizade é tão amor quanto qualquer romance. E, como qualquer amor, é difícil, traiçoeira e confusa.

Classificação: