Resenha - A Rainha Vermelha

Resenha feita pela Luh!  
Título: A Rainha Vermelha
Título Original: Red Queen
Série: A Rainha Vermelha
1- A Rainha Vermelha (2015)
2- Glass Sword (2016 US)
Autor: Victoria Aveyard
Editora: Seguinte
Páginas: 424
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Americanas

Simplesmente incrível!

Sinopse: O mundo de Mare Barrow é dividido pelo sangue: vermelho ou prateado. Mare e sua família são vermelhos: plebeus, humildes, destinados a servir uma elite prateada cujos poderes sobrenaturais os tornam quase deuses.
Mare rouba o que pode para ajudar sua família a sobreviver e não tem esperanças de escapar do vilarejo miserável onde mora. Entretanto, numa reviravolta do destino, ela consegue um emprego no palácio real, onde, em frente ao rei e a toda a nobreza, descobre que tem um poder misterioso… Mas como isso seria possível, se seu sangue é vermelho?
Em meio às intrigas dos nobres prateados, as ações da garota vão desencadear uma dança violenta e fatal, que colocará príncipe contra príncipe - e Mare contra seu próprio coração.

A Trama: Li todas as 424 páginas de A Rainha Vermelha em menos de 24 horas, a maior prova da genialidade da autora. O início é um pouco lento, já que a introdução ao mundo dos vermelhos e prateados é necessária, porém assim que a protagonista, Mare, vai para o palácio real, o ritmo começa a acelerar e o livro vai ficando melhor e melhor até atingir o ápice com um final explosivo e frenético que me deixou de boca aberta (literalmente!).

Vou confessar que enquanto lia, senti uma familiaridade com vários outros livros famosos de fantasia e distopia, o que pode incomodar leitores que exigem originalidade e foi o que mais incomodou àqueles que não gostaram tanto do livro, porém eu adorei. Quem não gosta de ler sobre poderes especiais e palácios? (Eu amo!)

A Protagonista: Mare só estava tentando manter sua família a salvo das garras do governo, porém logo percebe que não será fácil passar despercebida, especialmente quando um príncipe começa a dar certa atenção especial para ela. A protagonista tem seus defeitos, especialmente considerando o triângulo amoroso que se desenvolve ao longo da trama, porém suas qualidades compensaram. Amei a maneira como Mare trabalhava duro e realmente tentava tomar boas decisões, apesar de isso nem sempre dar certo.

Os Personagens Secundários: Escolher um personagem predileto foi fácil: Maven. O príncipe mais jovem não chama a atenção no início, sempre vivendo na sombra do irmão mais velho e futuro rei, porém Maven foi me conquistando aos pouquinhos e se tornou ainda melhor nas últimas páginas!
Claro que os cavaleiros de armadura brilhante são ótimos, porém quem realmente brilha nessa trilogia são os vilões. Elara, a rainha, tinha uma beleza fria que me dava arrepios, e Evangeline, provável futura rainha, parecia uma miniatura de Elara, porém igualmente calculista.

Capa, Diagramação e Escrita: Preciso mesmo dizer que essa capa é uma das minhas favoritas? O tom prateado chama a atenção de longe, o título é ótimo (porém seria melhor em vermelho) e o sangue caindo da coroa... sem palavras!
A escrita da Vitoria ainda pode melhorar, porém já conseguiu me prender pela maior parte da trama. A diagramação do livro estava ótima, repleta de detalhes.

Concluindo: Eu definitivamente amei. O início poderia ser mais rápido, porém o final é perfeito e compensa os poucos defeitos do livro. A trama é daquelas que consegue fazer o coração acelerar e estou tão ansiosa pela continuação que trocaria alguns dos meus livros favoritos para ter as mãos em Glass Sword mais rápido!

Classificação: