Resenha - Só Por Hoje e Para Sempre

Resenha feita pela Maay!  
Título: Só Por Hoje e Para Sempre: Diário do Recomeço
Livro Único.
Autor: Renato Russo 
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 168
Ano: 2015
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Submarino // Extra

Um livro para quem realmente é fã.


Sinopse: Entre abril e maio de 1993, Renato Russo passou vinte e nove dias internado numa clínica de reabilitação para dependentes químicos no Rio de Janeiro. Durante esse período, o músico seguiu com total dedicação os Doze Passos, programa criado pelos fundadores dos Alcoólicos Anônimos, que incluía um diário e outros exercícios de escrita. É este material inédito que vem à tona depois de mais de vinte anos em Só por hoje e para sempre, graças ao desejo de Renato de ter sua obra publicada postumamente. Entremeando as memórias do líder da Legião Urbana com passagens de autoanálise e um olhar esperançoso para o futuro, este relato oferece a seus fãs, além de valioso documento histórico, um contato íntimo com o artista e um exemplo decisivo de superação.

A Trama: Eu não sou a maior fã de música do mundo, mas se você perguntar quem são meus músicos favoritos, Legião Urbana está em terceiro lugar (Cazuza é o primeiro e John "Hot" Mayer, o segundo). Sendo assim, é óbvio que quando vi esse livro entre os lançamentos da editora, ele imediatamente entrou nos meus super desejados.
Acontece que, apesar de ser apaixonada pelas músicas do Legião, conhecia muito pouco da vida dos integrantes da banda. Sabia que Renato tinha pertencido àquela geração "rebelde" da época, tinha escrito algumas das músicas mais lindas que já ouvi, morrido de AIDS e tal, mas era basicamente apenas isso.
Em Só Por Hoje e Para Sempre pude conhecer um pouco do Renato homem - não tanto quanto gostaria, confesso. O livro, na verdade, não é um diário, ele reúne as atividades que o autor tinha de realizar na clínica. Mas pelas experiências descritas por ele nessas atividades, pude conhecer uma pessoa real, com problemas psicológicos sérios, que os reconheceu e teve coragem para pedir ajuda. 
Os textos que encontramos no livro não seguem um roteiro e às vezes até mesmo faltam algumas informações. E por isso não sei se quem não é fã do autor vai se identificar com a leitura. Agora, se você for fã, ainda que esse não seja o melhor livro da sua vida, ele com certeza será bem aproveitado.

Capa, Diagramação e Escrita: Gente, pausa para falar sobre o trabalho da Companhia das Letras com esse livro. A diagramação é perfeita, tem trechos que reproduzem fielmente as fichas em que Renato escrevia, páginas com desenhos, a letra é azul... E a capa... Essa capa é simplesmente perfeita. Ainda que eu não tivesse me interessado pelo conteúdo da obra, ele entraria nos desejados graças a ela.
Sobre a escrita é difícil falar, alguns textos são as respostas de questionários que o autor tinha que responder durante o tratamento, outros são apenas relatos de como se passou seu dia. Não é mais a fluída do mundo, mas também não dá para criticar muito. Até porque, duvido muito que alguém que venha a ler esse livro esteja em busca de uma escrita espetacular, o que os leitores buscarão é conhecer o homem por trás do artista espetacular que foi Renato Russo - e isso eles encontrarão.

Concluindo: Admito que, nas primeiras páginas, era difícil acreditar que a pessoa que escreveu algumas de minhas músicas favoritas era a mesma que escrevia aqueles relatos. Porém, com o decorrer do tratamento percebe-se uma melhora nítida em Renato, e aí então eu reconheci o autor daquelas letras complexas e apaixonantes. 
Sem dúvida essa foi uma leitura muito diferente e bem mais pesada do que  eu esperava. A leitura não foi fácil, alguns trechos foram arrastados e em outros momentos faltava um pouco de informação para que fosse possível compreender totalmente o que estava escrito. Por esse motivo, não posso dizer que amei o livro, mas com certeza ele me marcou.

PS: Renato Russo deixou vários textos para serem publicados após sua morte, e esse é o primeiro de vários livros que a Companhia das Letras irá lançar nos próximos anos.

Quotes:
Um dia, intrigado, perguntei: "Pai, por que você escreve tanto?", "Porque nos próximos cinquenta anos, Giuliano, as pessoas poderão saber o que eu sinto e penso hoje", respondeu ele.

Ainda vejo o mundo e a vida com apreensão e desconfiança. Mas agora sei que isto também passará.
 

Classificação: