Quinta das Capas #84

Capas Premiadas 2



Olá, olá! Continuando com algumas das capas vencedoras do 50 Books/50 covers Competition!


The Flame Alphabet tem um efeito 3D muito legal, causado pela sobreposição das notas - em que estão escritas o título e o autor - com esses picotes de papel, que representam chamas a julgar pelo título. Não parece aquelas fogueiras artificiais de festa junina? Eu adorei! O título de At Last me lembrou imediatamente da música homônima de Etta james, e no momento estou cantarolando ela na cabeça xD, ao primeiro olhar achei que ao fundo da capa fossem borrões de tinta em um paleta, depois reparei que é uma aquarela de rosas. Normalmente eu não gosto desse tipo de "ilusão", pois fica confuso ou parece mal feito, mas nesse caso eu gostei, pois a transferência de um para o outro é suave, parece um quadro com ilusão de ótica. Amei a capa de A Guide to the Perplexed, ela é refrescante! Não dá a sensação de correr por um corredor em uma vila grega ? (eu sei, a pessoa tem a imaginação fértil demais)


Escolhi a capa de Fahrenheit 451 porque tinha gostado de como as cores parecem um daqueles cartazes antigos de propaganda, mas depois reparei que a caixa de fósforos também é um livro! A capa do link do Goodreads não é a mesma que essa, mas também faz uma boa referência: as duas remetem ao fogo, bem de acordo com o título, Fahrenheit - que é uma escala de temperatura - e com o protagonista, que é um bombeiro. Adoro quando os conjuntos da obra combinam entre si, sei que é óbvio que a capa, o título e a história de um livro se completem, mas nós sabemos que muitas vezes isso não acontece muito bem, certo?  A maior competência de The Dinner é nos deixar curiosos, pelo menos ela me instiga a isso, imaginar uma história onde pessoas vão a um jantar e nele acontece algo interessante, apesar de esse realmente ser o plot do livro, as pessoas têm definições diferentes do que é interessante, mas a capa funciona justamente por isso, ela estimula a criatividade de uma forma que só queremos saber do que se trata, sem se importar muito se é um mistério com muita ação ou se trata de um drama. A capa de The Narrow Circle me dá agonia, assim como seu conteúdo - não me levem a mal, eu adoro poemas -, mas com certeza não querendo me fazer de culta, tem muitos que não entendo, o que me faz ter um pé atrás com eles. Os tons da capa são calmantes e remetem a natureza contemplativa, abstrata e principalmente ambígua da maioria dos poemas.


A construção de uma imagem maior com detalhes do mesmo tema já não é nenhuma novidade, mesmo assim The Return ainda passa uma atmosfera agressiva e criativa. O que mais gostei foram os pentes de metralhadora (ou fuzil, não tenho certeza, sei que é bizarro saber disso, mas o rifle é minha arma preferida nos jogos de tiro xD), representando os ossos zigomáticos, deixou a caveira até um pouco feminina. Nor 39.2 na verdade significa New Orleans Review, que pelo o que eu entendi é uma coletânea anual de livros de autores de New Orleans, essa versão é a de 2014. Eu gosto da capa, apesar de não a entender completamente. O fundo é óbvio para quem já viu: os pântanos de Louisiana em Nova Orleans são inconfundíveis e aquele barco remete à época pós-guerra civil americana, lá pra década de 80/90. Na verdade, a capa toda é um pouco vintage, o rebuscado
em volta das letras é legal, mas sem sentido; as mãos - feminina e masculina - segurando o título dá uma sensação pessoal à capa.