Resenha - Bubble Gum

Resenha feita pela Tay!
Título: Bubble Gum
Título Original: Bubble Gum
Livro Único.
Autor: Lolita Pille
Editora: Intrínseca
Páginas: 272
Ano: 2004
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Submarino // Saraiva // Casas Bahia

SinopseDois personagens se encontram e se confrontam em 'Bubble Gum'. Manon, uma jovem provinciana, bonita e entediada, que sai do sul da França para tentar a vida como modelo em Paris, começando como garçonete; e Derek Delano - herdeiro de uma multinacional do petróleo, aristocrata 'blasé' cujo maior prazer é comprar e manipular as pessoas em jogos cruéis. Atraído por Manon, Derek é seduzido pela idéia de corrompê-la, de estragar seu destino. Afinal de contas, numa vida esvaziada de sentido, a destruição de um ser inocente é um projeto de vida que faz tanto sentido como qualquer outro. Graças a ele, Manon realiza o sonho de brilhar como modelo e atriz, mas ao preço da dependência de antidepressivos, cocaína e outros vícios. Mas logo se dá conta da armadilha em que caiu e planeja uma vingança.

A TramaManon odeia a vida que leva em uma cidade pequena no sul da França. Então ela decide fugir de casa, indo para Paris tentar a vida de modelo, mas acaba servindo mesas em um restaurante. Então, em uma festa, ela conhece Derek, um homem milionário e que queria apenas uma coisa: uma alma inocente para destruir. Manon, então, cai no jogo de Derek, que lhe mostra o mundo que ela sempre desejou. Mas a fama que ela consegue tem um preço.
Na verdade, esse livro é bem entediante em sua maior parte. Parecia que nada fazia sentido e eu só queria jogar o livro pela janela. Não conseguia nem ler muitos capítulos seguidos. Eu persisti na leitura apenas porque li uma resenha no Goodreads dizendo que o livro melhorava muito a partir do capítulo 13. Então li até esse capítulo, já pensando em abandonar a leitura caso ele não me surpreendesse. E, meu Deus! Não é que ele surpreende? A partir desse ponto, a história tem dois plot twists muito bons e que, com certeza, me fizeram gostar mais da leitura, mas não foram suficientes para redimir todo aquele tempo chato do restante do livro. Se eu chegar a relê-lo algum dia, talvez eu consiga apreciar mais algumas coisas já sabendo do segredo do livro.

Os ProtagonistasManon deixa bem claro, logo no início, o quanto ela odeia a cidade em que mora (o primeiro capítulo é todo dedicado a ela reclamar do lugar). Ela tem uns pensamentos bem sombrios e uma personalidade impulsiva. Às vezes eu sentia pena dela na história e outras eu queria dar uns tapas na sua cara. 
Derek é um dos personagens mais fdps que eu já li. E o pior de tudo é que às vezes ele conseguia me fazer gostar dele, mas depois me lembrava do seu plano ao ter Manon por perto. 

Personagens SecundáriosConhecemos alguns ao decorrer da trama, como Mirko, que era, se não me engano, um tipo de agente do Derek. Várias personalidades famosas também são citadas no livro, como personagens da trama ou não. Achei bem corajoso da autora ter colocado essas pessoas no livro sem temer por um processo. 

Capa, Diagramação e Escrita: Eu não acho a capa de todo má, gosto de como está o título. Agora, uma coisa que me irrita desde a primeira vez que a vi, é esse código de barras. Quem coloca um código de barras na capa? Quanto a diagramação, eu não gosto nenhum pouco da fonte do texto. Às vezes era ela que mais me confundia na leitura. Tenho um problema com fontes, dependendo não consigo nem ler, mesmo que não seja uma fonte muito enfeitada. A escrita da autora é bem diferente do que já li. É narrado em primeira pessoa, em capítulos alternando entre Manon e Derek. Os dois têm uma mente bem bagunçada e meio psicodélica, então isso se reflete na escrita. Esse provavelmente era o efeito que a autora queria dar ao livro, nos deixar claro a mente bagunçada dos protagonistas, mas algumas vezes eu realmente desejei que fosse em terceira pessoa. Mas, claro, isso não deixaria o final tão interessante. Apenas acho que a autora se arriscou um pouco de mais nesse tipo de narrativa, porque eu (e qualquer outro leitor) poderia ter abandonado esse livro em qualquer momento e não teria conhecimento dos plot twists brilhantes. O final mesmo do livro achei um pouco fantasioso.

ConcluindoBubble Gum é um livro confuso, mas, com certeza, original. Também nos mostra um lado nada glamouroso do mundo da fama, que é de deixar muita gente de boca aberta. Se tiver se interessado pela trama do livro, tente passar pelas partes chatas, talvez valha a pena para você. 

Quotes
(...) ainda que não soubesse realmente para onde ia, eu estava indo, porque era isso que eu desejava com todas as minhas forças, com toda a minha alma de pequena provinciana impressionável e frustrada, hei de conquistar um dia esta vida aí.


Passamos quatro dias fugindo um do outro, e eu me sentia um babaca, tão babaca quanto Pigmalião, um Pigmalião usando camiseta Dolce, um pouco trash e degringolado, que, em vez de ficar esculpindo estátuas, as destruía com golpes de martelo para se dar conta depois, ao sair de um grande sono de drogas, que havia se apaixonado pelos escombros. 


Classificação: