Resenha - A Lista

Resenha feita pela Maay!  
Título: A Lista 
Título Original: One Hundred Names
Autora: Cecelia Ahern
Editora: Novo Conceito
Páginas: 384
Ano: 2015
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Submarino // Extra

Um bom livro - mas não um dos melhores.


Sinopse: Kitty Logan tem 32 anos e aos poucos está perdendo tudo o que conquistou: sua carreira está arruinada; seu namorado a deixou sem um motivo aparente; seu melhor amigo está decepcionado com ela; e o principal: sua confidente e mentora está gravemente doente.
Antes de morrer, Constance deixa um mistério nas mãos de Kitty que pode ser a chave para sua mudança de vida: uma relação de nomes de pessoas desconhecidas. É com base neles que Kitty deverá escrever a melhor matéria de sua carreira.
Quando começa a ouvir o que aquelas pessoas têm a dizer, Kitty aos poucos descobre as conexões entre suas histórias de vida e compreende por que foi escolhida para dar voz a elas.

A Trama: A história principal - a que trata da lista deixada por Constance e da busca de Kitty por essas pessoas - é maravilhosa e comovente. O problema é que no meio dessa bela história estão jogados vários acontecimentos dispensáveis e insignificantes, que servem apenas para desviar o foco do leitor.
Infelizmente, acho que Cecelia acabou se perdendo um pouco em meio às tantas informações que inseriu na obra e isso a prejudicou um pouco. Porém, se você tiver um pouco de paciência e força de vontade, a leitura irá compensar. 


A Protagonista: Kitty foi uma triste surpresa. Eu queria amar a protagonista, realmente queria. Mas não consegui. Apesar de ter simpatizado com ela e torcido pela sua felicidade, não passou disso. Para mim, ela foi apenas a pessoa que deu voz aos verdadeiros protagonistas dessa história.

Os Personagens Secundários: Existem alguns personagens que olha... Realmente não sei o que estão fazendo ali - Sally e Pete são dois deles. A autora deu tamanho destaque a esses dois que esperava algo, sei lá, substancial. Mas não; eles aparecem, desaparecem e pronto, acabou, era só isso mesmo. Me dá raiva, porque não é o primeiro livro da autora que poderia ser perfeito, se ela não tivesse pecado pelo excesso. 
Enfim... Superadas as pedras no meio do caminho, existem os personagens da lista. Birdie e Archie são fascinantes, ela com toda sua doçura e ele representando a mágica, sempre presente nos livros da autora. Mary-Rose e Eva, personagens de uma sensibilidade imensa - eu gostaria de ter pessoas como elas em minha vida. Ambrose me arrancou lágrimas e Jedrek me fez gargalhar. E esses personagens, esses sim, fizeram eu me lembrar o por quê de Cecelia Ahern ser uma de minhas autoras favoritas. 

Capa, Diagramação e Escrita: Eu me apaixonei por essa capa. E confesso, é a primeira, dos livros relançados de Cecelia pela Novo Conceito, da qual verdadeiramente gostei. As cores, os desenhos, tudo combina perfeitamente - tanto visualmente quanto com a trama. 
Infelizmente não posso dizer o mesmo da revisão. Um erro ou outro de revisão ok, eu não sou aquelas chatas que implicam com tudo. Mas absolutamente todas as páginas tinham algum errinho - seja uma palavra com as letras trocadas, uma vírgula fora do lugar, uma palavra duplicada, coisas assim. Tiveram momentos em que isso atrapalhou até mesmo minha compreensão dos fatos que estavam ocorrendo no momento.

Concluindo: Como existem muitas informações desnecessárias, também existem muitas pontas soltas no final. Mas se você conseguir deixar isso de lado, esse é um livro bom. Não posso mentir pra vocês e dizer que é um dos melhores da autora, porque não é - mas também não é ruim. A mensagem que ele traz é tão... Não sei explicar (haha). 
A mensagem do livro me cativou verdadeiramente. Posso ter achado que esse seria um livro qualquer por 300 páginas, mas as 84 páginas finais fizerem dele algo especial. 

Quotes:
[...] às vezes,  tudo de que precisamos é de uma única coisa boa.

Pete, existem muitas pessoas incríveis por aí, com histórias interessantíssimas para contar, e nem elas mesmas se dão conta disso.

Classificação: