Resenha - Não Olhe Para Trás

Resenha feita pela Tay!
Título: Não Olhe Para Trás
Título Original: Don't Look Back
Livro Único.
Autor: S. B. Hayes
Editora: Bertrand Brasil
Páginas: 322
Ano: 2015
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Saraiva

SinopseDesde a infância, Sinead é compelida a cumprir uma promessa a seu manipulador irmão Patrick: a de que sempre seguirá os passos dele. Quando ele desaparece misteriosamente, ela então se vê obrigada a procurá-lo. As dicas que Patrick parece deixar sobre o seu paradeiro levam-na à Casa Benedict, um lugar onde o tempo não tem sentido — onde um segundo parece durar uma eternidade.Lá, ela conhece James, que está em busca de respostas sobre o seu passado, e por quem se apaixona. Juntos, os dois descobrirão verdades terríveis que irão testá-los até o limite. Apesar de seu novo amor, Sinead permanece aflita por Patrick e acredita que ele, de alguma forma, seu irmão está por perto e a observa. E ela não conseguirá descansar até encontrá-lo.

A Trama: Sinead sempre seguia os passos do irmão nas brincadeiras de infância. Agora, Patrick tem uma vida problemática e está desaparecido, mas parece que deixou pistas para a irmã segui-lo mais uma vez. Essas pistas levam Sinead à Casa Benedict, um lugar estranho onde ela poderia encontrar as respostas do que queria. Desde o início, a história do livro é um pouco confusa, mas eu consegui tecer algumas teorias sobre o mistério ao longo da leitura. O único elemento que conseguiu me manter curiosa até o final foi esse mistério, porque a forma que a trama estava se desenrolando me deixou entediada e até mesmo irritada, principalmente com o romance. Em um momento, a autora tentou construir um triângulo amoroso sem química alguma e muito forçado. Logo depois o instalove tomou conta, daqueles em que os personagens se conhecem há uma semana e já estão se declarando eternamente apaixonados. Além disso ter sido extremamente irritante, foi como se a trama principal do livro tivesse se modificado completamente do nada.  O final foi bem frustrante, porque não é explicado nada e muitas coisas ficam a cargo da imaginação do leitor. 

A Protagonista: Perdi as contas de quantas vezes Sinead me deu nos nervos. No início ela tinha uma personalidade até forte, apesar da baixa auto-estima pela convivência doentia com a mãe e o irmão. Mas assim que se apaixona, ela fica exatamente como aquelas protagonistas bobas e idiotas, que não conseguem pensar em mais nada além da pessoa e perdem completamente o foco  do que precisa ser feito para se atirar em um romance que começa do nada. 

Os Personagens SecundáriosHarry é o melhor amigo de Sinead e sempre foi apaixonado por ela. Mesmo que ela tenha dado falsas esperanças pra ele em um momento, eu não consegui sentir pena daquela cara de coitadinho. Temos um vislumbre de como ele seria como namorado e eu não gostei nenhum pouco do seu jeito controlador. Também não gostei de James, principalmente pelo romance que, como já disse, me irritou profundamente. Talvez eu tivesse gostado mais dele se não fosse o instalove e pudéssemos conhecê-lo um pouco mais. Acho que a única personagem que achei interessante foi a Irmã Catherine, mas ela foi tão pouco explorada que no final eu continuei com minha dúvidas quanto a ela. Além de todos os personagens deste livro, aquela que mais me irritou e me deixou indignada foi a mãe de Sinead, mas pelo menos foi intencional ela despertar essas emoções no leitor. Eu odiei essa mulher completamente, acho que é a primeira mãe (personagem) e uma das poucas personagens no geral que me fizeram sentir esse ódio profundo. 

Capa, Diagramação e Escrita: Eu não gosto dessa capa, acho muito estranho esse rosto e não gosto muito da edição. A diagramação está boa, mas tem alguns erros de revisão que me incomodaram um pouco, tem até uma frase que não consegui entender por causa disso. Também tem folhas brancas, mas isso não me incomodou tanto. E simplesmente ignorem aquele "absurdamente arrepiante" escrito na capa, porque, com certeza, esse livro não é absurdamente arrepiante. O livro é narrado em primeira pessoa, então por estar dentro da cabeça de Sinead, eu não consegui gostar da narrativa. Ela fazia muito mimimi e toda aquela paixão que começou a sentir me deixou cansada. 

Concluindo: Foi uma leitura bem frustrante. Eu tive várias especulações durante a história, mas o final simplesmente não dá respostas para quase nada. Na verdade, não há exatamente um final, apenas você, leitor, com um belo de um ponto de interrogação entranhado no cérebro. Apesar de um certo ar de mistério ter me mantido pelo menos um pouco interessada até o fim (porque eu estava mesmo esperando um desfecho bombástico ou repleto de clichês, menos o grande "nada"), não encontrei nada que tenha me feito gostar realmente do livro.

Classificação: