Resenha - O Caso Saint-Fiacre

Resenha feita pela Lary!
Título: O Caso Saint-Fiacre
Título Original: L'Affaire Saint-Fiacre
Série: Comissário Maigret
Autor: Georges Simenon
Editora:Companhia das Letras
Páginas:144
Ano: 2015
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Submarino // Saraiva

Me decepcionei com o autor.

Sinopse: O caso Saint-Fiacre' é o décimo terceiro livro protagonizado por Jules Maigret, em que, finalmente, conhecemos seu passado. Ele é filho do administrador de um castelo ao sul de Paris, para onde volta pela primeira vez desde o enterro do pai. O motivo? Um bilhete anônimo: um crime seria cometido no local durante a missa de finados. Antes do fim do sermão, a condessa de Saint-Fiacre morre subitamente. Sua família está falindo. O filho é um aproveitador. O secretário, seu amante e possível herdeiro. Os atuais administradores do castelo, oportunistas em potencial. O padre, um omisso. Mais que investigar os suspeitos, o maior desafio de Maigret é enfrentar as lembranças que Saint-Fiacre lhe desperta.

A Trama: O distrito da polícia judiciaria de Paris recebe um telegrama anunciando que um crime será cometido na igreja de Saint-Fiacre, vilarejo nas cercanias de Moulins, cidade natal de Maigret.  Ninguém dá atenção ao aviso, julgando-o uma brincadeira de mal gosto. Maigret vai ao vilarejo por precaução, ao final da primeira missa no dia de finados - discreta e com poucos ouvintes - todos se levantam para ir embora, exceto a Condessa de Saint-Fiacre, que jaz morta em seu genuflexório.

O Protagonista: Depois de vários livros, descobrimos como foi a infância de Maigret. Filho do administrador do castelo de Saint-Fiacre, ele se mostra incomodado por ninguém da cidade se lembrar dele, e continuamente perturbado com as lembranças que têm do local e de sua família, ainda leva o crime de forma pessoal, pois tinha grande admiração pela outrora bela condessa enquanto ainda vivia no castelo.

Os Personagens Secundários: Não há exatamente personagens secundários nesse livro. Ele é curto e não há muito desenvolvimento de nenhum dos personagens apresentados, que seriam o padre, Jean o secretário da condessa, o administrador do castelo Gautier e seu filho Émíle, e, principalmente Maurice, o Conde de Saint-Fiacre, o muito endividado filho da condessa, que talvez seja o personagem com quem mais temos contato.

Capa, Diagramação e Escrita: A capa foi provavelmente o que eu mais gostei neste livro, os flocos de neve dão um efeito lindo e ela ainda é aveludada. A diagramação é muito simples, a fonte um tanto pequena e notei poucos erros de ortografia. A escrita foi minha maior dificuldade, entediante e arrastada, tive de me esforçar para terminar.

Concluindo: Sou leitora de Simenon há 15 anos, fiquei realmente triste e decepcionada com este livro - ele é muito curto, mal explorado. Esperava um desfecho sobre o passado de Maigret há tempos e quando finalmente temos um, ele é pobre, igualmente o restante da história e a construção dos personagens. Talvez ele tenha perdido uma leitora.


                                Classificação: