Resenha - Psicose

Resenha feita pela Tay!
Título: Psicose
Título Original: Psycho
Série: Psicose
1- Psicose 
2- Psycho II (1982 US)
3 - Psycho House (1990 US)
Autor: Robert Bloch
Editora: DarkSide
Páginas: 256
Ano: Ed. 2013 (Original: 1959)
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Submarino 

Se você ainda não conhece a história de Psicose, sugiro que não leia a sinopse, pois ela contém muitos spoilers.

SinopsePsicose, o clássico de Robert Bloch, foi publicado originalmente em 1959, livremente inspirado no caso do assassino de Wisconsin, Ed Gein. O protagonista Norman Bates, assim como Gein, era um assassino solitário que vivia em uma localidade rural isolada, teve uma mãe dominadora, construiu um santuário para ela em um quarto e se vestia com roupas femininas.O livro teve dois lançamentos no Brasil, em 1959 e 1964. São, portanto, quase 50 anos sem uma edição no país, sem que a maioria das novas gerações pudesse ler a obra original que Hitchcock adaptou para o cinema em 1960. A DarkSide orgulhosamente tem o prazer de reparar este lapso, em julho de 2013, com o lançamento de Psicose em versões brochura (classic edition) e capa dura, limited edition que incluirá um caderno especial com imagens do clássico de Hitchcock.
Uma história curiosa envolvendo o livro é que Alfred Hitchcock adquiriu anonimamente os direitos de Psycho e depois comprou todas as cópias do livro disponíveis no mercado para que ninguém o lesse e, consequentemente, ele conseguisse manter a surpresa do final da obra.
Em Psicose, Bloch antecipou e prenunciou a explosão do fenômeno serial killer do final dos anos 1980 e começo dos 1990. O livro, junto com o filme de Hitchcock, tornou-se um ícone do horror, inspirando um número sem fim de imitações inferiores, assim como a criação de Bloch, o esquizofrênico violento e travestido Bates, tornou-se um arquétipo do horror incorporado a cultura pop.

A TramaÉ difícil falar sobre a trama sem entregar a história para quem ainda não sabe de nada inocente. Resumindo, após roubar 40 mil dólares que deveria depositar no banco para o chefe, Mary foge para encontrar o noivo, para quem pretende entregar o dinheiro (sem o conhecimento dele). Mas ela acaba ficando perdida e encontra, em uma estrada pouco utilizada, o Bates Motel, onde decide passar a noite chuvosa. Ela só não contava que naquela mesma noite seria assassinada no chuveiro. O livro pode não trazer muitas surpresas para quem já tiver assistido ao filme, mas a forma como o autor leva a história deixa uma sensação de suspense muito forte, mesmo em quem já sabe o final da história. Uma coisa que me fez saber que eu iria adorar a leitura foi o primeiro capítulo. Não há nada de mais nele se você estiver lendo a história de Norman Bates pela primeira vez, mas quando você sabe o que há por trás daquela cena... Simplesmente incrível!

Os PersonagensMais uma vez dar muitos detalhes estragaria a surpresa para quem ainda não leu. Mas posso dizer que os personagens são muito bem executados e, claro, o protagonista é muito interessante, não é a toa que, ainda nos dias de hoje, é um personagem memorável e um ícone do cinema.


Capa, Diagramação e Escrita: Eu li um e-book em inglês, então não posso dizer muito sobre a edição física do livro, mas com certeza irei adquirir assim que puder a versão em capa dura da DarkSide, que pelas fotos que vi é maravilhosa! Eu gostei bastante da escrita do autor. Ele soube descrever muito bem a personalidade dos seus personagens sem nos entregar muito, o que deixa muitos leitores surpresos com o desfecho da história. Ao mesmo tempo, ele nos poupa dos detalhes de cenas mais sangrentas, dizendo apenas o que o leitor precisa para saber o que aconteceu. O autor teve como inspiração para essa história o caso de um assassino real, Ed Gein, que também inspirou outros filmes (como O Silêncio dos Inocentes O Massacre da Serra Elétrica), séries e músicas.

ConcluindoAinda preciso dizer que adorei esse livro? Claro que não é perfeito, por exemplo eu gostaria de um pouco mais de detalhes nos assassinatos. Mas de alguma forma essa história conseguiu me cativar e o final é sensacional! O primeiro e o último capítulos são tão incríveis que, mesmo se você não gostar tanto do desenrolar da história, eles já valem a pena a leitura. 

O FilmeAssisti ao filme de Hitchcock pela primeira vez há uns dois anos e eu gosto bastante dele, apesar de achar a execução de algumas cenas um pouco toscas, mas isso eu consigo relevar, levando em conta que é um filme de 1960. Como a maioria das pessoas, eu adoro a atuação de Anthony Perkins, apesar de não se parecer fisicamente com o Norman do livro, ele se encaixou perfeitamente no papel.

A SérieBates Motel é o meu mais novo vício e ela foi o motivo de eu procurar o livro para ler. Até o momento a série possui três temporadas de 10 episódios cada e eu devorei uma temporada por dia e agora tenho que sofrer até março pela próxima. A série é como um prequel da história de Psicose, contando a adolescência de Norman Bates e sua relação com a Mãe (sim, com "m" maiúsculo mesmo). Há algumas alterações da história original para que a série consiga ser executada, além de se passar nos dias atuais, mas ela está seguindo de uma forma tão incrível que eu não tenho do que reclamar. Como Anthony Perkins, Freddie Highmore (aquele da Fantástica Fábrica de Chocolate) se encaixou perfeitamente no papel de Norman Bates e se supera a cada episódio.

Quotes (traduzidos por mim):
Eu acho que, talvez, todos nós enlouquecemos um pouco às vezes.


Todos nós não somos tão sãos quanto fingimos ser.


Se ela quisesse, ela poderia chegar e esmagar a mosca.
Mas ela não esmagou.
Ela não esmagou e esperou que eles estivessem assistindo, porque isso provava que tipo de pessoa ela realmente era.
Ora, ela não faria mal a uma mosca...

Classificação: