Resenha - Cento e Quatro Cavalos

Resenha feita pela Luh!  
Título: Cento e Quatro Cavalos
Título Original: 104 Horses
Livro Único
Autora: Mandy Retzlaff
Editora: Rocco
Páginas: 320
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Fnac // Submarino

Um livro completamente diferente.

Sinopse: Comovente relato de superação, Cento e quatro cavalos conta a trajetória de Mandy (Amanda) Retzlaff e seu marido, Pat, expulsos de sua propriedade no Zimbábue, onde viviam desde 1978, quando a ditadura de Robert Mugabe desapropriou terras e expulsou os agricultores brancos da região. Sob ameaça de morte, eles deixaram a fazenda levando, além dos filhos, os cavalos da família. E mesmo sem ter para onde ir, acabaram resgatando no caminho os animais de outros agricultores, deixados para trás diante da violência dos homens de Mugabe, numa jornada incerta e cheia de adversidades que só a união familiar e o amor pelos animais seria capaz de superar. 

A Trama: Eu não sei bem o que eu esperava de Cento e Quatro Cavalos, mas foi um choque de realidade. Mandy morava com seu marido Pat no Zimbábue, em uma fazenda bonita que, com muito esforço, se tornou um recanto próspero onde o casal poderia criar seus filhos. Apesar de algumas dificuldades, o início do livro é ótimo e te enche de esperanças para a família.
É então que a autora te joga em uma montanha russa emocional que, às vezes, me deixava em desespero ao saber que esse livro é um relato verídico da vida da autora. As situações pelas quais a família de Mandy passou durante a guerra são terríveis, porém ao final do livro comecei a realmente entender aquela frase "o que não te mata, te deixa mais forte". 

A Protagonista: Mandy é uma mulher que, acima de tudo, ama sua família. É comum que uma mãe se arrisque por seus filhos, porém o detalhe especial é que a família de Mandy inclue muitas pessoas e animais com os quais ela não tem parentesco, em especial os preciosos cavalos. Eu não pude deixar de me comover pela compaixão da autora e pela maneira como ela parecia ter esperança até nas situações mais difíceis.

Os Personagens Secundários: Há uma razão para o nome do livro mencionar os cavalos. Cada um parecia ser um personagem próprio e é claro que eu não decorei o nome dos 104 animais mencionados no título, até porque o número de cavalos variava muito e uma quantidade absurda deles foi morrendo ao longo da trama, porém alguns dos cavalos realmente eram as estrelas do livro, com suas personalidades tão diferentes que poderiam facilmente ser pessoas.
Pat, o marido da protagonista, era o verdadeiro apaixonado por fazendas e animais, e isso fica evidente quando ele não mede esforços para salvar qualquer pessoa ou animal de que tenha conhecimento, frequentemente arriscando a própria vida.
Há diversos outros personagens secundários, como os filhos de Mandy e amigos próximos, porém fica claro que essa é a história do casal e de seus animais, sendo que os outros são apenas mencionados ao longo da trama.

Capa, Diagramação e Escrita: O trabalho gráfico está impecável. Gostei muito da capa, mas o que realmente me chamou a atenção é que no meio do livro há algumas páginas com fotos reais dos personagens e dos cavalos, o que deu um senso ainda maior de realidade ao livro.
Mandy não é uma escritora e às vezes isso fica evidente, algumas cenas se arrastam e outras parecem muito repetitivas. Porém a história de sua vida é tão incrível que é fácil se perder no livro.

Concluindo: Minha única reclamação sobre Cento e Quatro Cavalos é às vezes eu sentia que a vida da protagonista havia se tornado uma tortura infindável, tendo que fugir da guerra e de seus perseguidores frequentemente. Porém não deixa de ser uma história que merece ser lida, especialmente para quem se interessa por animais ou por um pouquinho da cultura e história africana.

Classificação: