Resenha - Eu Te Darei o Sol

Resenha feita pela Tay!
Título: Eu Te Darei o Sol
Título Original: I'll Give You The Sun
Livro Único.
Autor: Jandy Nelson
Editora: Novo Conceito
Páginas: 384
Ano: 2015
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Saraiva // Submarino

Esse livro roubou um pedaço do meu coração e não vai mais devolver.

SinopseNoah e Jude competem pela afeição dos pais, pela atenção do garoto que acabou de se mudar para o bairro e por uma vaga na melhor escola de arte da Califórnia.
Mal-entendidos, ciúmes e uma perda trágica os separaram definitivamente. Trilhando caminhos distintos e vivendo no mesmo espaço, ambos lutam contra dilemas que não têm coragem de revelar a ninguém.
Contado em perspectivas e tempos diferentes, EU TE DAREI O SOL é o livro mais desconcertante de Jandy Nelson. As pessoas mais próximas de nós são as que mais têm o poder de nos machucar.

A Trama: Jude e Noah, irmãos gêmeos, sempre foram inseparáveis, até algo acontecer para mudar a relação deles. Acompanhamos a história em dois tempos, em duas perspectivas diferentes: aos 13 anos com Noah e aos 16 anos com Jude. Nesses três anos, muitas coisas aconteceram para que eles mal se falassem. A trama é construída de forma que vamos descobrindo aos poucos o que pode ter acontecido. E é tudo tão envolvente, melancólico, bonito e cheio de esperança, que ler esse livro se torna uma experiência única, onde tudo o que os personagens querem é redenção. 

Os Protagonistas: Me apeguei de mais a ambos os protagonistas. Aos 13 anos, Noah está passando por um momento de descobertas, principalmente sobre si mesmo, e acompanhar seus dilemas e medos o aproxima muito do leitor. Sua relação com a irmã ainda é muito próxima, mas vemos os conflitos entre eles crescerem em situações diferentes da história. Ele é um artista, seus desenhos ilustram coisas do seu cotidiano de uma forma mágica e metafórica, e isso é uma forma de escapar da realidade do mundo, onde ele pode ser apenas ele e enxergar as coisas como bem entende.
Aos 16 anos, Jude, que antes era uma menina extrovertida e adorava se divertir, está reclusa e adoraria ser invisível. Sua arte são as esculturas, o que a colocou na CSA, uma escola de artes onde Noah sonhava em estudar, ela não. Sabemos que muita coisa mudou na relação dela com o irmão por algum motivo, e aos poucos vamos tirando informações do texto. Ela sentia muita culpa e uma vontade enorme de reparar seus erros do passado, mesmo sem saber por onde começar e com medo de quando chegasse a hora.
Nenhum dos dois personagens é perfeito, mas vamos nos apegando às suas imperfeições ao longo da trama. Pelo menos para mim, eles são aqueles tipos de personagens que nunca esquecemos e que nos importamos mesmo depois de terminar o livro.

Os Personagens Secundários: A autora conseguiu trabalhar muito bem nos seus personagens secundários, pois conseguimos ver que cada um tem medos, sonhos e passados que ainda os assombram. Brian se torna amigo de Noah logo de cara, e os dois compartilham um medo e um desejo profundo. Oscar é um mistério que vamos desvendando aos poucos e, mesmo não aprovando muitas de suas atitudes, eu gostei muito dele. Guillermo é um artista renomado que ajudará Jude, apesar de percebermos claramente que ele está sofrendo por algum motivo. 

Capa, Diagramação e Escrita: Vi algumas reclamações sobre a capa, mas eu gostei dela. É bem simples, mas a fonte do título e o desenho do sol passam uma boa aura do livro. A diagramação é bem simples, mas boa para ler. Só fiquei triste pela editora não ter colocado todos os desenhos e coisas diferentes que existem na edição britânica (a que originou a capa brasileira), tenho certeza que teria feito a experiência de leitura ainda mais poética e mágica. Eu amei a escrita da autora! É bem poética e cheia de metáforas que têm tudo a ver com a história, isso faz com que acompanhar a trajetória de Noah e Jude seja ainda melhor. Eu queria saber logo o que estava acontecendo e isso fez com que a leitura fluísse bastante. Vocês não têm ideia de como meu livro está cheio de marcações, acho que nunca usei tantas.

ConcluindoSei que vai parecer bobo, mas quando terminei a leitura eu abracei o livro e foi difícil soltar, porque eu não queria sair dele! Eu até chorei, o que não acontece muitas vezes em livros. Talvez algumas coisas no final tenham acontecido um pouco rápido, mas não me importei, porque eu fiquei maravilhada com todo o resto. Eu não me apaixonei apenas pelos personagens, eu me apaixonei por cada pedacinho desse livro, e isso não é pouca coisa. 

Quotes
Como sou capaz de ver as almas das pessoas às vezes, ao desenhá-las, sei o seguinte: a mamãe tem uma enorme alma de girassol, tão grande que mal sobra lugar para os órgãos. Jude e eu temos uma alma em comum que compartilhamos: uma árvore com as folhas em chamas. E o papai tem um prato de larvas como alma.


(...) A alma dele deve ser um sol. Nunca conheci ninguém que tivesse alma de sol.


(...) Meninos como ele não deveriam poder andar de moto. Eles tinham que andar por aí em pula-pulas, ou melhor: Hippity Hops. E nenhum cara atraente deveria ter sotaque britânico e pilotar uma moto.


Encontrar sua alma gêmea é como entrar numa casa onde você já esteve - você vai reconhecer a mobília, os quadros na parede, os livros nas prateleiras, as coisas nas gavetas: você é capaz de se localizar no escuro se precisar.


(...) Penso no que a psicóloga me disse, que eu era uma casa na floresta, sem janelas nem portas. Sem jeito de entrar ou sair, disse ela. Mas ela estava enganada, porque paredes desabam.


Acho que o coração de todos os seres vivos na Terra está batendo no meu corpo.

(...) Talvez algumas pessoas simplesmente tenham sido feitas para estar na mesma história.

Classificação: