Quinta das Capas #90

Capas de Livros Sobre Negros

 

Olá, Olá!! Amanhã é dia da consciência negra e por isso resolvi trazer essa temática para a coluna, fiquei um pouco chocada com a quantidade de livros que falavam sobre negros, ou tinham negros como modelo. Foram raríssimos os livros que achei, depois de longa procura, em português, inglês e espanhol, não chegaram a trinta; e quando achava algo em sua maioria eram livros que falavam de preconceito ou sobre a escravidão. Paciência, mesmo assim consegui alguns grandes títulos!


Começando muito bem, temos dois livros e quatro capas, The Help - A Resposta no Brasil conta a história de Eugenia, uma recém formada jornalista que vive em uma Mississippi dos anos 60 - ela decide escrever um livro que relata o relacionamento das empregadas domésticas negras e suas patroas da época, para isso conta com a ajuda de Aibileen e Minny. O livro foi adaptado a pouco tempo para o cinema e de acordo com a editora foi recusado 60 vezes antes de ser publicado - o livro é uma homenagem da autora à Demetrie, a emprega negra que a criou. As capas super combinam com a temática e até nos fazem imaginar a cena, a capa brasileira, por conta das cores gera uma atmosfera. O Caso dos Dez Negrinhos é um dos meu livros preferidos de todos os tempos! Li quando tinha apenas 7 anos e amei o mistério - vocês podem não conhecê-lo por este nome já que ele foi trocado diversas vezes (a palavra "negrinho" causou muita polêmica no Brasil e EUA na época). Ele já se chamou: "Convite para a morte", "O vingador invisível", "Os dez indiozinhos" e atualmente está sendo publicado como "E Não Sobrou Nenhum". Eu particularmente amo o título original, tem tudo a ver com a história e o poema contado nela, o que muitos acharam polêmico eu vi como crítico. A capa original é uma coisa, a estatueta tem um expressão macabra e exemplifica o livro perfeitamente, já a nova versão tem cores lindas e eu amo os jorros de sangue.


Vocês devem conhecer todos os livros dessa linha, já que são todos muito famosos e todos foram adaptados para o cinema, 12 Anos de Escravidão assim como a história nos inspira uma força, um grande esforço, a luta travada no livro - não imagino capa mais simbólica. A Espera de Um Milagre é muito simples, mas também representativa com a ave próxima ao arame farpado do presídio. O Sol é Para Todos é o clássico dos clássicos, uma história tão antiga e tão atual - bem que estava merecendo uma nova adaptação cinematográfica, a capa é simples mas adoro os detalhes e cores. A procura da Felicidade é meu livro autobiográfico preferido, e o subtítulo junto a imagem da capa diz tudo: "Apenas uma coisa para mim é mais importante que todas as outras: meu compromisso com meu filho"


Apesar de serem desconhecidas eu amei as capas dessa linha, não são lindas? A metáfora do cabelo - tão cheio de vida em Quando me Descobri NEGRA além de combinar com o título ficou tão detalhado... um mundo crescendo a parte.When we Were One me encantou com a ilustração, o uso das cores caracterizando a personagem que parece uma deusa com ares de tigresa é de tirar o fôlego. Divinity é super delicada e confesso me lembrou de mim mesma quando pequena (minha mãe penteava meu cabelo assim).


Por último as capas mais bonitas dessa temática na minha opinião, duas da mesma autora. A vida Secreta das Abelhas também já foi adaptado para o cinema, foi publicado com diversas capas - mas essa me é mais expressiva, mostrando a união das duas personagens principais como se estivessem dentro de uma colmeia - que é a premissa principal do livro - que fala sobre a união e conceitos sociais da época, o preconceito e mostra as abelhas como personagens além da metáfora principal da história. Depois da Terra é um dos meus filmes favoritos e com meu ator favorito! Esse livro é uma adaptação do filme por isso a capa não podia mostrar uma cena diferente, gosto muito do efeito de profundidade dado nas roupas dos personagens. A Invenção das Asas é uma obra de arte, outra menininha (com o mesmo penteado) é a definição perfeita de liberdade e esperança, de costas e sem roupas para esse mundo vasto e cor de rosa, não poderia se adequar mais ao livro.