Resenha - A Garota na Teia de Aranha

Resenha feita pela Maay!  
Título: A Garota na Teia de Aranha
Título Original: Det Som Inte Dödar Oss
Série: Millenium
1- Os Homens Que Não Amavam As Mulheres
2- A Menina Que Brincava Com Fogo
3- A Rainha do Castelo de Ar
Autor: David Lagercrantz
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 472
Ano: 2015
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Extra

Pode até ser Millennium, mas não é Stieg Larsson. 

Sinopse: Lisbeth Salander e Mikael Blomkvist estão de volta na aguardada e eletrizante continuação da série Millennium. Neste thriller explosivo, a genial hacker Lisbeth Salander e o jornalista Mikael Blomkvist precisam juntar forças para enfrentar uma nova e terrível ameaça. É tarde da noite e Blomkvist recebe o telefonema de uma fonte confiável, dizendo que tem informações vitais aos Estados Unidos. A fonte está em contato com uma jovem e brilhante hacker - uma hacker parecida com alguém que Blomkvist conhece. As implicações são assombrosas. Blomkvist, que precisa desesperadamente de um furo para a revista Millennium, pede ajuda a Lisbeth. Ela, como sempre, tem objetivos próprios. Em A garota na teia de aranha, a dupla que já arrebatou mais de 80 milhões de leitores em Os homens que não amavam as mulheres, A menina que brincava com fogo e A rainha do castelo de ar se encontra de novo neste thriller extraordinário e imensamente atual. David Lagercrantz nasceu na Suécia, em 1962. Jornalista, romancista e biógrafo premiado, Lagercrantz foi escolhido para continuar as aventuras de Lisbeth Salander e Mikael Blomkvist.

A Trama: O que falar sobre esse livro? Eu comecei a leitura muito empolgada, com as expectativas acima do céu, afinal, era a tão aguardada continuação de uma de minhas séries favoritas - escrita por outro autor. E eu sei que muita gente já estava com o pé atrás antes mesmo de começar o livro. Mas eu confiei em Lagercrantz, já tive experiências anteriores com autores que deram continuidade às obras de outos autores, já falecidos, e elas tinham sido incrivelmente boas. Porém... Me dói imensamente admitir que o livro foi uma decepção.
Não me entendam mal, ele tem pontos positivos e, se analisado isoladamente, é um bom livro. Só que é inevitável compará-lo aos livros anteriores da série, e aí... Stieg Larsson tinha um estilo único, ele conseguia criar uma trama confusa e ao mesmo tempo viciante. Aqui eu apenas fiquei confusa, a leitura se arrastou e foi até mesmo sofrida em alguns momentos.

Os Protagonistas: Um dos principais desafios do autor, com certeza, eram Lisbeth e Mikael - dois personagens tão peculiares. E aqui está a minha maior decepção. Ambos foram muito desconstruídos - os dois perderam muito de sua personalidade, justamente aquilo que os tornava tão fascinantes. 
Se as primeiras 85 páginas até Lisbeth aparecer foram agoniantes por sua ausência, as páginas seguintes foram mais agoniantes ainda por vê-la tão diferente daquela personagem pela qual me apaixonei. 

Personagens SecundáriosFrans e August talvez tenham me conquistado mais que os protagonistas. São personagens originais e que foram bem construídos. Mostraram que David é um bom autor, apenas... É aquela coisa, comparar é inevitável e, na comparação, Larsson ganha.

Capa, Diagramação e Escrita: A capa é linda - dá para ver que a editora caprichou nos detalhes. Mas, agora meu momento chata, eu sou apaixonada por aquelas primeiras. Elas são tão maravilhosas, e lindas, e "phynas" (hahaha). 
A escrita de Lagercrantz não é ruim, mas ele subestima o leitor. Os fatos são muito detalhados, muito explicados. E para quem já era fã da série, isso se torna cansativo. Estamos acostumados a trabalhar muito  o cérebro na hora de entender a trama, e ter tudo ali mastigadinho torna as coisas menos divertidas.

ConcluindoNão é que o livro seja ruim, ele só não atingiu minhas expectativas. Lógico que indico para os fãs da série - mas vão com calma, finquem os pés no chão e mantenham em mente que Larsson infelizmente já faleceu, então é melhor um na mão do que dois voando (desculpa, não resisti à piadinha, haha).

Classificação: