Resenha - Vá, Coloque Um Vigia

Resenha feita pela Tay!
Título: Vá, Coloque Um Vigia
Título Original: Go Set a Watchman
Série: O Sol É Para Todos
1- O Sol É Para Todos (1960/2015)
2- Vá, Coloque Um Vigia
Autor: Harper Lee
Editora: José Olympio
Páginas: 252
Ano: 2015
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Submarino // Saraiva 

SinopseSegundo romance de Harper Lee, que bateu recorde de número de exemplares vendidos em um só dia superando O símbolo perdido, de Dan Brown. Jean Louise Finch, mais conhecida como Scout, a heroína inesquecível de O sol é para todos, está de volta à sua pequena cidade natal, Maycomb, no Alabama, para visitar o pai, Atticus. Vinte anos se passaram. Estamos em meados dos anos 1950, no começo dos debates sobre segregação, e os Estados Unidos estão divididos em torno de questões raciais. Confrontada com a comunidade que a criou, mas da qual estava afastada desde sua mudança para Nova York, Jean Louise passa a ver sua família e amigos sob nova perspectiva e se espanta com inconsistências referentes à ética e a pensamentos nos âmbitos político, social e familiar.Vá, coloque um vigia é o segundo romance de Harper Lee, mas foi escrito antes do mítico O sol é para todos, que recebeu o Prêmio Pulitzer em 1961. Este livro inédito marca o retorno, após 65 anos de silêncio, de uma das maiores escritoras americanas do século XX.

A Trama
Para quem conhece o caso, Vá, Coloque Um Vigia não é exatamente uma continuação de O Sol é Para Todos, mas sim uma primeira tentativa da autora de escrever o livro que acabou se tornando um clássico moderno. De qualquer forma, a trama desse novo livro se passa uns vinte anos depois, com Scout indo para a sua casa em Maycomb passar duas semanas de férias. A trama conta com vários flashbacks da infância de Scout, questões políticas e situação da comunidade negra naquela época, o que é realmente o foco das duas histórias. Aqui eu não senti o mesmo "brilho" que O Sol é Para Todos tem, o que fez com que a leitura se tornasse um pouco chatinha em alguns momentos, embora o ritmo fosse bem rápido (consegui lê-lo em apenas um dia).

A ProtagonistaGostei de Scout (ou Jean Louise) não ter perdido sua personalidade de infância: curiosa, indagadora e sempre deixando bem claro seu ponto de vista, não conseguindo aceitar quando alguém faz ou diz algo que fira a sua ideia de justiça e moral. Ela também tem uma visão da posição da mulher bem além das outras personagens femininas do livro, que preferem viver nas sombras de seus respectivos maridos.

Personagens SecundáriosAqui chegamos ao ponto que mais incomodou os fãs de O Sol é Para Todos: a mudança moral de Atticus Finch. Eu também me decepcionei bastante com sua nova forma de pensar, prefiro ficar com a imagem daquele homem que defendeu Tom Robinson dando o máximo de si. Não gostei muito de Henry, principalmente por sua linha de pensamento, mas também não posso pedir que todos tivessem os mesmos ideais que Jean Louise naquela época.

Capa, Diagramação e Escrita: Gosto bastante da capa, as cores me agradam muito. A diagramação é bem simples, mas ótima para ler. A escrita é boa, embora me deixasse um pouco confusa com algumas explicações, dando voltas desnecessárias para chegar a uma conclusão simples. Não vi motivos para a história ser dividida em sete partes, já que o livro é bem curto.

ConcluindoPara mim, Vá, Coloque Um Vigia é um livro ok. Sinceramente, acho que decidiram lançá-lo para chocar o público com essa mudança do Atticus, nada mais, porque quanto toda a discussão sobre os negros, isso é bem melhor desenvolvido na obra original.

Quotes:
(...) o único ser humano no qual ela confiava completamente, com a toda a sua alma, a decepcionara. O único homem para o qual podia apontar e dizer, com certeza absoluta, "É um cavalheiro. É um cavalheiro de coração", a tinha traído pública, completa e descaradamente.


- O nascimento de um ser humano é muito desagradável. É confuso, extremamente doloroso e, às vezes, arriscado. E é sempre sangrento. O mesmo vale para a civilização. (...)


(...) O preconceito, uma palavra suja, e a fé, uma palavra sagrada, têm algo em comum: os dois começam onde termina a razão.

Classificação: