Resenha - O Aprendiz

Resenha feita pela Tay!
Título: O Aprendiz
Título Original: The Novice
Série: Conjurador
1- O Aprendiz
2- The Inquisition (2016)
Autor: Taran Matharu
Editora: Galera Record
Páginas: 350
Ano: 2015
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Submarino // Saraiva

SinopseEm O aprendiz, primeiro volume da série Conjurador, Fletcher é um órfão de 15 anos e, para sua surpresa, conseguiu invocar um demônio do quinto nível. O problema é que apenas os nobres deveriam ser capazes de conjurar criaturas e usá-las na guerra contra os orcs. Mas plebeus como Fletcher também podem ser conjuradores, e o garoto consegue uma vaga na Academia Vocans, uma escola de magos que prepara seus alunos para os campos de batalha. Lá, ele irá enfrentar o bullying dos nobres, mas também aprenderá feitiços e fará amigos incomuns, como anões e elfos. Além de se provar digno de uma boa patente na guerra, Fletcher e seu grupo de segregados precisam se unir e vencer o preconceito que sofrem na desigual sociedade de Hominum.

A TramaA trama muitas vezes me lembrou Harry Potter, principalmente quando Fletcher chega na Academia Vocans, onde vai treinar suas habilidades de conjurador. Os demônios da história foram inspirados em uma mistura de Pokémon com Digimon, segundo o próprio autor, e eu gostei bastante da mitologia que isso resultou na história. Outro ponto que eu gostei é a forma como o autor inseriu temas como bullying e preconceito racial na história de uma forma que não fugisse do mundo fantástico criado.

O Protagonista: Gostei do autor não ter feito com que o protagonista fosse a resposta para tudo, aquele que sempre se destacava nas aulas e sempre imbatível, mas eu não gostei de Fletcher o tempo todo. Como eu disse, muitas coisas na trama me lembraram Harry Potter, inclusive o protagonista. Não que isso seja realmente ruim, mas senti falta de pensar no protagonista como alguém único. De qualquer forma, ele foi um ótimo protagonista para a história e pode se tornar melhor ainda nos próximos livros. 

Os Personagens SecundáriosAdorei Sylva, a elfa, e Otelo, o anão. Só eles já valem o livro todo. Quanto aos outros personagens, acho que o autor pode dar um pouco mais de profundidade a eles no próximo volume, porque senti que eles estavam ali apenas por estar, sem algum tipo de profundidade. Não que todos os personagens devam ter sua biografia completa na história, mas sabemos que um autor criou bem seus personagens secundários quanto até aqueles que aparecem uma única vez conseguem parecer um dos principais, se é que vocês conseguem me entender. Temos também, claro, os vilõezinhos da história, os gêmeos nobres Tarquin e Isadora que, sinceramente, achei bem clichês, mas dava vontade de torcer o pescoço de cada um. Adorei também os demônios, principalmente Ignácio, que era uma criaturinha ao mesmo tempo fofa e mortal (se vocês procurarem a capa em um tamanho maior, conseguem vê-lo perfeitamente no ombro do Fletcher).

Capa, Diagramação e Escrita: Essa capa é maravilhosa, na minha opinião, e o garoto representa muito bem o Fletcher, o que mostra que pensaram realmente em cada detalhe da história e do personagem na hora de montá-la. A diagramação está boa, mas as páginas são brancas. Percebi que a escrita do autor foi evoluindo ao longo do livro. No início é bem amadora e algumas coisas "não caíram bem", digamos assim, mas aos poucos ela vai se tornando mais fluida e fiquei realmente empolgada em algumas cenas no final.

ConcluindoEu não amei, mas gostei bastante da história e quero ver como o autor continuará evoluindo sua escrita e seus personagens no próximo volume (que sai em maio desse ano em inglês). Recomendo para quem gosta de fantasia, Harry Potter e/ou Pokémon.

Classificação: