Resenha - O Diário de Anne Frank

Resenha feita pela Maay!
Título: O Diário de Anne Frank
Título Original: Het Achterhuis - Dagboekbrieven 12 juni 1942 - 1 augustus 1944
Livro Único.
Autora: Anne Frank
Editora: Record
Páginas: 416
Ano: 2014
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Livraria Cultura

É muito amor envolvido.

Sinopse: Anne Frank escreveu em seu diário toda a tensão que a família Frank sofreu durante a Segunda Guerra Mundial. Ao fim de longos dias de silêncio e medo aterrorizante, eles foram descobertos pelos nazistas e deportados para campos de concentração. Anne inicialmente foi para Auschwitz, e mais tarde para Bergen-Belsen. Seu diário destaca sentimentos, aflições e pequenas alegrias de uma vida incomum, problemas da transformação da menina em mulher, o despertar do amor, a fé inabalável na religião e, principalmente, revela a rara nobreza de um espírito amadurecido no sofrimento.

A Trama: Acho que todo mundo já ouviu falar de Anne Frank, né? A história da menina judia, que passou pouco mais de 2 anos escondida dos nazistas, ganhou o mundo há muito tempo.
Eu devo ter lido esse livro pela primeira vez há mais ou menos dez anos. Relendo, percebi que lembrava muito pouco da história. Mas entendi perfeitamente porque, mesmo depois de tanto tempo, ele continuava tendo um espaço tão especial no meu coração.
As livrarias estão cheias de livros sobre a Segunda Guerra Mundial, mas os relatos verdadeiros não são tantos assim. Não estou desmerecendo a ficção, longe de mim! Mas às vezes é bom se dar a oportunidade de conhecer a realidade sem floreios - ela pode ser muito mais interessante do que você imagina.

A Protagonista: Para a época, deve ter sido um choque uma menina tão nova ser tão cheia de ideias e opiniões. Para o pai então, deve ter sido assustador descobrir tudo o que passava pela cabeça de sua filha mais nova. 
Anne tem uma personalidade bem complicada e forte, desde o início. Ela amadureceu muito nos anos em que passou no anexo, e sem dúvida teria sido uma jornalista extraordinária
Tem uma passagem no diário, em que Anne diz que quer continuar vivendo depois da morte. E conseguiu. Tantos anos se passaram e seu diário continua figurando nas listas de mais vendidos - é uma pena que ela não tenha vivido para ver suas palavras mudando o mundo. 

Os Personagens Secundários: Otto Frank deve ter sido um homem maravilhoso. É de brilhar os olhos o amor e a admiração que Anne tem pelo pai. E é dolorosamente triste saber que esse homem tão bom e carinhoso perdeu toda a família pela ignorância do mundo. Anne me cativou muito, mas foi Otto quem ganhou meu coração e o despedaçou.

Capa, Diagramação e EscritaGente, me desculpem, mas não tem o que falar sobre essa edição tão maravilhosa que me fez pausar a leitura diversas vezes para ficar admirando a beleza da capa (#coisamaislindadavida). É muito amor, meu deus.
Enfim... Foco. A escrita de Anne é muito envolvente, você lê 100 páginas sem piscar, e quando pára para respirar, o livro acabou! 

ConcluindoAlgumas pessoas devem torcer o nariz para esse livro por não se tratar de ficção ou por ser uma obra histórica. Superem os preconceitos. O Diário de Anne Frank é muito mais do que isso - é uma leitura deliciosa, apaixonante, comovente, encantadora... 
Esse livro é aquele tipo de leitura obrigatória para todos, não somente pelo seu conteúdo, mas porque ele é aquele tipo de livro que te faz querer conhecer outras histórias. Ele é o tipo de leitura que cria leitores apaixonados por livros, e o mundo precisa mais disso.

Quotes:
Não quero que minha vida tenha passado em vão, como a da maioria das pessoas. Quero ser útil ou trazer alegria a todas as pessoas, mesmo àquelas que jamais conheci. Quero continuar vivendo depois da morte! 

Se Deus me deixar viver, vou realizar mais do que mamãe jamais realizou, vou fazer com que minha voz seja ouvida, vou para o mundo e trabalharei em prol da humanidade! 

As pessoas seriam muito mais nobres e melhores se, no fim de cada dia, pudessem rever o próprio comportamento e pesas o que fizeram de bom e de mau. Automaticamente tentariam melhorar a cada manhã e, depois de algum tempo, com certeza realizariam muita coisa.

Classificação: