Resenha - Perdão Mortal

Resenha feita pela Luh!  
Título: Perdão Mortal
Título Original: Grave Mercy
Série: O Clã das Freiras Assassinas
1- Perdão Mortal (2015)
2- Divina Vingança (2016)
3- Mortal Heart (2014 US)
Autora: Robin LaFevers
Editora: V&R Brasil
Páginas: 408
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Extra

Trono de Vidro encontra A Guerra dos Tronos em um livro impressionante.

Sinopse: Tudo o que Ismae Rienne conhecia era pobreza e violência vinda dos homens. Até que é levada para o convento de Saint Mortain, o misterioso Deus da Morte. Lá, Ismae é treinada para se tornar uma habilidosa assassina. A garota vai aprender que a independência é conquistada com duras consequências, e que o destino de um país inteiro – e do único homem que ela seria capaz de amar – estão em suas mãos.

A Trama: Um dos detalhes mais importantes a saber sobre essa trilogia é que cada livro é narrado por uma protagonista diferente. Ou seja: qualquer um pode morrer, até a protagonista.
A trama começa com o passado de Ismae e a história de como ela chegou no convento, os testes em que ela precisou passar e o início de seu treinamento. Porém logo somos transportados três anos à frente, para as primeiras missões da garota, onde seu caminho cruza com o encantador Duval, um nobre da corte. Por meio das artimanhas do convento, Ismae acaba sendo forçada a se passar por amante de Duval e infiltrar a corte, e é aí que a trama realmente começa, com assassinatos constantes, traições e um romance quente e lento que é capaz de deixar qualquer leitor ávido por mais. O único porém, na minha opinião, é que o livro se prolonga um pouco demais, tornando alguns trechos mais lentos.



A Protagonista: Ismae é uma protagonista extremamente original. Ela é confiante, porém sem um pingo de arrogância, exceto quando falamos de sua habilidade em matar pessoas. Por sinal, tendo sido treinada nessa arte há anos, Ismae é capaz de matar alguém de incontáveis formas e não esconde isso.
Porém é fofíssimo o jeito como a protagonista se torna um pouco acanhada ao ter de usar técnicas de sedução ou ser simpática com pessoas rudes. Ismae era uma assassina inocente, e amei essa contradição.

Os Personagens Secundários: Foram tantos personagens bons que é difícil citar só alguns, mas é claro que Duval foi meu predileto, tão complexo e divertido que eu fiquei intrigada com os motivos por trás de suas ações. A duquesa também foi formidável, uma garota muito jovem que já tinha força de vontade suficiente para não deixar que os outros tomassem decisões em seu lugar.

Capa, Diagramação e Escrita: Adorei que a capa original tenha sido mantida, porque ela é belíssima, combina perfeitamente com a trama e chama muito a atenção.
A escrita da Robin é ótima, porém, por ser um livro que se passa séculos atrás, a autora optou por uma linguagem mais rebuscada e no início levei um tempo para me adaptar.

Concluindo: Um dos melhores livros que li esse ano, por ser tão diferente. Além disso, ele se sustenta como livro único e tem um início, meio e fim bem claros. Porém desafio você a ler Perdão Mortal e não ficar morrendo pelos próximos livros.


Quotes:
Era imune a venenos e sabia uma dezenas de modos de me livrar de um estrangulamento ou do fio de um garrote. Mas simpatia? Não sabia como me defender contra isso.

Classificação: