Resenha - Jovens de Elite

Resenha feita pela Luh!
Título: Jovens de Elite
Título Original: The Young Elites
Série: Jovens de Elite
1- Jovens de Elite (2016)
2- The Rose Society (2015 US)
3- The Midnight Star (2016 US)
Autora: Marie Lu
Editora: Rocco
Páginas: 304
Saiba mais: Skoob
Comprar: Extra // Amazon // Submarino

Muitas reviravoltas.


Sinopse: Jovens de Elite é o primeiro de uma série de fantasia ambientada na era medieval e protagonizada por jovens que desenvolvem estranhas cicatrizes e poderes especiais ao sobreviverem a uma febre que dizimou boa parte da humanidade. Entre eles está Adelina, que, após se rebelar contra o destino imposto a ela por seu pai, encontra um novo lar na sociedade secreta Jovens de Elite, vista por alguns como um grupo de heróis, por outros como seres com poderes demoníacos. Heroína ou vilã? Num mundo perigoso no qual magia e política se chocam, Adelina descobre o lado sombrio de seu coração.

A Trama: Logo no início do livro, a protagonista foge de casa e acaba se envolvendo com uma organização de "criminosos" com poderes especiais, a Sociedade dos Punhais. Jovens de Elite me lembrou um pouco de X-men, com os jovens cheios de poderes únicos, tentando resgatar outros de seu tipo. A autora, sem remorso algum, até mata alguns personagens importantes, então gostei da sensação de que qualquer coisa poderia acontecer.
Além disso, o ritmo do livro é bem rápido, sempre com traições e algumas lutas.

A Protagonista: Adelina era, mais do que tudo, muito influenciável. Ela parecia acreditar com facilidade demais nos Punhais, em Teren, em Enzo. Eu entendo que ela é jovem e não tem ninguém, porém foi difícil engolir que a protagonista aceitasse ser jogada de um lado para o outro daquela maneira.

Os PersonagensApesar de a trama ter sido boa, tive um problema sério com esse livro envolvendo os personagens. Basicamente, não me importei com ninguém. Todos os personagens eram egoístas, cada um só se importava com sua própria vida (e isso inclui a protagonista), e eu honestamente estava tão indiferente que nem me importava quando alguém morria. Na verdade, eu queria mesmo era que a maioria deles morresse, por serem pessoas tão insensíveis. Até Raffaele, o único que chamou a minha atenção, tinha seu lado ruim.

Capa, Diagramação e Escrita: Apesar de a capa não ter nada de especial (são apenas nuvens), ela tem cores bonitas e eu adorei a fonte, que é em alto relevo no livro físico. A diagramação interna está maravilhosa, com fontes especiais para o início dos capítulos, e a revisão também está muito boa.
Eu já conhecia a escrita da Marie Lu da trilogia Legend (que eu amei) e, apesar de ela não ter descrições detalhadas ou uma escrita muito complexa, sua narrativa flui com facilidade e os diálogos são ótimos.

Concluindo: Acho que criei expectativas muito altas, e o livro não as atingiu. A sensação que eu tive é que já li essa história antes, em outros livros do gênero, sem falar que nenhum dos personagens era carismático. Mesmo assim, a trama é muito boa, e acredito que a maioria dos leitores de fantasia distópica vão gostar.


Classificação: