Resenha - Placebo Junkies

Resenha feita pela Luh!  
Título: Placebo Junkies
Título Original: Placebo Junkies
Livro Único.
Autora: J. C. Carleson
Editora: Fábrica231
Páginas: 304
Ano: 2016
Saiba mais: Skoob
Comprar: Submarino // Amazon

Um livro muito louco.

Sinopse: Audie é uma jovem como qualquer outra, mas encontrou uma forma incomum de descolar uns trocados: ela serve de cobaia para a indústria farmacêutica. Neste irreverente romance, J.C. Carleson, ex-agente da CIA, mergulha no universo pouco conhecido, mas muito impressionante, dos voluntários em série de testes farmacológicos. Na tradição de Trainspotting e Drugstore Cowboy, doses cavalares de humor negro disputam espaço na trama com o drama de jovens que vivem no limite. No caso de Audie, ela precisa juntar dinheiro para oferecer a Dylan, seu namorado que tem uma doença terminal, uma festa de aniversário de 18 anos inesquecível. “Não há ganho sem dor”, ela repete, em meio aos efeitos colaterais das substâncias e procedimentos a que está sujeita e aos esquemas para lidar com eles. 

A Trama: Placebo Junkies fala sobre os bastidores dos testes em pessoas da indústria farmacêutica. Foi a melhor parte do livro e fiquei fascinada com essa vida, sobre a qual não conhecia nada. As pessoas, por algum dinheiro, testam todo tipo de medicamentos e ainda se submetem a tratamentos estranhos, doando sangue e até partes da sua pele. Foi muito interessante.
A trama em si não tem nada demais, e ainda não consegui decidir se amei ou odiei o final, que é daqueles que dá um 360 e muda tudo sobre o livro. Ainda assim, é uma experiência que vale a pena por ser um livro tão diferente.

A Protagonista: Audie é uma pessoa bem problemática. Menor de idade, ela usa uma identidade falsa para conseguir entrar nos testes médicos e toma tantas pílulas que tem efeitos colaterais com frequência. Não consigo imaginar uma pessoa que passa mais tempo vomitando ou tendo tonturas do que se sentindo normal. Ainda assim, ela tem um apartamento, tem suas coisas, um namorado e um sonho de ir viajar. É estranho como às vezes eu quase me esquecia de como a vida daquelas pessoas era diferente.

Os Personagens Secundários: Praticamente todos os personagens do livro são anormais. Charlotte é um espírito livre, uma garota sem amarras que faz uma quantidade enorme de testes e é a melhor amiga da protagonista. Dylan é o namorado "fofo" e desde o início achei que tinha algo errado com ele, porque estava sempre sumindo sem dar notícias. Ainda assim, gostei da maioria das pessoas, até os mais estranhos.

Capa, Diagramação e Escrita: A capa e o título são os originais, americanos, e gostei da decisão da editora, já que a capa combina perfeitamente com o livro - só não sei se as pessoas vão entender o título. A diagramação interna também está muito bonita, com uma fonte que muda conforme a necessidade e capítulos numerados.
A escrita da J. C. eu já não sei. Não é ruim de maneira alguma, mas achei um pouco simples demais. O livro poderia ter mais umas 50 páginas para dar mais detalhes sobre os personagens. O que eu gostei é que a autora fez muita pesquisa antes do livro, então a maioria das histórias dos pacientes e dos testes são baseadas em histórias reais.

Concluindo:Não é o melhor livro que já li, mas é tão diferente do que tem por aí que recomendo, sempre é bom ver alguma originalidade. Além disso, a trama dá uma reviravolta tão grande que acho que ninguém teria previsto.

Classificação: