Resenha - Tintim no País dos Soviétes

Resenha feita pela Lary!  
Título: As Aventuras de Tintim: Repórter do "Petit Vingtième" no País dos Sovietes
Título Original: Tintin au pays des Soviets
Livro Único.
Editora: rge
Páginas: 144
Ano: 2008
Saiba mais: Skoob
Comprar: Livraria Cultura

A Decepção é ligeira e cruel...

Sinopse: Tintim no País dos Sovietes é o primeiro álbum de história em quadrinhos da série As Aventuras de Tintim, produzida pelo belga Hergé. Originalmente lançado nas páginas de um suplemento juvenil, Le Petit Vingtième, do jornal belga Século XX. No primeiro livro, publicado entre 1929 e 1930, Tintim vai fazer uma reportagem na Rússia para o jornal Le petit vingtiéme. Vários homens da GPU tentam impedir que Tintim faça a reportagem, para ele não revelar como é a Rússia na realidade. Mas depois de muitas peripécias, Tintim consegue fazer a reportagem e regressar à Bruxelas.

A Trama: No primeiro volume desse aclamado personagem, Tintim viaja para o coração da mãe Rússia com o intuito de esclarecer e talvez desmascarar a situação real do país e sua população. Eu já tinha ouvido várias críticas relativamente negativas sobre esse primeiro volume, mas não imaginaria nem nos meus piores pesadelos que seria tão decepcionante.



O Protagonista: Tintim é outro homem nessa edição - vingativo, violento, pavio curto, irresponsável, impulsivo e muito mandão; Não é nem um pouco cativante... Apesar da história ser curta, em certo ponto já estava irritada com ele, ademais a trama completamente sem nexo e continuidade, repleta de trapalhadas ridículas e improváveis fez da leitura entediante.


Os Personagens Secundários: Praticamente nãopersonagens secundários, uma trupe de vilões persegue o protagonista, mas além de alguns bordões, não há nada que os identifique. O destaque fica para o cachorrinho Milu, que continua fofo, porém tem a personalidade relativamente excêntrica para um cachorro.

  Capa, Arte e Finalização: A capa é neutra, inclusive ela engana em relação ao traço do desenho, que é irregular e cheio de garranchos, de forma que em algumas passagens o desenho fica assimétrico, e há formulações nada anatômicas em posições de luta. O background e contexto são muito mal feitos, como rascunhos, o que deixa a finalização pobre.  


Concluindo:Eu cresci lendo e assistindo Tintim, amo muito a personagem e suas histórias, mas fiquei extremamente desapontada com o desempenho de Hérge logo no início de sua criação, destoando completamente de seus trabalhos futuros, tão bem conduzidos, desenhados e articulados. A história tem por objetivo muitas críticas inteligentes e morais que caem por terra pela maneira que foram abordadas: de forma pobre, violenta, sem nexo, preconceituosa e até preguiçosa!

Classificação: