Resenha - A Fúria e a Aurora

Título: A Fúria e a Aurora
Título Original: The Wrath and the Dawn
Série: A Fúria e a Aurora
1 - A Fúria e a Aurora (2016)
2- A Rosa e a Adaga (2017)
Autora: Renée Ahdieh
Editora: Globo Alt
Páginas: 336
Ano: 2016
Saiba mais: Skoob
Comprar: Saraiva // Submarino // Amazon 

O primeiro e, sem sombra de dúvidas, já um dos melhores do ano.

Sinopse: Personagem central da história, a jovem Sherazade se candidata ao posto de noiva de Khalid Ibn Al-Rashid, o rei de Khorasan, de 18 anos de idade, considerado um monstro pelos moradores da cidade por ele governada. Casando-se todos os dias com uma mulher diferente, o califa degola as eleitas a cada amanhecer. Depois de uma fila de garotas assassinadas no castelo, e inúmeras famílias desoladas, Sherazade perde uma de suas melhores amigas, Shiva, uma das vítimas fatais de Khalid. Em nome da forte amizade entre ambas, Sherazade planeja uma vingança para colocar fim às atrocidades do atual reinado. 
Noite após noite, Sherazade seduz o rei, tecendo histórias que encantam e que garantem sua sobrevivência, embora saiba que cada aurora pode ser a sua última. De maneira inesperada, no entanto, passa a enxergar outras situações e realidades nas quais vive um rei com um coração atormentado. Apaixonada, a heroína da história entra em conflito ao encarar seu próprio arrebatamento como uma traição imperdoável à amiga. 
Apesar de não ter perdido a coragem de fazer justiça, de tirar a vida de Khalid em honra às mulheres mortas, Sherazade empreende a missão de desvendar os segredos escondidos nos imensos corredores do palácio de mármore e pedra e em cenários mágicos em meio ao deserto.

A Trama: Sherazade chega ao palácio de Khorasan determinada a vingar a morte de sua melhor amiga, Shiva. Porém, conforme se aproxima do califa na tentativa de descobrir sua maior fraqueza, ela vai descobrindo o homem extraordinário que se esconde por trás do monstro. 
E é aí que um livro que poderia ser apenas bom se tornou maravilhoso. A forma com que Sherazade lida com esse sentimento tão inesperado (e indesejado), com que Khalid encara essa praga que veio destruir sua vida e, principalmente, com que o romance entre os dois vai sendo construído é... Mágico. É lindo. Se eu fosse vocês nem terminava de ler a resenha antes de me jogar nesse mundo reluzente que Renée Ahdieh criou. 

Os Protagonistas: Sherazade é uma das melhores protagonistas que já conheci - daquelas que sinto vontade de ser amiga, sabem? Tenho certeza absoluta que só não seríamos melhores amigas porque eu tentaria roubar Khalid dela (hahaha). Porque gente, Khalid é irresistível... Acho que suspirarei por ele durante muito tempo ainda.
Porém, apesar de ambos serem personagens extraordinários, eles não seriam tão fascinantes se a relação entre os dois fosse diferente. Porque apesar de a história ser ambientada numa cultura bastante machista, Khalid trata Sherazade como uma igual. Mais do que o sentimento que vai crescendo a cada dia, há um respeito mútuo muito grande ali, uma admiração que vai além da vontade dos dois. E esse foi, sem dúvida, o ponto que mais me cativou no livro todo - foi o que deu uma luz especial a essa obra tão bonita. 

Os Personagens Secundários: Apesar de não chegar nem perto do crush que tive por Khalid, Jalal também me cativou bastante. Me obrigo a admitir, se os dois existissem, ele faria mais o meu tipo (hahaha). Brincadeiras à parte, em meio a toda a tensão que existia entre os protagonistas, Jalal trouxe humor e leveza à trama. Bem diferente de Tariq e Jahandar que, na minha opinião, seriam totalmente dispensáveis. 
Senti que alguns personagens poderiam ter sido melhor desenvolvidos, mas confesso que isso não me incomodou muito - correndo o risco de ser repetitiva, Shazi e Khalid são mais do que suficientes para fazer dessa uma história inesquecível.

Capa, Diagramação e Escrita:
Gente, desculpa, mas preciso ser sincera. A nossa capa é ok, a cor é bonita e tal, mas ai... A capa gringa é tão melhor!!! Esse livro tão maravilhoso merecia uma capa com mais glamour!!! A edição ficou muito simples. #prontofalei
Agora, se a edição foi simples, simplicidade passa longe da escrita da autora. A escrita de Renée Ahdieh é carregada de significado, é poética, é... Essa sim faz jus à história que carrega. Me apaixonei pela forma como a trama é narrada, quase mais do que por ela mesma - mal posso esperar pela continuação (e por outras obras dessa nova autora favorita).

Concluindo: Apesar de ter uma indicação bem entusiasmada e confiável, eu esperava apenas uma história fofa e rápida de ler. Não podia estar mais enganada. Esse livro me arrebatou, me transportou para outro mundo e ganhou meu coração. 
Honestamente, não sei o que você ainda estão fazendo aqui - comecem a leitura de uma vez!!!

Quotes:
Quando você encontra aquele que a faz sorrir como nunca sorriu antes, chorar como nunca chorou antes... não há nada a fazer senão se render.