Resenha - A Livraria Mágica de Paris

Título: A Livraria Mágica de Paris
Título Original: Das Lavendelzimmer
Autora: Nina George
Editora: Record
Páginas: 308
Ano: 2016
Saiba mais: Skoob
Comprar: Shoptime // Submarino // Americanas 

Uma linda história que peca em seu desenvolvimento.

Sinopse: O livreiro parisiense Jean Perdu sabe exatamente que livro cada cliente deve ler para amenizar os sofrimentos da alma. Em seu barco-livraria, ele vende romances como se fossem remédios. Infelizmente, o único sofrimento que não consegue curar é o seu: a desilusão amorosa que o atormenta há 21 anos, desde que a bela Manon partiu enquanto ele dormia. Tudo o que ela deixou foi uma carta — que Perdu não teve coragem de ler. Até um determinado verão — o verão que muda tudo e que leva Monsieur Perdu a abandonar a casa na estreita rue Montagnard e a embarcar numa jornada que o levará ao coração da Provence e de volta ao mundo dos vivos. Sucesso de público e crítica, repleto de momentos deliciosos e salpicado com uma boa dose de aventura, A livraria mágica de Paris é uma carta de amor aos livros — perfeito para quem acredita no poder que as histórias têm de influenciar nossas vidas.

A Trama: Alguns podem dizer que esse livro conta a história de um homem que, 21 anos depois de ter sido abandonado pelo seu grande amor, embarca em uma jornada pelo país com o objetivo de reparar os erros de seu passado.
Eu, digo que esse livro traz a história de um leitor apaixonado e sua relação com os livros. Porém, chegar a essa história linda que está escondida naquela ali de cima não é uma tarefa fácil - exige bastante paciência e muita interpretação. 
Mas vale à pena. Se a "primeira" interpretação não me conquistou muito, aquela que está escondida em suas palavras vai seguir comigo por muito tempo

Os Personagens: Não sei se o livro chegou a mim no momento errado, se não foquei nos detalhes certos ou o que... Sei que os personagens, em si, não me envolveram. A jornada de Perdu não conseguiu me cativar e, tampouco, o personagem conseguiu me convencer. 
É difícil explicar... Porque a mensagem que o livro traz tocou meu coração e realmente acho que vocês deveriam conhecê-la, mas a história principal... Sei lá, parece que ela está lá apenas para "codificar" essa mensagem.  

Capa, Diagramação e Escrita: Essa capa me deixou bem dividida, isso porque, analisando cada detalhe, ela não combina nem um pouco; porém, o todo funciona - o que é bizarro, mas enfim... Acho que no fundo ela me conquistou.
A diagramação é simples e os capítulos são curtos. No entanto, nem os capítulos curtos foram capazes de fazer a leitura fluir melhor. A escrita de Nina George, infelizmente, é bastante truncada e impediu que o livro me ganhasse completamente.

ConcluindoA história, em si, é muito bonita e o livro tem quotes extraordinários - além de ter receitas no final (que ganharam o meu coração) -, é uma pena que todo esse potencial tenha sido prejudicado pela narrativa arrastada. Porém, todavia, entretanto (haha), eu recomendo, sim, a leitura.
Recomendo uma leitura lenta, que saboreie as entrelinhas e toda a poesia que se esconde em cada página.  

Quotes:
Todos os amores. Todos os mortos. Todas as pessoas de nosso tempo. São os rios que formam nosso mar da alma. Quando não queremos nos lembrar deles, esse mar também seca.