Resenha - Só Por Uma Noite

Título: Só Por Uma Noite
Autoras: Monique e Mônica Sperandio
Editora: Novo Conceito
Páginas: 189
Ano: 2016
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon 

A leitura desse livro foi uma experiência bizarra.

Sinopse: Uma noite. Quatro amigas. Muitos segredos. Uma lista.
- Ir para um cemitério no meio da noite (✔️)
- Mudar completamente o visual (✔️)
- Descobrir um terrível segredo sobre suas amigas (✔️)
- Confessar que está apaixonada pelo seu melhor amigo (✔️)
Samanta Calliari tem vivido com medo durante a sua vida toda. Por causa disso, ela tem se privado de viver intensamente. Uma prova dessas privações é a paixão secreta que Sam tem pelo seu melhor amigo, Gustavo. Só que ela não está sozinha nessa. Suas três melhores amigas, Nat, Marina e Daphne, também sentem medo. Elas irão acompanhar Samanta na noite mais reveladora de suas vidas, onde enfrentarão seus maiores medos, devido a uma lista de desafios deixada para elas cumprirem. 
Então o que, possivelmente, poderia dar errado na tão esperada noite das quatro amigas? Quase tudo, é claro. Declarações de amor frustradas, verdades engasgadas e loucuras em cada item da lista as aguardam nessa noite.
Para sobreviver a lista de desafios e para revelar a verdade para suas amigas, Samanta vai precisar de toda a sua coragem. Mas como ela irá fazer isso se toda vez que é corajosa algo a sua volta desmorona?

A Trama: A trama de Só Por Uma Noite pareceu um mix de Gossip Girl com Pretty Little Liars. Vicky, a quinta integrante do grupo, que conhecia os maiores segredos das demais, deixou uma lista de desafios. Lista essa, que deve ser cumprida por Sam, Nat, Marina e Daphne. E é basicamente isso que você vai encontrar ao passar das páginas... As quatro se metendo em confusões e colocando a amizade à prova cada vez que um novo item é cumprido e um segredo é revelado (nossa, agora pareceu que estou narrando um filme de sessão da tarde, haha).

As Protagonistas: O livro é muito curtinho, então não tive tempo de criar uma relação muito profunda com as protagonistas. A sensação que eu tive, na verdade, foi de que eu estava lendo uma grande fofoca sobre as meninas - nada muito profundo, mas bastante divertido.

Os Personagens Secundários: Se não consegui criar uma relação muito profunda com as protagonistas, quem dirá com os boy's magias né... O que posso dizer é que aqui temos o estereótipo do garoto perfeito e instalove para dar e vender.

Capa, Diagramação e Escrita: A capa não é das mais originais, mas é bonitinha e combina com a história.
Há bastante tempo li outra obra de Monique e Mônica, então sabia mais ou menos o que esperar - apesar de as temáticas serem bastante diferentes. A escrita das autoras é leve, envolvente e muito rápida, daquelas que as páginas passam sem que você se dê conta e, apesar de não marcarem a sua vida, ajudam a passar o tempo (e também ajudam com ressacas literárias que estão te ameaçando). 

ConcluindoA história é boba? É. É cliche? Muito! Esse livro se tornou inesquecível? Não, mas ele cumpriu perfeitamente o papel a que se propôs, que era entreter - então, sem a menor sombra de dúvidas, a leitura compensa
Isso sem contar o quão bizarra foi a experiência de ler algo ambientado na minha cidade, em lugares que estou acostumada a frequentar. Acho que isso foi o que potencializou a sensação de fofoca durante a leitura - porque eu não apenas ouvi falar dos lugares citados na obra, eu os conheço e sei que esse é o tipo de história que você vai ouvir de alguma amiga que passou por lá. 
Ps: Agora, preciso fazer um comentário que apenas curitibanos vão entender, mas que está me incomodando porque não consigo ver sentido algum: cara, quem janta no Mexicano (restaurante mexicano, dã) e depois vai para o Mustang (barzinho mexicano)? 

Quotes:
Eu quero o ótimo. O extraordinário. Quero o que me faz escapar o fôlego, o que me deixa desperta nas noites quentes e abafadas de verão. Quero o impossível, o irreal, o absurdo.