Resenha - Crave a Marca

Título: Crave a Marca
Título Original: Carve the Mark
Série: Crave a Marca
1 - Crave a Marca (2017)
2 - Sem nome ainda. (2018 US)
Autora: Veronica Roth
Editora: Rocco
Páginas: 480
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Submarino

Eu gostei e pronto.

Sinopse: Num planeta em guerra, numa galáxia em que quase todos os seres estão conectados por uma energia misteriosa chamada “a corrente” e cada pessoa possui um dom que lhe confere poderes e limitações, Cyra Noavek e Akos Kereseth são dois jovens de origens distintas cujos destinos se cruzam de forma decisiva. Obrigados a lidar com o ódio entre suas nações, seus preconceitos e visões de mundo, eles podem ser a salvação ou a ruína não só um do outro, mas de toda uma galáxia.

A Trama: Antes de dar a minha opinião, um pequeno recado: vi muita gente criticando o livro por motivos que não fazem sentido pra mim (apontando racismo e etc.), então nem vou entrar nesse assunto porque não vi nada disso no livro e acho que essas pessoas estão querendo procurar coisas para reclamar.

Agora, quanto à trama... eu gostei bastante do livro! Vou assumir que estava um pouco cautelosa, porque li muitas críticas e o livro realmente começa bem confuso e até meio monótono. Mas se você tiver um pouquinho de paciência, para que a autora possa introduzir todo esse universo que ela criou, a trama vai ficando cada vez melhor até terminar em um turbilhão de emoções e cenas incríveis!
O livro se passa em uma galáxia fictícia, e seus habitantes tem certas habilidades especiais, porém logo tudo isso se torna natural na trama. Você pode esperar muitas reviravoltas, política complexa e intrigante, rebeliões inspiradoras e, é claro, o melhor tipo de romance lento. O ritmo vai e volta, sendo mais agitado em certos trechos e calmo em outros, mas tudo planejado para fazer o leitor se envolver com os personagens.

Os Protagonistas: Akos tem uma transformação palpável do início ao fim do livro, indo de um garoto medroso a um homem completo, que sempre precisa fazer o que é o certo e tentar proteger àqueles que ama. Ele foi um bom personagem, porém não chegou aos pés de Cyra. Cyra é... difícil de descrever. A garota é simplesmente incrível, possuindo uma força emocional e perspicácia que fizeram com que eu me apaixonasse por ela. A protagonista tinha aquela qualidade rara de sempre chamar a atenção, mesmo que não estivesse fazendo nada de especial, e criar momentos únicos.

Os Personagens SecundáriosGostei da maneira como a autora deu bastante espaço para as famílias dos personagens. Cada um possuía um dom e um futuro certo, e foi interessante observar como eles aceitavam ou tentavam lutar contra isso com todas as forças. Ainda, alguns personagens que pareciam sem importância no início foram se revelando e tendo papéis surpreendentes conforme a trama avançava.

Capa, Diagramação e Escrita: Essa capa é absolutamente magnífica. Adorei as cores, que são ainda mais vivas no livro físico, e a imagem combina com a trama. Ainda, essa tradução do título foi genial, porque não é uma tradução literal do título em inglês, mas ainda ficou com o mesmo som e o mesmo sentido.
A escrita da Veronica tem sim alguns defeitos, ela criou um universo enorme e complexo, porém ainda não explorou todo o seu potencial. Entretanto, os protagonistas são extremamente envolventes e ela consegue criar uma cena de tensão como ninguém. Minha única reclamação é que a narração ficou um pouco estranha porque os capítulos que se passam do ponto de vista de Cyra são em primeira pessoa, e os que se passam do ponto de vista de Akos são em terceira.

Concluindo: Não é um livro perfeito e é necessário ajustar as expectativas, porém foi um ótimo início e eu adorei esse mundo novo criado pela autora e a jornada de Cyra e Akos tentando desafiar seus destinos.