O Livro É Melhor? - Quatro Vidas de Um Cachorro

Eu não sei vocês, mas sou viciada em histórias sobre animais, então quando soube que havia um livro, do ponto de vista de um cão, indo para as telonas em breve, corri para conferir essa história!
Se você quiser ler a resenha do livro para saber mais sobre Quatro Vidas de Um Cachorro, clique aqui.

O LIVRO:

  • O livro passa por todas as quatro vidas de Bailey, mostrando o lado bom e ruim de cada uma delas. A primeira vida do cão é triste, já que ele nasce como um cão de rua que não conhece bem o amor, mas não deixa de ser cheia de ensinamentos importantes.
  • Na segunda vida do cão, provavelmente a mais importante, Bailey conhece seu verdadeiro dono, Ethan, e cresce junto com o garoto. É uma história cativante e, na maior parte, feliz, exatamente o que você espera de um livro sobre cães.
  • Bailey é um narrador absolutamente hilário, o que fica mais evidente em sua segunda vida, enquanto tenta descobrir seu propósito, mas ao mesmo tempo adquire aquelas características clássicas de cachorro, como perseguir gatos e tentar comer o máximo possível.
  • Na terceira vida de Bailey, onde ele se chama Ellie (mas ainda se considera Bailey), ele se torna um cão farejador para a polícia, recebe medalhas e é realmente um herói. Há momentos mais felizes e momentos de arrancar lágrimas, e você quase reza para que a última vida do cão seja ótima. 
  • A quarta vida de Bailey é cheia de reviravoltas e, por ter uma conexão tão forte com o cãozinho, é quando eu realmente fiquei com o coração na mão, lendo sem parar e torcendo para que o final fosse feliz. É um trecho absolutamente lindo, que mostra o melhor e o pior da humanidade quando lida com animais, e faz com que o livro inteiro tenha sentido.
  • O livro não é feliz o tempo todo, como no filme, e às vezes fica até difícil de continuar lendo por causa da crueldade humana, mas é importante para mostrar a jornada do animal de uma maneira realista.

O FILME

  • Minha principal crítica é que, para começar, o filme se chama "Quatro vidas de um Cachorro" no Brasil, mas mostra cinco, por mais que seja rapidamente.
  • A primeira vida de Bailey tem menos de um minuto no filme, simplesmente pularam essa história, mas não me importei porque essa vida é super deprimente, e o filme é mais família, então não combina mesmo.
  • Na segunda vida Bailey conhece Ethan e passa por várias aventuras com o garoto. No livro, é nessa vida que conhecemos melhor o cão e seu dono, e é quando eles conquistam o leitor. No filme, ficou tudo muito apressado, impossibilitando criar aquela conexão verdadeira com os personagens. Não ficou ruim, só pareceu muito superficial.
  • A terceira vida de Bailey, como policial, ficou ok. Poderiam ter se estendido, já que boa parte da vida do cão foi cortada, mas eu sei que o filme tem que priorizar as partes mais importantes e deu para entender um pouco do sentido da vida do cachorro ali.
  • A quarta vida de Bailey no filme simplesmente não existe no livro. Entretanto, é sua vida mais feliz, provavelmente. Nada de errado acontece, ele é fofinho do início ao fim, com uma dona que absolutamente o ama. Fica claro que foi colocado ali para mostrar que o cão teve vidas felizes, mas acho que roubou um pouco do tempo que deveria ter sido dedicado para a segunda ou terceira vida.
  • O final, na quinta vida, é semelhante ao do livro. Porém não tem o mesmo impacto, já que o filme é tão apressado que você não se apega tanto aos personagens. Ainda assim, é fofo e dá para entender tudo super bem.

Qual é melhor?
O livro desperta muito mais sentimento e consegue realmente colocar a pessoa na mente de um cachorro. O narrador é absolutamente brilhante e hilário e a trama é comovente. O filme não é ruim, só é mais superficial e tem aquele jeitinho de "sessão da tarde".

De qualquer maneira, eu chorei e ri nos dois! Absolutamente recomento essa história e achei que o autor foi genial por conseguir entrar tão bem na mente do animal. Amei.

Resenha - Os 13 Porquês

Título: Os 13 Porquês
Título Original: Thirteen Reasons Why
Livro Único.  
Autor: Jay Asher
Editora: Ática
Páginas: 256
Ano: 2009

Saiba Mais: Skoob
Comprar: Amazon // Saraiva 

Você não sabe o impacto que tem na vida dos outros. Tudo afeta tudo.

SinopseAo voltar da escola, Clay Jensen encontra na porta de casa um misterioso pacote com seu nome. Dentro, ele descobre várias fitas cassetes. O garoto ouve as gravações e se dá conta de que elas foram feitas por Hannah Baker, uma colega de classe e antiga paquera, que cometeu suicídio duas semanas atrás. Nas fitas, Hannah explica que existem treze motivos que a levaram à decisão de se matar. Clay é um desses motivos. Agora ele precisa ouvir tudo até o fim para descobrir como contribuiu para esse trágico acontecimento.

A TramaHannah Baker cometeu suicídio e deixou 7 fitas cassete endereçadas à 13 pessoas, cada lado das fitaa revelando qual a parte delas ao fazê-la tomar essa decisão. Esse livro sempre mexeu muito comigo desde a primeira vez que o li (essa foi a 5ª), e esses sentimentos sempre voltam cada vez que o leio, por isso é um dos meus favoritos. É um daqueles livros que te faz olhar as pessoas a sua volta de forma diferente, te faz repensar seus atos, te faz querer ajudar alguém. A vida de Hannah virou uma bagunça quando ela teve seu primeiro beijo e vários boatos infundados surgiram a partir daí. Como a própria Hannah diz, é o efeito bola de neve, uma coisa não teria acontecido sem a outra. "Tudo afeta tudo".
No quesito literário, é um livro intrigante e instigante, que lemos muito rápido porque queremos saber todos os motivos de terem feito a vida de Hannah descer ladeira abaixo, o que realmente a fez se matar. Já li muitos comentários de pessoas dizendo o quanto esse livro salvou a vida delas, então, sim, esse é um livro para pessoas que estão sofrendo como a Hannah, e esse é um livro para as pessoas ao redor terem mais consciência dos seus atos e também prestarem atenção naquele colega de escola/faculdade/trabalho/vida que era super pra cima e de repente teve uma mudança brusca de comportamento. Essa mudança teve um motivo, e simplesmente ter alguém com quem se abrir sem receios faz uma diferença enorme.

Resenha - Uma Pequena Mentira

Título: Uma Pequena Mentira
Título Original: One Tiny Lie
Série: Ten Tiny Breaths
1 - Respire (2016)
2- Uma Pequena Mentira (2017)
3- Four Seconds to Lose (2013 US)
4- Five Ways to Fall (2014 US)
Autora: K. A. Tucker
Páginas: 352
Saiba mais: Skoob
Comprar: Submarino // Amazon

Fofinho, engraçado e caliente.

Sinopse: Livie, a mais centrada das irmãs Cleary, segurou as pontas após a morte dos pais num acidente em que Kacey, a mais velha, foi a única sobrevivente, e cuidou da irmã quando ela caiu em depressão. Aos poucos, Kacey superou seus traumas e encontrou a felicidade, enquanto Livie se dedicava aos estudos. Agora, no segundo do livro da série de sucesso Ten Tiny Breaths, K. A. Tucker joga o foco de sua envolvente narrativa sobre a caçula. Livie acaba de ingressar na tradicional Universidade de Princeton e está pronta para viver as emoções típicas de uma caloura, o que inclui frequentar as festas no campus, fazer novos amigos e encontrar um namorado bacana com quem possa tecer planos para o futuro. Ela só não esperava se envolver justamente com um cara como Ashton Henley, o capitão do time de remo com fama de garanhão. Com medo de ser apenas mais uma na lista de conquistas de Ashton, Livie tenta agir com a razão, como sempre fez. Mas até que ponto vale a pena dominar seus sentimentos por medo de se machucar?

A Trama: Começando pela relação entre os livros, Uma Pequena Mentira conta a história de Livie, irmã da protagonista do livro anterior. Apesar de um livro se passar algum tempo após o outro, você pode ler como se fosse um livro único, sem problema algum.
Em geral eu adorei a trama. Tem algumas brigas, muitos beijos quentes e tudo o que você pode querer de um romance contemporâneo. A trama é sim previsível, porém gosto de pensar que com livros de romance não é sobre o final, e sim a jornada até lá, e a jornada em Uma Pequena Mentira é absolutamente deliciosa.
Um dos poucos probleminhas que tive com a trama foi que, lá para o final, Connor parece ter tomado atitudes que não combinavam com a personalidade dele e acho que a autora fez de propósito para que o leitor parasse de "gostar" dele, porém ficou meio forçado. Não foi algo que me incomodasse muito, mas merece atenção.
Mais do que qualquer outra coisa, achei o livro engraçado. É do tipo repleto de cenas divertidas em que você tem vontade de rir alto das situações em que os personagens se metem.

Playlist - O Sol Também É Uma Estrela

Playlist é a coluna onde vamos relacionar livros com músicas que nos lembram da trama, personagens, de uma cena específica ou algum outro aspecto do livro. É uma ótima sugestão de trilha sonora para quem vai ler e também é divertido para conhecer músicas novas!

Em O Sol Também É Uma Estrela os personagens tem uma relação bem especial com a música - principalmente a protagonista, Tasha. Se ainda você não conhece o livro, clique aqui para ver a resenha.


Infelizmente, preciso admitir que há várias referências a músicas ao longo da trama, e sim, eu roubei um pouquinho (haha).

Owl City - When Can I See You Again? 

Essa música combina muito com a vibe do livro! Essa coisa de não saber o que vai acontecer depois que aquele dia acabar e quando eles vão conseguir se encontrar outra vez.

Don't close your eyes
'Cause your future's ready to shine
It's just a matter of time
Before we learn how to fly
Welcome to the rhythm of the night
There's something in the air you can't deny
Let me know before I wave goodbye
When can I see you again?

Resenha - O Sol Também É Uma Estrela


Título: O Sol Também É Uma Estrela
Título Original: The Sun Is Also a Star
Autora: Nicola Yoon
Editora: Arqueiro
Páginas: 288
Ano: 2017
Saiba mais: Skoob
Comprar: Saraiva // Amazon // Submarino 

Um livro que vai te fazer suspirar. 

Sinopse: Natasha: Sou uma garota que acredita na ciência e nos fatos. Não acredito na sorte. Nem no destino. Muito menos em sonhos que nunca se tornarão realidade. Não sou o tipo de garota que se apaixona perdidamente por um garoto bonito que encontra numa rua movimentada de Nova York. Não quando minha família está a 12 horas de ser deportada para a Jamaica. Apaixonar-me por ele não pode ser a minha história.
Daniel: Sou um bom filho e um bom aluno. Sempre estive à altura das grandes expectativas dos meus pais. Nunca me permiti ser o poeta. Nem o sonhador. Mas, quando a vi, esqueci de tudo isso. Há alguma coisa em Natasha que me faz pensar que o destino tem algo extraordinário reservado para nós dois.
O Universo: Cada momento de nossas vidas nos trouxe a este instante único. Há um milhão de futuros diante de nós. Qual deles se tornará realidade?

A Trama: Não quero falar sobre a trama - quero que ela surpreenda a vocês, assim como me surpreendeu. Quero que sua leitura seja tão especial como foi para mim. E se eu falar, parte da mágica dessa história vai se perder... Preciso exigir um pouco demais de vocês e pedir para que confiem em mim. 
Quero guardar esse clichê inesperado e surpreendente bem guardadinho no meu coração e carregar comigo para todos os lugares, e não é qualquer livro que desperta essa possessividade em mim. Na verdade, são bem poucos. São apenas os melhores. 

Resenha - A Caminho do Azul Sereno

Título: A Caminho do Azul Sereno
Título Original: Into the Still Blue
Série: Never Sky
1- Sob o Céu do Nunca (2015)
2- Pela Noite Eterna (2016)
3- A Caminho do Azul Sereno (2017)
Autora: Veronica Rossi
Editora: Rocco
Páginas: 352
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Submarino

Um bom desfecho.
Atenção: Essa resenha não contém spoilers dos livros anteriores, exceto na sinopse.

Sinopse: Aria e Perry estão determinados a encontrar o Azul Sereno, o último refúgio contra as tempestades de éter, cada vez mais constantes no mundo em que vivem. Mais do que o amor proibido que os mantém ligados, eles precisam unir Forasteiros e Ocupantes se quiserem sobreviver, e salvar a vida daqueles que amam. Sem escolha e determinados a permanecerem juntos, contra todas as probabilidades, os dois protagonistas partem para a mais perigosa de suas aventuras, que não só colocará à prova seu amor, coragem e capacidade de liderança, como também exigirá grandes sacrifícios. Será que eles estão preparados para a jornada A caminho do Azul Sereno?

A Trama: Após dois livros trabalhando na trama principal sobre o que estava acontecendo no mundo em Never Sky, finalmente conseguimos ver o desfecho e descobrir se há um lugar seguro ou não. 
Eu achei que, de todos os livros, esse foi o que teve menos desenvolvimento na trama - parecia uma luta sem fim. Por outro lado, gostei que a autora não tornou as coisas fáceis, cada conquista veio com seu preço e isso foi muito realista. Ainda, as diferenças entre os Forasteiros, pessoas que viveram suas vidas aprendendo a sobreviver como antigamente, e os Ocupantes, uma parcela da população que tinha muitas facilidades e tecnologia ao seu dispor, foram intrigantes e muito bem exploradas.
Só acho importante deixar um porém: esse livro foi lançado nos Estados Unidos naquela época da "moda das distopias", então para quem já leu muitos livros nesse estilo, a trama pode parecer bem repetitiva.

Resenha - Os Molambolengos

Título: Os Molambolengos
Livro Único
Autor: Evangeline Lilly
Editora: Aleph 
Páginas: 48
Ano: 2015
Saiba mais: Skoob
Comprar: Saraiva \\  Fnac

Existe alguma mágica em livros de ilustrações infantis!

Sinopse: Selma é uma garotinha esperta, mas muito mimada. Um dia Selma encontra, por acaso, uma colorida banda de marionetes, Os Molambolengos, que vão ensiná-la que nem sempre as coisas acontecem do jeito que ela quer. Evangeline Lilly é mais conhecida por seu trabalho como atriz, mas sua paixão mais antiga é a escrita. Os Molambolengos é seu primeiro livro. Ilustrado por Johnny Fraser-Allen, essa excêntrica e visualmente encantadora fábula vai agradar tanto crianças quanto adultos.


A Trama: Quando Selma se perde em um antigo parque de diversões, uma carroça misteriosa e assustadora chama sua atenção, ao se aproximar uma voz acolhedora e obscura á convida para assistir o "Molambolengos Show", apesar de sentir medo, Selma se desafia a descobrir o que demais acontece alí....(ok, não resisti a uma rima tosca, por que todo o texto do livro é rimado, haha!)

Pilha de Leitura da Luh #37

Resumindo: li MUITOS livros.
Se você não conhece a Pilha de Leitura, é uma coluna em que nós vamos falar um pouquinho sobre os próximos livros que pretendemos ler, como está indo nosso ritmo, quais livros gostamos, e quais não, e muito mais. Está sem paciência para ler resenhas? Aproveite, aqui eu faço um resuminho.

A Última Pilha:


Começando pelas livros físicos!

Do Livro Pra Panela - Chocolate Quente

Sabe quando você está lendo um livro e, de repente, o personagem aparece comendo algum prato tão sensacional que te dá água na boca? Em Do Livro pra Panela vamos trazer receitas - rápidas e fáceis, daquelas que qualquer um consegue fazer - inspiradas nesses momentos.

Sim, eu ainda não superei a nova adaptação de A Bela e A Fera e sim, vocês terão overdose dessa história! A história da garota viciada em livros que abre mão de sua liberdade para salvar o pai e acaba se apaixonando pela Fera que a mantém prisioneira é maravilhosa demais! É um dos meus contos de fadas favoritos da vida e se tornou ainda mais especial depois que eu finalmente conheci sua versão original. E, se você ainda não leu o livro, clique aqui para ler a resenha.


Foto retirada do blog Na Estante por Michella Souza

Em um dos momentos do livro em que Bela mais precisava de conforto, surgiu em sua mesinha de cabeceira uma badeja com um serviço de Chocolate Quente - depois de tomá-lo, ela mergulhou em um sono profundo e relaxante. E eu, depois de ler essa cena, não consegui sossegar antes de encontrar uma receita deliciosa dessa bebida tão aconchegante para trazer para vocês!


O Livro É Melhor? - Cujo

Em "O Livro É Melhor?" vamos comparar alguns livros às suas adaptações, sejam filmes ou séries de tv, e explicar um pouquinho sobre suas diferenças para, no final, escolher um vencedor!

Hoje eu vou falar um pouco sobre essa história de Stephen King, que eu terminei de ler no início do mês passado e vocês podem conferir a resenha aqui.


O LIVRO

  • O livro começa com Tad amedrontado pelo "monstro no armário", logo depois mostrando Cujo perseguindo um coelho e tentando se enfiar em um buraco para pegar o animal, o que resulta em seu focinho sendo mordido por um morcego com raiva que estava lá dentro.
  • Uma das coisas que mais gosto no livro é o ponto de vista de Cujo, porque podemos ver o quanto o cachorro está sofrendo com aquela doença e como ele quer muito que isso pare.
  • Os personagens não me interessaram exatamente, mas eles foram bons para contar a história. Temos tanto o ponto de vista do drama da família Trenton, quanto o da família Camber ao longo da história, sendo que o da última é um pouco cansativo por não acrescentar quase nada à história.
  • Uma das coisas que mais me irritaram no livro foram as páginas e mais páginas destinadas a falar sobre a crise na agência publicitária em que Vic trabalha, aquilo foi entediante pra caramba.
  • O ápice da história é quando Donna e Tad finalmente ficam presos no carro com Cujo ameaçando-os do lado de fora. As cenas são bem tensas e me fizeram ficar sem ar como os personagens.

O FILME

  • O início é basicamente como o do livro, apesar de não acrescentar a mesma aura sombria que a escrita do King apresenta.
  • Como é de se esperar, há algumas alterações no roteiro, sendo que algumas me incomodaram um pouco por não demonstrar exatamente os sentimentos dos personagens (como a relação de Donna com Steve Kemp), e outras foram até bem vindas, já que não passamos muito tempo falando sobre a agência de Vic ou acompanhando os Camber no filme.
  • Outra coisa que não me agradou muito no filme foi terem logo apresentado Cujo como o "cão raivoso" e "vilão" da história, sem mostrarem como ele era bem dócil antes. É compreensível que num filme não há tanto tempo para esse tipo de desenvolvimento, mas tenho certeza que com um pouquinho de esforço teriam conseguido passar ao telespectador o mesmo sentimento por Cujo que o livro consegue passar ao leitor.
  • As cenas do carro são boas, mas estão longe de passar toda a tensão que o livro consegue. São muitos jump scares e Donna não é tão esperta quanto no livro.
  • Vi muitos comentários falando o quanto o menininho (Tad) foi irritante nesse momento, mas achei a reação dele bem coerente e fiquei até surpresa com atuação do menino (embora eu ache que ele tenha ficado assustado de verdade, porque aquele desespero dele foi agoniante de assistir).
  • Um acontecimento no final foi alterado, acho que por terem ficado com medo de acabar a história de tal forma. Prefiro o final dado pelo autor no livro, mais corajoso.
  • É um filme do início dos anos 1980, então já saibam que os efeitos não são exatamente espetaculares, mas estou impressionada com o que conseguiram fazer com o cachorro (o melhor ator de longe).

Qual é melhor?
Embora eu também não tenha sido a maior fã do livro, ele consegue superar incontáveis vezes o filme no quesito tensão e envolvimento do público nessa parte. O filme é daquelas adaptações que não incomodam muito quem leu o livro, mas está longe de se comparar à obra original.

E vocês, já viram ou leram Cujo? Pretendem? Compartilhem suas opiniões comigo!

Resenha - A Anatomia de um Coração

Título: A Anatomia de um Coração
Título Original: The Anatomical Shape of a Heart
Livro Único
Autora: Jenn Bennett
Editora: Plataforma 21
Páginas: 340
Ano: 2016
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Submarino

Sinopse: Beatrix se sente num limbo quando o assunto é relacionamento. Estranha demais para os esportistas, não estranha o suficiente para os geeks. O fato é que ela é uma jovem artista, mas geralmente os rapazes se assustam com um detalhe: seu talento peculiar em fazer ilustrações da anatomia humana. E, na real, ela não está nem um pouco preocupada em se encaixar num padrão. Determinada a ser uma grande ilustradora, ela sabe muito bem o que fará nas férias de verão antes de concluir o Ensino Médio: seguir os passos de grandes mestres como Leonardo da Vinci, ou seja, desenhar cadáveres de verdade. Contudo, enquanto tenta se infiltrar nas aulas de anatomia da universidade, Beatrix conhece um rapaz misterioso que vira seus planos de cabeça para baixo. Jack é encantador, irresistivelmente atraente e... um dos grafiteiros anônimos mais procurados de São Francisco. Entre passeios noturnos, fugas da polícia e palavras douradas dominando a cidade, ela começa a desvendar quem Jack realmente é, assim como o grande segredo escondido sob sua melancolia. E Beatrix também precisa enfrentar os próprios fantasmas, como os problemas financeiros, o pai ausente e a solidão. Numa paixão irreprimível, os dois vão descobrindo um ao outro – e como transformar essa profusão de sentimentos em expressão, arte e amor.


Resenha - Universos Afins

Título: Universos Afins
Título Original: Kindred Spirits
Livro Único.  
Autor: Rainbow Rowell
Editora: Novo Século
Páginas: 96
Ano: 2017

Saiba Mais: Skoob
Comprar: Amazon // Saraiva // Submarino

SinopseEstar numa fila não é uma situação das mais agradáveis. Porém, para a jovem Elena, acampar na frente do cinema só para acompanhar a estreia do mais novo Star Wars é nada menos que uma grande jornada. O problema é que em dias de internet (e compras de ingressos on-line), essa vibe de fila não é compartilhada por muitos outros fãs. Ao chegar ao cinema, dias antes da estreia, só há mais duas pessoas ali acampadas: Gabe e Troy, que entendem a fila como um ritual obrigatório para tornar aquela experiência algo realmente memorável. Universos afins é um saboroso conto geek sobre expectativas e sobre compartilhar paixões. Rainbow Rowell mais uma vez apresenta uma obra inocente e engraçada, com aquela pontinha de nostalgia que nos deixa com um nó na garganta, como há muito tempo atrás, numa galáxia muito, muito distante.

A TramaA sinopse já diz o suficiente sobre a trama, então vou me concentrar no que eu achei de tudo, já que é um conto com menos de 100 páginas. A leitura é bem rápida e, apesar de ser um conto, está longe de ser superficial. Nesse pouco tempo (ou quatro dias em que Elena passa na fila com aqueles desconhecidos), conseguimos nos envolver com os personagens e ficar curiosos sobre alguns "plots" que surgem durante conversas e que eu gostaria muito de ver serem desenvolvidos em um romance. Eu só assisti aos episódios III e IV de Star Wars, mas ainda assim consegui me divertir muito com a leitura.

Resenha - Sempre Haverá Você


Título: Sempre Haverá Você
Título Original: Us Minus Mum
Autora: Heather Butler
Editora: Novo Conceito
Páginas: 256
Ano: 2017
Saiba mais: Skoob
Comprar: Saraiva // Amazon

Uma história simples e cativante. 

Sinopse: A mãe do George e do Theo é genial. Ela conta histórias incríveis, acena mais rápido do que qualquer pessoa do planeta e, o mais importante, foi ela que sugeriu que eles adotassem um cachorro porcalhão chamado Goffo. Os meninos acham que ela é invencível. Mas eles estão errados. Porque a mamãe está doente. E cabe ao George e ao Theo fazer a mamãe continuar sorrindo. O que, muito provavelmente, vai envolver galochas, tortas de carne e a participação do Goffo no Concurso de Talento Animal...
Agora que a mamãe ficou doente, está cada vez mais difícil sorrir e inventar versos com o Theo. Sempre haverá você conta sobre uma família diferente da sua, mas um pouquinho parecida. E de um menino que está aprendendo algumas coisas. Você quer ser amigo dele?

A Trama: Sob os olhos de George, um garotinho de 10 anos, Sempre Haverá Você apresenta ao leitor a rotina de uma família comum - e então tudo muda quando eles descobrem que a mãe está sofrendo de uma doença bastante séria
E, ver essa mudança através do ponto de vista de uma criança tão pequena  e ingênua, que apesar de ter alguma noção do que está acontecendo, não consegue entender o real impacto que aquilo terá na sua vida, é bastante difícil. Porque George continua se divertindo com pequenas coisas, valorizando momentos simples e alegrias bobas... Mas, ao mesmo tempo, ele se preocupa com o que irá acontecer com sua mãe, sofre por perceber que ela está mudando e já não é mais a mesma. E então ele fica perdido, sem saber o que fazer para que as coisas voltem a ser como antes.
Me envolvi muito com a história, e em diversos momentos me flagrei querendo pegar George e Theo (seu irmão mais novo) no colo e dizer que tudo ficaria bem - mesmo sabendo que talvez isso não fosse verdade. 

Lançamentos de Março #3

Mais um dia com os lançamentos de março, e hoje veremos o que está saindo pelas editoras Plataforma21, Intrínseca e Seguinte.

O Beijo do Vencedor - Marie Rutkosk - Plataforma21

A guerra começou. Arin está à frente dela com novos aliados e o império como inimigo. Embora tenha convencido a si mesmo de que não ama mais Kestrel, Arin ainda não a esqueceu. Mas também não consegue esquecer como ela se tornou o tipo de pessoa que ele despreza. A princesa se importava mais com o império do que com a vida de pessoas inocentes – e, sem dúvida, menos ainda com ele.
Pelo menos é o que Arin pensa.
Enquanto isso, no gélido norte, Kestrel é prisioneira em um campo de trabalhos forçados. Ela deseja desesperadamente escapar. Deseja que Arin saiba o que sacrificou por ele. E deseja fazer com que o império pague pelo que fizeram a ela.
Mas ninguém consegue o que quer apenas desejando.
Conforme a guerra se intensifica, Kestrel e Arin descobrem que o mundo já não é mais o mesmo.
O oriente está contra o ocidente, e os dois se encontram no meio de tudo isso. Com tanto a perder, é possível alguém realmente ser o vencedor?
Numa narrativa tão empolgante quanto sensível, a difícil paixão entre Kestrel e Arin alcança um novo patamar. O beijo do vencedor é o grande final da Trilogia do Vencedor.

O Mistério dos Cavalos Alados - Megan Shepherd - Plataforma21

Nosso mundo tem cores. Você só precisa saber onde procurar.
Existem cavalos alados nos espelhos do Hospital Briar Hill – esses espelhos refletem os elegantes quartos que já pertenceram a uma princesa, mas que agora são o lar de crianças doentes. Somente Emmaline pode enxergá-los. Este é o seu segredo.
Certa manhã, a menina escala o muro dos jardins abandonados do hospital e descobre algo incrível: um cavalo branco com a asa quebrada que deixou o mundo dos espelhos e invadiu a realidade.
Esse cavalo branco – uma égua chamada Lume de Luar – está se escondendo de uma força sombria e sinistra: o Corcel Negro. Para Emmaline mantê-lo longe de sua nova amiga, ela precisa rodear Lume de Luar com tesouros de tons brilhantes. Mas como a menina encontrará cor em um mundo tão cinzento?
Ambientado durante a Segunda Guerra Mundial, O mistério dos cavalos alados traz uma prosa que se aproxima do lirismo e, assim como O jardim secreto e A princesinha, já pode ser considerado um clássico. Um livro que será amado por muitas gerações.
Esse cavalo branco – uma égua chamada Lume de Luar – está se escondendo de uma força sombria e sinistra: o Corcel Negro. Para Emmaline mantê-lo longe de sua nova amiga, ela precisa rodear Lume de Luar com tesouros de tons brilhantes. Mas como a menina encontrará cor em um mundo tão cinzento?
Ambientado durante a Segunda Guerra Mundial, 'O mistério dos cavalos alados' traz uma prosa que se aproxima do lirismo e, assim como 'O jardim secreto' e 'A princesinha', já pode ser considerado um clássico. Um livro que será amado por muitas gerações.

O Livro é Melhor? - A Bela e A Fera

Em "O Livro É Melhor?" vamos comparar alguns livros às suas adaptações, sejam filmes ou séries de tv, e explicar um pouquinho sobre suas diferenças para, no final, escolher um vencedor!

Aproveitando esse clima de estreia maravilhoso que dominou o mundo, hoje eu (May) escolhi A Bela e A Fera (versão original) - se alguém quiser ler a resenha pode conferir aqui. E como eu sei que vocês também devem querer comparações entre o desenho (1991) e o filme (2017), ambos da Disney, fui muito legal e incluí ele aqui.

O LIVRO:

  • A trama começa com a história da família de Bela e, quando conhecemos a Fera, ela já está sob o efeito da maldição - de modo que apenas no final descobrimos sua verdadeira origem.
  • Bela, na versão original, possui 5 irmãs e 6 irmãos, sendo a filha mais nova de um comerciante que foi à falência e por isso se mudou para o interior.
  • Todos tem uma profunda admiração por Bela, uma menina doce e altruísta - exceto suas irmãs invejosas.
  • Gostei muito da justificativa que foi dada para a maldição, ela foi bem desenvolvida e me convenceu.
  • No final, muitas informações são jogadas em poucas páginas, tudo parece muito apressado e até mesmo confuso.
  • O livro é bem envolvente, e eu gostei bastante, mas a história podia ser melhor desenvolvida e mais detalhada.

Resultado de imagem para a bela e a fera 1991 poster

O DESENHO

  • Aqui, a história começa com a maldição sendo lançada, assim sabemos que a Fera é um príncipe desde o início.
  • Bela é a única filha de um inventor um tanto quanto maluco, e é considerada esquisita por toda a cidade, exceto Gaston.
  • O pai de Bela é atacado por lobos na estrada e, durante a fuga vai parar no castelo da Fera que, quando o descobre, o faz prisioneiro.
  • O desenho é um clássico, sou e sempre serei apaixonada por ele, os personagens são muito fofos e as músicas maravilhosas. 
  • É preciso levar em consideração que essa adaptação é datada de 1991, e a sociedade mudou bastante nesses anos que passaram.





O FILME

  • Potterheads que me desculpem, Emma Watson nasceu para ser Bela! Não consigo imaginar nada que a faria mais perfeita.
  • Dan Stevens está sensacional como Fera! E é incrível como, mesmo por trás de toda aquela "máscara", é possível identificar semelhanças entre os traços do ator e da Fera.
  • Que fotografia incrível! Disney sendo Disney né... O filme ficou visualmente maravilhoso!
  • Gostei muito que aqui, assim como no livro, o pai de Bela se torna prisioneiro da Fera apenas quando vai "roubar" a rosa que a filha lhe pediu.
  • Agora, diferente do livro e do desenho, no filme, a inteligência da Fera não foi afetada pela maldição - um ponto que achei muito positivo. Sempre é bom valorizar a inteligência né!
  • Pequenas mudanças foram feitas entre o desenho e o filme, mas, na minha opinião, quase todas vieram somente para melhorar a história. 
  • Quase todas porque, uma das minhas partes favoritas do final - aquela em que a lágrima de Bela quebra a maldição - foi um pouco alterada, e isso não me deixou muito feliz.
  • É nítido o quanto o empoderamento feminino está presente nesse filme. Algumas frases e cenas do desenho foram sutilmente alteradas, mas fizeram toda a diferença. Bela se tornou uma personagem muito mais inteligente e corajosa.
  • As cenas emblemáticas do desenho são reproduzidas fielmente e ficaram ainda melhores.
  • Menção honrosa para LeFou (Josh Gad), que me fez dar muitas risadas.
Qual é melhor?
Acho que ficou bem óbvio o quanto me apaixonei pela nova adaptação né? Vi muitas críticas horríveis sobre ele, e não consigo entender a razão de nenhuma delas! Os atores estão extraordinários e a fidelidade com que minhas cenas favoritas foram reproduzidas mexeu com meu coração. Gostei bastante do livro e o desenho sempre terá um lugar muito especial no meu coração, mas o filme é melhor. 

E vocês, já assistiram à nova adaptação? Pretendem? Compartilhem suas opiniões comigo!

Resenha - Os Lendários Heróis de Green Wood

Título: Os Lendários Heróis de Green Wood
Série: Os Guardiões do Cálice de Fogo
1 - Os Lendários Heróis de Green Wood (2015)
Autor: Alex Godoi
Páginas: 160
Saiba mais: Skoob
Comprar: Cultura // Editora Scortecci

Para quem desejar, o primeiro capítulo está disponível online aqui!

Sinopse: Em uma terra distante chamada Green Wood, quatro jovens aventureiros são vítimas dos ataques sofridos em seus vilarejos pelo general Latril e seu maldito exército.
Forjados na dor pela morte de seus familiares, com ajuda de três amigos, o destino os unirá e, fortalecidos pela amizade, buscarão o paradeiro do assassino para o acerto de contas.
Em meio à aventura, abordados inesperadamente pelo bardo Fenrir, os jovens serão levados à épica missão de retomar a fortaleza dos guardiões (o Santuário) da tirania do imperador das trevas.
Os jovens aventureiros se encontrarão no meio de sete guardiões do cálice de fogo liderados na batalha pelo druida Guillian. A jornada os levará ao desconhecido, por terras repletas de elfos, anões, grifos, centauros, cães infernais, sereias, gnomos, homens-lagartos, polvos gigantes, feiticeiros, uma aventura de tirar o fôlego!
Conseguirão os guardiões reaver sua fortaleza e deter o mal que ameaça a paz em Green Wood? Os jovens aventureiros terão êxito em sua busca? Será feita justiça com o sangue inocente derramado? 
Nesta fantástica aventura, valores como amizade e fidelidade, e a contraposição entre o bem e o mal, a razão e o coração definirão o futuro dos reinos de Green Wood.

A Trama: O livro lembra muito um jogo de RPG. Temos uma profecia, um grupo de heróis, "classes" como rangers e magos, tudo lembra um RPG. Os capítulos são separados como se fossem missões e o grupo sempre acaba se metendo em confusões, o que resulta em muitas cenas de luta. Por ser um livro curto, as cenas são rápidas e os heróis logo seguem para a próxima parte de sua jornada.
Apesar de divertidos, achei os capítulos um pouco repetitivos, como se todos seguissem um mesmo roteiro. Senti falta de mais cenas lentas, daquelas onde todos simplesmente interagem, sem a necessidade de uma grande luta ou perigo de vida.
O final seguiu a mesma linha que o resto da trama, porém já preparando o leitor para o próximo livro da série.

Resenha - Matéria Escura

Título: Matéria Escura
Título Original: Dark Matter
Livro Único.  
Autor: Blake Crouch
Editora: Intrínseca
Páginas: 352
Ano: 2017

Saiba Mais: Skoob
Comprar: Amazon // Saraiva // Submarino

Sinopse"Você está feliz com a sua vida?"
Essas são as últimas palavras que Jason Dessen ouve antes de acordar num laboratório, preso a uma maca. Raptado por um homem mascarado, Jason é levado para uma usina abandonada e deixado inconsciente. Quando acorda, um estranho sorri para ele, dizendo: “Bem-vindo de volta, amigo.”
Neste novo mundo, Jason leva outra vida. Sua esposa não é sua esposa, seu filho nunca nasceu e, em vez de professor numa universidade mediana, ele é um gênio da física quântica que conseguiu um feito inimaginável. Algo impossível. Será que é este seu mundo, e o outro é apenas um sonho? E, se esta não for a vida que ele sempre levou, como voltar para sua família e tudo que ele conhece por realidade?
Com ritmo veloz e muita ação, Matéria escura nos leva a um universo muito maior do que imaginamos, ao mesmo tempo em que comove ao colocar em primeiro plano o amor pela família. Marcante e intimista, seus múltiplos cenários compõem uma história que aborda questões profundamente humanas, como identidade, o peso das escolhas e até onde vamos para recuperar a vida com que sonhamos.

A TramaNo mundo de Jason Dessen, ele é um professor de física numa faculdade, talvez um pouco frustrado, mas que não se arrepende das decisões que tomou para ficar com sua esposa e filho. Numa noite, voltando de um bar, Jason é sequestrado, levado para um galpão abandonado e deixado inconsciente para acordar rodeado de pessoas que ele não conhece, em um lugar em que ele nunca esteve. Mas todos parecem conhecê-lo e estarem ansiosos por sua volta. Aos poucos, ele descobre que para aquelas pessoas ele é Jason Dessen, gênio da física quântica e responsável por uma das maiores descobertas da humanidade. Agora tudo o que Jason quer é encontrar uma forma de voltar para casa e para sua família, mesmo que isso pareça impossível quando ele descobre que esse pode nem ser o seu mundo.
Matéria Escura é um livro muito esquisito e muito bom! Desde o início da leitura, tudo o que você quer fazer é continuar lendo para saber o que está acontecendo. É uma história que prende o leitor e faz com que ele se divirta apenas criando teorias sobre o que está acontecendo enquanto lê. E quando finalmente conseguimos colocar as peças juntas, tudo fica ainda melhor! Mesmo sendo um livro com muita coisa sobre física quântica, é bem simples acompanhar a história, já que o autor se preocupou em explicar essas coisas para todos nós que não entendemos nada do assunto. Acaba sendo tudo muito interessante e também um pouco assustador imaginar todas aquelas possibilidades. Os acontecimentos finais são do tipo que deveriam ser previsíveis, mas que acabaram me pegando completamente de surpresa, e foi uma loucura maravilhosa acompanhar tudo.

Terça do Top #113

Top 7 Adaptações Literárias de 2017

Já fizemos alguns tops aqui no Fome sobre adaptações literárias, mas hoje estou aqui para falar sobre aquelas pelas quais eu mal posso esperar - e que tem previsão de estreia para 2017.

É claro que eu iria começar pelo meu queridinho, que estreia essa semana, dia 16/03, e pelo qual estou contando os minutos. 
Com Emma Watson e Dan Stevens interpretando os protagonistas, as expectativas para essa refilmagem da Disney estão altíssimas. E gente, sendo bem parcial agora, apesar de todas as críticas negativas que já li, não acredito que tenha como o filme ser ruim. É Disney, é A Bela e a Fera, tem Emma Watson e a fotografia está maravilhosa. Ainda que não seja tudo aquilo pelo que esperamos, vamos combinar que, de qualquer forma, o filme vai ser lindo e isso já basta.
Resultado de imagem para before i fall poster

Antes Que Eu Vá
Apesar de lá fora o filme já ter estreado, a previsão aqui no Brasil é apenas para maio. 
O filme é a adaptação do livro de mesmo nome, da autora Lauren Oliver. Na história, Samantha, uma daquelas adolescentes populares e terríveis, morre em um acidente terrível. E então acorda no dia seguinte, e se vê obrigada a reviver o dia de sua morte.  Repetidamente. 
Ainda não tive a chance de ler o livro, mas pretendo fazê-lo antes de assistir ao filme, pelo qual estou bem curiosa.

Resultado de imagem para extraordinário filme
Extraordinário
Também com estreia prevista para maio, temos Extraordinário. O livro conta a história de Auggie, um garotinho que sofre com uma deformidade facial bem séria e quer apenas ter uma vida normal.
A história é linda e comovente, e acredito que o filme não irá decepcionar - ainda mais se levarmos em consideração o elenco, que conta com Jacob Tremblay, no papel principal, e Julia Roberts, e Owen Wilson interpretando os pais de Auggie.

Resultado de imagem para tudo e todas as coisas filme
Ainda sem data de estreia definida, mas com previsão para junho, acho que esse é o segundo filme mais aguardado por mim esse ano.
O livro, que conta a história de Maddy e Olly, me surpreendeu e ganhou meu coração. Isso sem contar que a protagonista será interpretada pela fofíssima Amandla Stenberg, a Rue de Jogos Vorazes. 
O trailer já foi divulgado e está maravilhoso, vamos torcer para a adaptação manter o mesmo nível e não decepcionar.

Resultado de imagem para elle fanning e jennifer niven
Apesar de saber que essa é uma obra que conta com uma legião de fãs, confesso que esse não é um livro que me conquistou muito. Porém, durante a Bienal de 2016, Jennifer Niven foi tão fofa que apaguei da minha mente o quando a leitura me incomodou e estou ansiosíssima pelo filme.
A própria autora está cuidando do roteiro e Elle Fanning já  foi confirmada no papel da protagonista, Violet. Porém, o filme ainda não tem data de estreia confirmada, apenas uma previsão para o final do ano.
Resultado de imagem para 13 reasons why série

Os 13 Porquês
O livro favorito da Tay foi adaptado pela Netflix, e tem estreia marcada para dia 31/03.
A obra conta a história de Hannah, uma garota que acabou de cometer suicídio e deixou um pacote de fitas com as treze razões pelas quais ela tomou a decisão extrema de por fim à própria vida. 
Confesso que ainda não consegui ler o livro, mas pretendo fazê-lo o quanto antes, para poder assistir à série produzida por Selena Gomez assim que ela for liberada.

Resultado de imagem para objetos cortantes amy adams
Objetos Cortantes é o meu livro favorito da autor,a Gillian Flynn, e estou loucamente ansiosa pela série desde o primeiro boato de sua produção. 
Com Amy Adams no papel de Camille, a protagonista, e produção da HBO, acho muito pouco provável que série decepcione. A única tristeza é que a data de estreia ainda não foi divulgada. 

Essas foram as adaptações pelas quais eu estou contando os dias. E vocês, qual estão doidos para assistir? Não esqueçam de comentar!