O Livro É Melhor? - Quatro Vidas de Um Cachorro

Eu não sei vocês, mas sou viciada em histórias sobre animais, então quando soube que havia um livro, do ponto de vista de um cão, indo para as telonas em breve, corri para conferir essa história!
Se você quiser ler a resenha do livro para saber mais sobre Quatro Vidas de Um Cachorro, clique aqui.

O LIVRO:

  • O livro passa por todas as quatro vidas de Bailey, mostrando o lado bom e ruim de cada uma delas. A primeira vida do cão é triste, já que ele nasce como um cão de rua que não conhece bem o amor, mas não deixa de ser cheia de ensinamentos importantes.
  • Na segunda vida do cão, provavelmente a mais importante, Bailey conhece seu verdadeiro dono, Ethan, e cresce junto com o garoto. É uma história cativante e, na maior parte, feliz, exatamente o que você espera de um livro sobre cães.
  • Bailey é um narrador absolutamente hilário, o que fica mais evidente em sua segunda vida, enquanto tenta descobrir seu propósito, mas ao mesmo tempo adquire aquelas características clássicas de cachorro, como perseguir gatos e tentar comer o máximo possível.
  • Na terceira vida de Bailey, onde ele se chama Ellie (mas ainda se considera Bailey), ele se torna um cão farejador para a polícia, recebe medalhas e é realmente um herói. Há momentos mais felizes e momentos de arrancar lágrimas, e você quase reza para que a última vida do cão seja ótima. 
  • A quarta vida de Bailey é cheia de reviravoltas e, por ter uma conexão tão forte com o cãozinho, é quando eu realmente fiquei com o coração na mão, lendo sem parar e torcendo para que o final fosse feliz. É um trecho absolutamente lindo, que mostra o melhor e o pior da humanidade quando lida com animais, e faz com que o livro inteiro tenha sentido.
  • O livro não é feliz o tempo todo, como no filme, e às vezes fica até difícil de continuar lendo por causa da crueldade humana, mas é importante para mostrar a jornada do animal de uma maneira realista.

O FILME

  • Minha principal crítica é que, para começar, o filme se chama "Quatro vidas de um Cachorro" no Brasil, mas mostra cinco, por mais que seja rapidamente.
  • A primeira vida de Bailey tem menos de um minuto no filme, simplesmente pularam essa história, mas não me importei porque essa vida é super deprimente, e o filme é mais família, então não combina mesmo.
  • Na segunda vida Bailey conhece Ethan e passa por várias aventuras com o garoto. No livro, é nessa vida que conhecemos melhor o cão e seu dono, e é quando eles conquistam o leitor. No filme, ficou tudo muito apressado, impossibilitando criar aquela conexão verdadeira com os personagens. Não ficou ruim, só pareceu muito superficial.
  • A terceira vida de Bailey, como policial, ficou ok. Poderiam ter se estendido, já que boa parte da vida do cão foi cortada, mas eu sei que o filme tem que priorizar as partes mais importantes e deu para entender um pouco do sentido da vida do cachorro ali.
  • A quarta vida de Bailey no filme simplesmente não existe no livro. Entretanto, é sua vida mais feliz, provavelmente. Nada de errado acontece, ele é fofinho do início ao fim, com uma dona que absolutamente o ama. Fica claro que foi colocado ali para mostrar que o cão teve vidas felizes, mas acho que roubou um pouco do tempo que deveria ter sido dedicado para a segunda ou terceira vida.
  • O final, na quinta vida, é semelhante ao do livro. Porém não tem o mesmo impacto, já que o filme é tão apressado que você não se apega tanto aos personagens. Ainda assim, é fofo e dá para entender tudo super bem.

Qual é melhor?
O livro desperta muito mais sentimento e consegue realmente colocar a pessoa na mente de um cachorro. O narrador é absolutamente brilhante e hilário e a trama é comovente. O filme não é ruim, só é mais superficial e tem aquele jeitinho de "sessão da tarde".

De qualquer maneira, eu chorei e ri nos dois! Absolutamente recomento essa história e achei que o autor foi genial por conseguir entrar tão bem na mente do animal. Amei.