Quinta das capas #96

Capas com Mulheres Inspiradoras

Olá, Olá! Estamos de volta e essa semana comemoramos o Dia Internacional da Mulher, então nada melhor do que mulheres que nos inspirem no dia-a-dia!

Eu só li a primeira trilogia de A Seleção, mas a trama me encanta muito em vários sentidos, América precisou ser decidida e obstinada durante sua jornada. As capas da série são espetaculares, românticas e com um acabamento impecável, fazem qualquer menina que sonhou em ser uma princesa vibrar! Escolhi a capa de A Escolha por que vou casar esse ano e estou em uma "vibe" muito branca e romântica!! Ok eu não conheço todos os livros que coloquei aqui, sendo I'll Have what She's Having o primeiro deles, gostei muito das cores da capa e da premissa voluntariosa do título. Ligeiramente Casados expressa toda a delicadeza e romantismo dos novos romances históricos, sem contar na padronização das capas desse estilo.
A Garota Dinamarquesa foi o primeiro livro quase autobiográfico que eu li (não dá pra dizer que ele é autobiográfico porque o autor se baseou na história real, mas somente isso), a história de Gerda e Lili é fantástica de maneiras diferentes, não imagino a dificuldade de se assumir sendo transgênero nessa época e muito menos a de apoiar o seu marido - que você tanto ama, a concretizar esse sonho tão perigoso na realidade em que se encontravam. Amo Memórias de uma Gueixa, a capa é simplíssima e vem imbuída de muita feminilidade e força de vontade - para enfrentar a dureza composta em ser uma gueixa, isso ademais a tudo que Sayuri já havia enfrentado na vida. Orgulho e Preconceito é meu romance preferido, e em primeira estância fiquei ofendida com o livro de Seth G.S. Para ironia do destino ganhei de presente do meu namorado - e como já amava zumbis, acabou que amei o livro! A capa não poderia ser mais maravilhosa... e criativa - além de não me recordar de zumbis na época vitoriana da Inglaterra, as histórias de Austen consistem em muito romance e drama, e o que poderia ser melhor do que introduzir mortos-vivos nesse sistema? Voltando ás nossas mulheres inspiradoras, Elisabeth Bennet é uma obra-prima de personagem e uma mulher muito a frente de seu tempo!
Todas as mulheres de Cassandra (pelo menos as do universo de Instrumentos Mortais) são fantásticas, fortes, guerreiras, resistentes e principalmente apaixonadas! Amo a holografia das capas, que infelizmente não podem ser vistas aqui, Dama da Meia-Noite é o último livro dessa trama maravilhosa, que revelou em  Emma uma protagonista  formidável. Well-Read Women e The Book of Speculation são os demais livros que não li, escolhi por que as capas são lindas! O primeiro me lembra uma aquarela em arte moderna e consiste em um livro de retratos de heroínas famosas. O último me ganhou pela pilha de livros, vocês não amam capas com livros? E esta no caso exala uma curiosidade peculiar.