Resenha - A caçada de Goya

Título: A Caçada de Goya
Série: Viagens na Ficção
Autor: Karinna Pimenta
Editora: Chiado
Páginas: 373
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon

Sinopse: A menina. O símbio. O leão negro. E o mais fantástico dos sonhos”. Baseado na história dos Imortais do Himalaia, este romance envolvente narra a história de Gaia, uma menina que vê sua vida se transformar pelo encontro real com Thórum – o leão negro que a persegue em seus sonhos desde pequena. Na fuga para Vallejabor – cidade dos Goyas, ela descobre que possui o “símbio” de Neuss, um dos três imortais; e com essa descoberta, a missão de salvar uma civilização fundada há quase mil anos. Mas, para isso, terá que assumir sua essência, arriscar a própria vida, partir em busca da ajuda que só ela acredita existir, e, sobretudo, confiar no impossível.

A Trama: Gaia é uma p-adolescente comum, órfã de pai vive confortavelmente com sua mãe em Minas Gerais. Apesar de ser assolada por terríveis pesadelos quase todas as noites ela é uma garota tranquila. Quando os pesadelos ameaçam se tornar realidade, Eme - a mãe de Gaia a leva para o Vale do Sol, morada de Tiámorê é o lugar mais seguro que conhecem; Embora nenhum lugar em nosso mundo seja seguro para Gaia, ela está prestes a descobrir sua origem, o lugar a qual pertence e a existência dos Goyas.

As Personagens: A várias personagens na trama e apesar do foco ser Gaia, a narração ligeiramente confusa atrapalha a identificação da protagonista. O núcleo central abordado no início do livro é bem familiar, amistoso e comum: Lazinha, Ednardo, Tiámorê, Eme e Sessé - salvo esta última todos são Goyas com ascendência felina e personalidades honradas, fraternais e relativamente entediantes. Há outras personagens a partir do momento em que o grupo parte para Vallejabor, mas sem muito destaque (então não vou comenta para que não haja spoilers).

Capa, diagramação e Escrita: A Capa é maravilhosa, a escolha das cores e inspiração céltica (pelo menos me parece céltica) combinam com a história e dão ao livro um ar de mistério. A diagramação é simples e a fonte grande são confortáveis, o papel usado na edição é poroso e a sensação da textura nos dedos enquanto lia era deliciosa. A escrita de Karinna é um pouco inexperiente - simples no detalhamento e muito descritiva em pontos e situações desnecessárias, chegou a me incomodar um pouco durante a leitura, mas nada que me fizesse querer abandonar a história.

Concluindo: Karinna criou um universo interessante e relativamente criativo, embora a trama seja envolvente ela peca em originalidade. Os personagens são muito simples, pouco explorados, mas a história têm potencial, foi uma leitura divertida e fiquei curiosa para o final. O livro e a autora são promissores!