Resenha - Sonho de Uma Noite de Verão

Título: Sonho de Uma Noite de Verão
Título Original: A Midsummer Night's Drean
Autor: William Shakespeare
Editora: L&PM 
Páginas: 122
Ano: 2007
Saiba mais: Skoob
Comprar: Walmart  

Preparem-se para uma resenha master tendenciosa.

Sinopse: 
Numa noite de verão, num bosque, quatro jovens enamorados encontram-se e desencontram-se: Lisandro ama Hérmia que ama Lisandro e é amada por Demétrio, que é amado por Helena; depois, Demétrio ama Helena, que ama Demétrio e é amada por Lisandro, que é amado por Hérmia. Na manhã seguinte, tudo se resolve, e há um casamento triplo, pois casam-se também o Duque de Atenas e a Rainha das amazonas. Na festa, no palácio do Duque, apresenta-se uma peça de teatro amador, escrita e encenada por trabalhadores locais. É hilariante de tão ruim a "comédia trágica", que teve ensaio naquela noite de verão, naquele bosque, habitado por fadas e duendes que têm seu Rei e sua Rainha, que disputam a guarda de um menino indiano, e por isso esta Rainha apaixona-se, naquela noite de verão, por um mortal com cabeça de burro.
Ação e movimentação, paixões e casamentos, brigas e reconciliações, equívocos e finais felizes. É um Shakespeare muito divertido e nada trágico, um "sonho" originalmente escrito para uma festa de casamento na vida real. 

A Trama: Romeu e Julieta tem todo aquele magnetismo da tragédia, do romance proibido e do amor maior que a vida e, confesso, é uma história que amo de paixão. Mas eu já falei milhões de vezes que sou fiel aos meus primeiros amores, e esse amor... Sonho de Uma Noite de Verão é uma comédia romântica levíssima e muito doida fofinhalotada de confusões absurdas que, se não te conquistarem, vão no mínimo render algumas gargalhadas. Além disso, foi meu primeiro contato com Shakespeare, quando eu devia ter 7 ou 8 anos - lógico que na versão adaptada -, então, sim, é minha obra favorita do autor.

Os Personagens: Uma peça teatral em 122 páginas, não preciso dizer que não é fácil conhecer os personagens muito a fundo, né? Mas mesmo assim, Hipólita sempre foi minha favorita. A rainha das amazonas, ainda que não tenha muito destaque na trama, é de longe a melhor personagem do livro.
Quanto aos protagonistas, Hérmia também tem minha simpatia - a garota teimosa que resolve fugir de casa com seu amado Lisandro e acaba se metendo em uma confusão atrás da outra me diverte bastante. De Lisandro e Demétrio não posso dizer o mesmo, infelizmente - minha queda por badboys vem de muito tempo e eles nunca me pareceram dignos do amor de Hérmia. 

Capa, Diagramação e EscritaO que falar dessa edição? É um pocket, e esse tipo de livro, em sua maioria, não é feito para ser bonito, e sim para serem práticos.
A história é escrita em forma de roteiro e a leitura é bastante rápida. Se você conhece apenas as peças mais pesadas do autor, vale se aventurar nesse estilo tão diferente. E, se você ainda não leu nada de Shakespeare, pare de perder tempo, por favor!

Concluindo: Durante esses muitos anos que se passaram, sempre lembrei com imenso carinho daquele livro que desapareceu da minha estante há tanto tempo. E, volta e meia, reforçava minha promessa de que um dia leria a versão original. Porém, esse dia nunca chegava - confesso que por um certo receio de a história não ser tudo aquilo que eu me lembrava. Até que o dia chegou, até que essa obra tão peculiar surgiu na minha frente e não tive mais desculpas para adiar a releitura. E que releitura! 
Talvez minha memória afetiva tenha falado mais alto, ou o livro seja tudo isso mesmo, não sei... Não nasci para ser imparcial. Só sei que esse livro me trouxe belas lembranças e momentos deliciosos, me deixou leve e sorrindo feito boba. Me fez ter vontade de espalhar essa história pelo mundo, porque ela merece ter tanto destaque quanto outras - muito mais conhecidas - do autor.