Resenha - A Rainha de Tearling

Título: A Rainha de Tearling
Título Original: The Queen of the Tearling
Série: A Rainha de Tearling
1 - A Rainha de Tearling (2017)
2 - The Invasion of the Tearling (2015 US)
3 - The Fate of the Tearling (2016 US)
Autora: Erika Johansen
Editora: Seguinte
Páginas: 352
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Submarino

Superou as expectativas.

Sinopse: Quando a rainha Elyssa morre, a princesa Kelsea é levada para um esconderijo, onde é criada em uma cabana isolada, longe das confusões políticas e da história infeliz de Tearling, o reino que está destinada a governar. Dezenove anos depois, os membros remanescentes da Guarda da Rainha aparecem para levar a princesa de volta ao trono – mas o que Kelsea descobre ao chegar é que a fortaleza real está cercada de inimigos e nobres corruptos que adorariam vê-la morta. Mesmo sendo a rainha de direito e estando de posse da safira Tear – uma joia de imenso poder –, Kelsea nunca se sentiu mais insegura e despreparada para governar. Em seu desespero para conseguir justiça para um povo oprimido há décadas, ela desperta a fúria da Rainha Vermelha, uma poderosa feiticeira que comanda o reino vizinho, Mortmesne. Mas Kelsea é determinada e se torna cada dia mais experiente em navegar as políticas perigosas da corte. Sua jornada para salvar o reino e se tornar a rainha que deseja ser está apenas começando. Muitos mistérios, intrigas e batalhas virão antes que seu governo se torne uma lenda... ou uma tragédia.

A Trama: Eu adorei a trama! Apesar de um pouquinho previsível, a trama consegue fugir levemente do padrão, considerando que há pouquíssimo (ou nenhum) romance e o foco realmente é a política e a guerra entre reinos e entre duas rainhas poderosas. Além disso, gostei bastante que não havia menção alguma aos homens da realeza, realmente eram as rainhas que comandavam tudo.
Quanto à trama em si, o leitor acompanha a trajetória de Kelsea, uma jovem de dezenove anos, que finalmente atinge idade suficiente para liderar seu reino. Talvez não seja a opção mais inteligente, mas Kelsea faz escolhas com o coração, sempre se sacrificando em prol de seus súditos, e eu gostei muito da maneira como a autora abordou a trama.

Os Protagonistas: Quando se trata de protagonistas mulheres, geralmente elas estão divididas entre as meninas lindas que  não sabem que são lindas e as lindas que sabem - e são extremamente confiantes por isso. Kelsea, por outro lado, é repleta de inseguranças por estar um pouco acima do peso e de fato não chama a atenção de todos os homens ao seu redor com sua beleza. Apesar de ser monótono ter que ouvir sobre as inseguranças da protagonista, adorei a maneira como ela conseguiu demonstrar as diversas habilidades que adquiriu ao longo dos anos.
Ainda, apesar de não ser a pessoa mais sábia, Kelsea geralmente tomava boas decisões, tinha confiança em suas escolhas, sem falar em um espírito de aventura extremamente divertido!

Os Personagens SecundáriosComo uma rainha, a protagonista tinha sua própria guarda, composta por cerca de nove homens cuja função era protegê-la com a vida. Meu favorito foi Clava, que parecia extremamente rude no início, porém provou ser um amigo legal. Ainda, o misterioso Fetch me deixou intrigada e espero que tenha um papel maior em breve.
Diversas mulheres fortes e interessantes surgiram na trama, como A Rainha Vermelha, soberana de uma nação ao lado do Tearling, que ameaçava conquistar a tudo e a todos.

Capa, Diagramação e Escrita: Eu gostei de como a capa é cheia de pequenos elementos que se unem harmonicamente, apesar de não ter sido uma grande fã da fonte. Porém tive um pequeno problema com o livro que foi a fonte interna. achei muito pequena e o espaço entre as linhas, menos ainda. Eu consegui me acostumar, mas não é a fonte mais confortável para o leitor e, considerando que o livro não é grosso, não entendi porque tentaram economizar espaço dessa vez. Tirando isso, a diagramação interna é linda e cada início de capítulo tem um trecho que fala sobre a história do mundo de Tearling.
A escrita da Erika é muito boa!! É aquele tipo de escrita fácil, sem descrições muito detalhadas, mas que torna as cenas ainda mais emocionantes. Além disso, é muito importante frisar que apesar de ser um livro de fantasia, ele parece bem mais adulto que o padrão, com cenas um pouco gráficas, palavrões e etc.
A construção do mundo foi um pouquinho confusa, confesso. Parece algo que se passa na era medieval, sem tecnologia, porém na verdade é um futuro onde aconteceu algo (que não é bem explicado) e a humanidade fez uma travessia pelo oceano (?) em navios, perdendo a maior parte da tecnologia. Espero uma explicação melhor nos próximos volumes. Ainda assim, a magia é super interessante, como sempre.



Concluindo: É uma fantasia/distopia um pouco diferente do comum, então é ótima se você está ficando cansado da trama de sempre. Ainda, estive lendo algumas críticas e parece um daqueles livros "ame ou odeie", então não recomendo se você é um leitor mais exigente e se incomoda com detalhes, porém em geral é um ótimo livro e eu definitivamente estou na turma do "ame"!