Lançamentos de Julho #1

Oi, gente! Eu sei que os lançamentos sumiram de novo por aqui, mas agora voltei para mostrar a vocês o que está sendo lançado esse mês. Hoje veremos os lançamentos das editoras Rocco, Intrínseca e HarperCollins Brasil.


Enraizados - Naomi Novik - Fantástica Rocco

Autora da aclamada série Temeraire, bestseller do The New York Times, Naomi Novik introduz um mundo novo e ousado, com raízes fincadas no folclore eslavo, em Enraizados, indicado ao Hugo e vencedor do Nebula, entre outros prêmios literários. Na trama, Agnieszka e Kasia são melhores amigas e levam uma vida tranquila no vale. Mas essa tranquilidade cobra seu preço. Afinal, às margens do vilarejo onde moram fica a temida Floresta corrompida, cheia de um poder maligno desconhecido, e para impedir que ele avance para além das fronteiras da Floresta, o povo do vale conta somente com a proteção de um mago frio e ambicioso, que a cada dez anos exige que uma jovem do vilarejo seja entregue para servi-lo. Enquanto a próxima escolha se aproxima, Agnieska teme por sua bela, graciosa e corajosa amiga. Mas pode ser que ela esteja errada. Porque, quando o Dragão chegar, não é Kasia que ele vai escolher.


Por que a felicidade tem que ser tão difícil?
Aaron Soto, um jovem de 16 anos, está crescendo no Bronx dos dias atuais, em Nova York, poucos meses depois de tentar o suicídio e de encontrar seu pai morto com a própria navalha de barbear. Enquanto sua mãe confere folhetos do Leteo, um novo e polêmico instituto que realiza cirurgias para apagar memórias dolorosas, Aaron se reaproxima de sua devotada namorada, Genevieve, que o apoiou nos momentos difíceis, e da galera do seu bairro, que não teve a mesma atitude.
Então, Aaron conhece Thomas, um garoto do conjunto habitacional vizinho. Os dois se tornam grandes amigos imediatamente, e Aaron se vê compartilhando coisas jamais por ele compartilhadas, nem com Genevieve. Logo fica claro para todos ao seu redor que Aaron está se apaixonando por Thomas, o que é um problema – a relação com Gen, desta vez, é séria – e perigoso: Não é nada fácil ser gay quando você é pobre e mora no Bronx.
De repente, quando os antigos amigos de Aaron o agridem para ensinar uma lição (para o seu próprio bem, é claro), ele bate com a cabeça e algo estala... e novas memórias começam a emergir. Parece que Aaron já foi submetido ao procedimento do Leteo. Mas para esquecer o quê?



Autora de Viagem ao redor da garrafa, uma minuciosa e sensível investigação sobre a relação de seis célebres escritores com a bebida, a britânica Olivia Laing se debruça agora sobre outro tema delicado, especialmente nesses tempos de “hiperconexão”. Em A cidade solitária, a autora mescla uma pesquisa bem fundamentada sobre a solidão, suas causas, sentidos e efeitos, com impressões pessoais sobre o que significa estar sozinho, a partir de sua experiência ao se mudar para Nova York. Solitária na grande metrópole, Laing passa a explorar a cidade por meio da arte, empreendendo um mergulho profundo em obras e vidas – do comovente Nightwalks, de Edward Hopper, às Cápsulas do Tempo de Andy Wharol, entre outras – para refletir sobre o quanto a solidão pode ser um fardo ou, no caso do artista, uma condição importante para o pleno desenvolvimento da criatividade.


"Todo mundo é inteligente de diferentes maneiras. Mas se você julgar um peixe pela sua habilidade de subir em árvores, ele passará a vida inteira se achando burro.”
Ally tem sido esperta o suficiente para enganar muita gente. Cada vez que chega a uma escola nova, ela consegue esconder sua inaptidão para ler por meio de distrações inteligentes. Ally está cansada de ser chamada de “lenta” ou de “fracassada”, mas tem medo de pedir ajuda; afinal de contas, como se pode curar burrice?
No entanto, o mais novo professor de Ally vê a criança brilhante e criativa por trás da encrenqueira e ajuda a destacar as suas habilidades. Enquanto isso, ela conhece uma garota sem papas na língua, Keisha, e um garoto obcecado por fatos e ciência, Albert, que também se sentem como peixes fora d’água. Conforme esses deslocados começam a encontrar seu lugar, coisas surpreendentes acontecem na sala de aula de Ally, que revelam que existe muito mais nela — e em todo mundo — do que um mero rótulo, e que grandes mentes nem sempre pensam parecido.
Uma história inspiradora, carregada de emoção, que falará com todas as pessoas que pensam ou já pensaram que havia algo de errado com elas só porque não se encaixavam.


Sam, Jake, Andy e Felix são quatro garotos adolescentes pegos de surpresa numa tempestade que deixa suas vidas de cabeça para baixo. Depois de sobreviverem a uma noite na floresta tentando se proteger de um temporal, eles voltam para casa esperando uma recepção calorosa e descobrem que ninguém os reconhece. Para suas famílias e seus amigos, eles são completos estranhos. Aprisionados em um mundo onde não existem, Sam, Jake e Andy estão desesperados para recuperarem suas vidas. Só Felix parece estar em conflito: há algumas coisas nessa nova realidade de que ele gosta. Mas quando começam a investigar a situação, os garotos percebem que outras coisas na ordem natural também foram alteradas. Uma força das trevas está à solta, e eles precisam encontrar uma maneira de consertar tudo antes que o mal os destrua.
Garotos de lugar nenhum é o primeiro livro da autora Elise McCredie e foi inspirado na série australiana de tevê Nowhere Boys.


ESTE LIVRO FOI CERTIFICADO COMO SEGURO PARA SER ABERTO POR ORDEM DO MUSEU DAS COLEÇÕES MÁGICAS, OXFORD, INGLATERRA.
No seu aniversário de 12 anos, Archie Greene recebe um pacote misterioso de um homem que ele não conhece; um pacote contendo um livro antigo escrito numa língua que ele não consegue identificar. Ele não faz ideia de que está prestes a descobrir um mundo em que estantes de livros são encantadas, bibliotecários são magos e feitiços ganham vida.
Logo Archie se torna um aprendiz de restaurador para os Guardiões da Chama, um grupo devotado a encontrar e preservar livros mágicos. Com a ajuda de seus primos, Amora e Cardo, Archie tenta desvendar o mistério por trás do presente enigmático, mas começa a perceber que o livro é muito mais poderoso do que imaginava.


Arthur Pepper é um homem comum, um serralheiro que sempre viveu modestamente com a mulher, Miriam Pepper, e os dois filhos. Depois da morte de Miriam, Arthur ficou ainda mais apegado aos seus hábitos, saindo pouco de casa sem interagir com quase ninguém.
Por levarem uma vida sem luxos e exageros, Arthur tomou um susto quando encontrou, ao arrumar as coisas da mulher, um bracelete de ouro com 8 pingentes. Aquela parecia uma extravagância à qual eles não teriam cedido. E, curioso, resolve investigar a origem daquele objeto tão enigmático.
As pistas seguidas por Arthur o levam a uma viagem jamais pensada por ele. Índia, Paris, Grã-Bretanha. Quem poderia imaginar que Miriam escondia dele alguns segredos? E por que ela não havia dividido essas experiências com o marido?
Arthur descobre que Miriam trabalhou como babá na Índia, namorou um pintor (para quem chegou a posar nua), um escritor, e teve uma vida muito mais agitada e interessante do que poderia supor o marido. Ele se sente traído, desinteressante, e tenta entender por que Miriam o escolheu, afinal, para se casar.
Nessa aventura para descobrir o passado da esposa, mas também para conhecer a si mesmo, Arthur tem a companhia da vizinha Bernadette, uma viúva cuja principal ocupação é cuidar de pessoas que perderam entes queridos. A improvável dupla e o desfecho da viagem evidenciam o que muitas vezes nos recusamos a admitir: a vida é um sopro imprevisível e nada importa mais do que as pessoas com quem temos verdadeiros laços de amor e ternura.


A jornalista e escritora britânica Teresa Driscoll conta, em seu romance de estreia, uma história sobre perda e luto, amadurecimento e superação. Melissa Dance acaba de completar 25 anos e ganha um presente inesperado: um diário escrito por sua mãe, morta quando ela estava com apenas oito anos de idade. Vítima de um câncer, Eleanor decidiu colocar no papel segredos, conselhos, receitas e outros escritos para a filha que ela não veria crescer e se tornar uma mulher. Emocionada e em choque, Melissa parte numa viagem de férias levando consigo o caderno, mas, acima de tudo, revisita aromas e sabores da infância, revive dores nunca superadas completamente e se surpreende com segredos revelados pela mãe que ela mal conheceu. E enquanto tenta lidar com os dilemas que a vida apresenta no presente, acaba se encontrando através de seu passado.


Errar é humano. Transformar o erro em acerto já não é para qualquer um... Em Tô frito, a jornalista e crítica de gastronomia Luciana Fróes e a repórter gastronômica Renata Monti reuniram 20 chefs do Brasil para contar, sem qualquer pudor e com muito humor, os maiores desastres por que passaram entre mesas e fogões - alguns deles com final feliz, como o grão de risoto de Claude Troisgros, que, num descuido, foi parar numa frigideira com óleo quente e acabou virando o arroz-pipoca, incorporado ao cardápio do premiado Olympe. Alex Atala, Roberta Sudbrack, Morena Leite, José Hugo Celidônio são outros mestres da gastronomia nacional que abriram seu baú de histórias para contar os imprevistos, às vezes bem-sucedidos, outras nem tanto, a que qualquer um está sujeito quando se trata de cozinha. Um prato cheio de casos bem temperados, digestivos e divertidos.


Ambientado numa cidadezinha da Luisiana às margens do Golfo do México e reunindo um elenco peculiar de personagens, o romance de estreia de Tom Cooper ganhou elogios de veículos como Esquire e Kirkus Review e de nomes como Nic Pizzolatto, criador da série True Detective, ao retratar a improvável jornada de um pescador de camarões obcecado por encontrar um tesouro perdido, após um desastre ecológico provocado por uma grande corporação obrigar os habitantes da região a encontrar novos meios de sobrevivência. Como um Dom Quixote moderno, viciado em comprimidos e a bordo de seu barco remendado, Gus Lindquist conhece uma série de personagens improváveis em sua odisseia pelos pântanos poluídos, cada qual travando suas próprias batalhas, mais ou menos nobres, para sobreviver em meio à lama e ao caos dos novos tempos.


Soho, Nova York, início da década de 1980. Um crítico de arte com apurado senso sinestésico, um artista plástico argentino exilado e uma jovem determinada e cheia de vida do Meio-Oeste americano vivem o amor, a explosão da criatividade e a perda da inocência no ambiente ainda não gentrificado do bairro que foi palco de uma importante renovação estética e cultural feita por nomes como John Baldessari, Keith Haring, Jean-Michel Basquiat e onde toda uma nova geração de escritores e artistas tentava garantir seu lugar numa metrópole que se reinventava. Retratando um tempo de excessos, decadência e transformações com uma prosa radiante, a estreante Molly Prentiss escreve uma carta de amor a Nova York em uma trama que revela a importância da beleza, do senso de comunidade, da criação e do amor em uma paisagem urbana em constante renovação.


Em 3 de dezembro de 1976, às vésperas das eleições na Jamaica e dois dias antes de Bob Marley realizar o show Smile Jamaica para aliviar as tensões políticas em Kingston, sete homens não identificados invadiram a casa do cantor com metralhadoras em punho. O ataque feriu Marley, a esposa e o empresário, entre várias outras pessoas. Poucas informações oficiais foram divulgadas sobre os atiradores. No entanto, muitos boatos circularam a respeito do destino deles.
Breve história de sete assassinatos é uma obra de ficção que explora esse período instável na história da Jamaica e vai muito além. Marlon James cria com magistralidade personagens — assassinos, traficantes, jornalistas e até mesmo fantasmas — que andaram pelas ruas de Kingston nos anos 1970, dominaram o submundo das drogas de Nova York na década de 1980 e ressurgiram em uma Jamaica radicalmente transformada nos anos 1990. Um romance épico, brilhante e arrebatador, vencedor do Man Booker Prize de 2015.


Ex-ícones da cena musical de Detroit, os Danes estão mergulhados no ostracismo. Sem emplacar nenhum novo hit, eles trabalham trancados em estúdio produzindo outras bandas, enchendo a cara e se dedicando com reverência à criação — ou, no caso, à ausência dela. Uma rotina interrompida pela visita de um funcionário misterioso do governo dos Estados Unidos, com um convite mais misterioso ainda: uma viagem a um deserto na África para investigar a origem de um som desconhecido que carrega em suas ondas um enorme poder de destruição.
Liderados pelo pianista Philip Tonka, os Danes se juntam a um pelotão insólito em uma jornada pelas entranhas mortais do deserto. A viagem, assustadora e cheia de enigmas, leva Tonka para o centro de uma intrincada conspiração.
Seis meses depois, em um hospital, a enfermeira Ellen cuida de um paciente que se recupera de um acidente quase fatal. Sobreviver depois de tantas lesões parecia impossível, mas o homem resistiu. As circunstâncias do ocorrido ainda não foram esclarecidas e organismo dele está se curando em uma velocidade inexplicável. O paciente é Philip Tonka, e os meses que o separam do deserto e tudo o que lá aconteceu de nada serviram para dissipar seu medo e sua agonia. Onde foram parar seus companheiros? O que é verdade e o que é mentira? Ele precisa escapar para descobrir.
Com uma narrativa tensa e surpreendente, Josh Malerman combina em Piano Vermelho o comum e o inusitado numa escalada de acontecimentos que se desdobra nas mais improváveis direções sem jamais deixar de proporcionar aquilo pelo qual o leitor mais espera: o medo.


Primeiro romance escrito por Jojo Moyes conta a história de três gerações de mulheres que precisam encarar as verdades do amor e as responsabilidades que existem em toda família.
Afastada da mãe desde a juventude, quando fugiu de sua pequena cidade rural na Irlanda, Kate jurou que seria uma mãe presente. Mas a vida é um ciclo que se repete, e Kate agora precisa encarar o abismo que surgiu entre ela e a filha, Sabine.
Prestes a viajar para encontrar a avó que nunca conheceu, Sabine não está nada animada. Mas a natureza impetuosa e inquisitiva da jovem forçará a avó a encarar seus segredos há muito enterrados e a fará perceber que talvez tenha chegado a hora de finalmente curar as feridas do passado.
Em seu primeiro romance, Jojo já exibia seu talento para contar histórias emocionantes e narrar a vida em família, seus segredos, traições e dores do passado, mas também a redescoberta do amor. Em busca de abrigo é uma trama cheia de surpresas, assim como a vida real.


Muitos já ouviram falar do corajoso exército de Odin e dos grandiosos guerreiros vikings que vivem em Valhala, treinando dia e noite para lutar no Ragnarök… Porém poucos sabem que muitos desses guerreiros chegam ao Hotel Valhala sem a mínima ideia do que estão fazendo ali.
Para resolver esse problema, Hotel Valhala: Guia dos mundos nórdicos foi criado para oferecer todo o conhecimento de que um novo hóspede precisa para sobreviver durante a hospedagem eterna na pós-vida viking. Com dados essenciais, entrevistas exclusivas e muitas reflexões, o guia é um compêndio de informações sobre a personalidade de cada deus e deusa, sobre os seres míticos mais assustadores e as criaturas fantásticas mais incríveis dos nove mundos, tudo pensado para ajudar o guerreiro recém-chegado a começar o treinamento para o Ragnarök com o pé direito.



Depois da morte da mãe, Lina fica com a missão de realizar um último pedido: ir até a Itália para conhecer o pai. Do dia para a noite, ela se vê na famosa paisagem da Toscana, morando em uma casa localizada no mesmo terreno de um cemitério memorial de soldados americanos da Segunda Guerra Mundial, com um homem que nunca tinha ouvido falar. Apesar das belezas arquitetônicas, da história da cidade e das comidas maravilhosas, o que Lina mais quer é ir embora correndo dali.
Mas as coisas começam a mudar quando ela recebe um antigo diário da mãe. Nele, a menina embarca em uma misteriosa história de amor, que pode explicar suas próprias origens. No meio desse turbilhão de emoções, Lina ainda conhece Ren e Thomas, dois meninos lindos que vão mexer ainda mais com seu coração.
Uma trajetória que fará Lina descobrir o amor, a si mesma e também aprender a lidar com a perda. Amor & gelato é uma deliciosa viagem pelos mais românticos pontos turísticos italianos, com direito a tudo de mais intenso que o lugar tem a oferecer: desde paixões até corações partidos.


Chega às livrarias o terceiro volume da premiada série O árabe do futuro, que narra a infância nada comum do quadrinista Riad Sattouf, passada entre a Líbia, a Bretanha e a Síria. No mais novo capítulo da história do adorável menino de cabeleira loura e cacheada e de sua família itinerante, vemos um Riad no alto de seus sete anos, tentando a seu modo se adequar aos costumes e às dinâmicas do vilarejo em que mora na Síria e se entrosar com seus primos e amigos da escola.
Entre armas de brinquedo, jejuns, professores com ares de James Dean, brigas familiares e um amor incondicional por Conan, o Bárbaro, o pequeno Riad testemunha, mais do que o ambiente político explosivo da Síria de Hafez Al-Assad, a crise que se abate sobre a família. A mãe está farta das restrições e das condições precárias de vida, enquanto o pai se vê cada vez mais dividido entre suas aspirações profissionais, as reinvindicações da esposa e o peso da tradição.
Um dos graphic novels mais importantes da atualidade, comparado aos aclamados Maus e Persépolis, O árabe do futuro é um análise sensível, divertida e por vezes pungente sobre infância, globalização, política e o embate entre o Ocidente e o mundo árabe. Com traços simples e cores fortes, Riad Sattouf oferece um relato lúdico e singelo da vida em meio a realidades tão diferentes.


Em "Como as crianças aprendem", também lançado pela Intrínseca, o jornalista Paul Tough analisou as pesquisas que mostram de que forma habilidades como perseverança, autocontrole e resiliência desempenham um papel crucial no sucesso tanto acadêmico quanto pessoal de uma criança no futuro. Agora, em "Como ajudar as crianças a aprenderem", Tough mergulha em uma nova série de questões angustiantes: Qual é o impacto que crescer na pobreza tem no desenvolvimento mental e físico de uma criança? Como a adversidade enfrentada em casa afeta o sucesso em sala de aula, indo da pré-escola até o ensino médio? Que atitudes os adultos responsáveis pela criança — dos pais e professores até os legisladores e filantropos — podem tomar para aumentar sua chance de ser bem-sucedida no futuro?
Tough mais uma vez nos encoraja a ver os desafios da infância de uma forma mais ampla. Em vez de tentar elaborar um jeito de “ensinar” como alguém pode ser determinado e centrado, o autor traz insights de como melhorar os ambientes — tanto na escola como em casa — em que as crianças estão inseridas para que as atitudes e habilidades necessárias para se ter um futuro melhor possam se desenvolver. Lançando mão das últimas descobertas dos campos da psicologia e da neurociência, Tough revela ideias e estratégias para uma nova abordagem em relação à infância na adversidade, uma voltada para que muito mais crianças sejam bem-sucedidas.


Há pouco tempo seria inimaginável alguém entrar no carro de um completo estranho para ir até o trabalho ou viajar para outro país e se instalar na casa de um mero desconhecido. Hoje, porém, vivemos na chamada economia do compartilhamento, por meio da qual a vida diária é facilitada por aplicativos e sites que conectam necessidades a indivíduos capazes de atendê-las. Uma representação palpável dessa cultura são as upstarts, a nova geração de empresas de tecnologia que têm revolucionado o Vale do Silício.
Em As upstarts, Brad Stone traz a história dos dois grandes expoentes desse fenômeno: a Uber e o Airbnb. Por meio de sua análise bem embasada e entrevistas com fundadores das duas empresas, vemos como o enorme ímpeto e autoconfiança de um empreendedor pode mudar o mundo e gerar fortunas, mas também turvar seu discernimento e ameaçar tudo o que foi conquistado. Em uma incursão pelo lado humano da tecnologia que aproximou pessoas, possibilitou trocas culturais, gerou renda para gente comum e criou uma genuína comunidade, vê-se também impactos não necessariamente positivos, como a reconfiguração de bairros inteiros e os ecos gerados no mercado imobiliário, a insatisfação de parceiros e conflitos com concorrentes, além de sérios questionamentos sobre ética, condições de trabalho e segurança dos usuários, que põem os governos em uma sinuca de bico regulatória e ameaçam setores tradicionais da economia.
Você pode nunca ter entrado em um carro da Uber ou se hospedado em um imóvel do Airbnb, mas com certeza tem sua vida e cidade impactadas por essas duas companhias e sentirá na pele os muitos desdobramentos das batalhas travadas por esses gigantes e as inovações que ainda estão por vir. Por isso, além de uma história de superação e sucesso, As upstarts é um retrato de uma era e leitura obrigatória para quem quer entender tanto o mundo de hoje quanto o que virá.


Chuck Klosterman, autor best-seller do New York Times, propõe perguntas que são profundas em sua simplicidade: o quão certos estamos do nosso conhecimento sobre a gravidade? O quão certos estamos do nosso conhecimento sobre o tempo? Qual será a memória definitiva do rock daqui a quinhentos anos? O quão seriamente deveríamos levar o conteúdo dos nossos sonhos? O quão seriamente deveríamos levar o conteúdo das nossas redes de televisão? Estariam todos os esportes condenados à extinção? É possível que o maior artista de nossa era seja atualmente desconhecido (ou, mais estranho ainda, amplamente conhecido mas completamente desrespeitado)? É possível que superestimemos a democracia? E, talvez o questionamento mais perturbador: é possível que tenhamos alcançado o limite do conhecimento?


Em 1940, no porto francês da cidade de Dunkirk, mais de 300 mil tropas Aliadas foram salvas da destruição pelas mãos da Alemanha Nazista em uma extraordinária evacuação pelo mar. Esta é a verdadeira história de soldados, marinheiros, pilotos e civis envolvidos no resgate de 90 dias que se tornou uma lenda. Agora, a história que o primeiro-ministro britânico Winston Churchill descreveu como um “milagre” é narrada pelo autor best-seller Joshua Levine, incluindo entrevistas com veteranos e sobreviventes. Contada do ponto de vista de quem estava na terra, no ar e no mar, o livro “Dunkirk” é um relato dramático da derrota que levou à vitória da guerra e preservou a liberdade de gerações por vir.


Londres, 1829. Angélica Cynster decidiu comparecer ao sarau na casa de lady Cavendish como parte da estratégia para encontrar o seu herói e futuro marido. Ela sabia que o reconheceria à primeira vista. Por isso, quando notou a presença de um nobre misterioso, ela soube que era o seu escolhido. Apesar do aparente interesse, ele não fazia nenhum movimento para se aproximar, e paciência nunca foi o forte de Angélica. Confiando no seu instinto e na sorte que o amuleto da Senhora lhe dava, decidiu dar o primeiro passo e se aproximar daquele homem enigmático. Tudo ia bem no seu primeiro encontro, até que uma atitude do seu herói a faz questionar as intenções dele: Angélica acabara de ser sequestrada! Fechando a trilogia das irmãs Cynster, Raptada por um Conde revela a verdade sobre os sequestros das Cynsters. O desfecho dessa intriga depende da ajuda que Angélica pode oferecer a Dominic. Um enredo com personagens audaciosos e uma trama misteriosa e cheia de aventuras que vai conquistar o público.