Resenha - A Arte de Ser Normal

Título: A Arte de Ser Normal
Título Original: The Art of Being Normal
Livro Único
Autora: Lisa Williamson
Editora: Rocco
Páginas: 384
Ano: 2015
Saiba mais: Skoob
Comprar: Extra // Amazon

Realmente tocante, porém sem ser melodramático.


Sinopse: David Piper tinha oito anos quando foi questionado pela professora sobre o que queria ser quando crescesse. Respondeu à pergunta com cuidado. Só percebeu que havia algo de diferente em sua resposta quando os colegas começaram a dizer o que queriam ser: atriz, jogador de futebol, primeiro-ministro... Apesar disso, leu em voz alta o que havia escrito: “Quero ser uma menina". O tempo passou, David cresceu (mais do que gostaria), mas mesmo agora, aos 14 anos, continua com o mesmo desejo, compartilhado apenas com Essie e Felix, seus melhores e únicos amigos
Leo Denton nem bem chegou à Escola Parque Éden e já ganhou os holofotes ao defender David Piper das agressões dos colegas na hora do almoço. O soco no nariz de Harry Beaumont rendeu-lhe um mês de detenção e o alerta de que está em observação, ou seja, mais um deslize e será expulso, algo que Leo precisará evitar de todas as formas. A vaga no colégio de classe alta parece ser a sua última chance na vida, o que vai livrá-lo tanto do conjunto habitacional perigoso onde mora com a mãe e as irmãs quanto dos acontecimentos que o obrigaram a trocar de escola.

A TramaA Arte de Ser Normal me deixou encantada em certos pontos e um pouco decepcionada em outros, provavelmente por ter sido um livro tão diferente do que eu esperava. Logo na primeira página, David explica, em uma cena envolvente, que aos oito anos de idade desejava ser uma menina (desejo que não diminuiu com o tempo), e a trama segue abordando esse assunto.
Adorei que, apesar de falar bastante sobre sexualidade, a autora conseguiu abordar diversos assuntos comuns entre os adolescentes, como romances, amizade, relacionamento com a família e até bullying. Assim, a trama não se tornou repetitiva e conseguiu me manter interessada do início ao fim.
Minhas partes prediletas, devo admitir, foram os relacionamentos de David e Leo com suas famílias. Enquanto Leo parece vir de uma família bem problemática, David tem pais bem comuns que o apoiam em tudo. Apesar disso, as cenas com as famílias dos protagonistas me pareceram mal resolvidas, deixando o livro com um final um pouco abrupto.
Além disso, senti que a autora tentou forçar a amizade de Leo e David muito rápido. Parece que as coisas estavam se desenvolvendo lentamente, aos pouquinhos, até que do nada eles eram super amigos e estavam se abrindo sobre os maiores segredos de suas vidas.  Tirando isso, foi um livro adorável e fofo!

Os Protagonistas: David é um garoto normal, com dois super amigos, uma família amorosa, uma irmã descolada e uma certa dificuldade em matemática. Honestamente, se não fosse pelo fato de que David se identifica como uma garota, eu diria que ele é o protagonista mais "genérico" possível. Para a infelicidade do leitor, David podia até ser um pouquinho monótono por boa parte da trama.
Leo, por outro lado, é intrigante desde o primeiro momento. Com um passado misterioso, temperamento explosivo e tendência a se isolar, Leo consegue deixar os leitores extremamente curiosos para conhecê-lo melhor e foi, de longe, o personagem mais interessante e que teve mais desenvolvimento pessoal.

Os Personagens Secundários: Não vou falar muito sobre as famílias dos protagonistas, já que mencionei elas na trama, porém me encantei com os melhores amigos de David, levemente estranhos e ao mesmo tempo espetaculares. Os outros personagens eram típicos clichês de escola, principalmente Harry, o garoto popular metido a machão. Acho que na vida real as coisas não costumam ser tão "preto e branco", mas entendo que cada personagem tinha um papel a cumprir.

Capa, Diagramação e Escrita: Achei o desenho da capa muito fofo e ele obviamente representa bem a ideia da trama. Esses títulos e nomes de autor totalmente em letra minúscula me incomodam um pouco, mas a fonte é bonita. O livro por dentro também está ótimo, com uma fonte separada para os capítulos de David e para os de Leo, o que facilita muito e deveria se tornar uma tendência.
A escrita da Lisa não é das mais detalhistas, porém é envolvente e consegue passar tudo o que precisa na trama. Só fiquei um pouco confusa nos monólogos internos de David, já que ele parece se referir a si mesmo como um homem e, apesar de não ser especialista no assunto, imagino que seria mais realista se na cabeça dele, ele pensasse em si mesmo desde o início como uma menina, ao invés de "desejar" ser uma.

Concluindo:
Gostei bastante do livro. Eu esperava chorar ou ler mais cenas tristes, porém a autora se esforçou em tornar as coisas positivas, mais sobre a descoberta da identidade de gênero do que qualquer outra coisa, e eu achei muito interessante, já que é um assunto que nem todo mundo se interessa por ler. Mais do que tudo, acho que esse livro é voltado aos adolescentes, especialmente na faixa de uns 14 anos, mas pode ser lido por todos.