Resenha - Coisas de Menino

Título: Coisas de Menino
Autor: Alexandre Braoios
Editora: Illuminare
Páginas: 267
Ano: 2016
Saiba Mais: Skoob
Comprar: Amazon // Autor: livro.coisasdemenino@gmail.com

SinopseAté onde o abuso sexual infantil deixa marcas que não saram? A história de um menino que teve uma infância comum, a não ser por um dia fatídico onde o abuso sexual de um adulto mudou sua forma de ver a vida. Essa experiência foi o catalisador de uma série de acontecimentos tensos, sentimentais, profundos e verdadeiros na vida do pequeno menino. "Coisas de menino" é um romance profundo, baseado em uma história real, que aborda o abuso sexual infantil de forma clara, dramática mas também realista e sentimental. Um romance a ser lido e refletido.

A TramaAndrea é uma enfermeira dedicada que agora está cuidando de Raul, um ex-professor de educação-física que está no fim de sua vida. Por esse motivo, ele resolve confidenciar a Andrea um segredo que manteve guardado por mais de 30 anos, a fim de que ela possa escrevê-lo e mantê-lo até o dia de sua morte. Mas após descobrir os horrores que aquele homem guardava dentro de si, a enfermeira tem outros planos para tudo o que descobriu. Coisas de Menino é um livro "difícil" de ser lido desde o começo, você nunca fica confortável durante a leitura (e deveria ser assim mesmo!), porque a revelação de Raul e a forma como ele reage a elas é um tanto quanto revoltante por uma parte do livro. A trama se desenrola em três partes, sendo a primeira e a terceira o "presente" e a segunda o passado, contando tudo (nos mínimos detalhes) sob os olhos de Piccolo, a vítima de Raul. Os capítulos finais trazem uma revelação surpreendente, apesar de eu já ter considerado a possibilidade antes, e achei um final justo para os envolvidos, mesmo sendo um pouco idealista.

Os PersonagensRaul está procurando por um tipo de redenção, agora que se encontra à beira da morte, ele mesmo vai mudando alguns ideais que tinha conforme sua convivência com Andrea, e definitivamente não é um personagem fácil do leitor lidar ao longo do livro. Andrea tem um passado triste em que perdeu o marido e a chance de ser mãe, desde então ela ficou cada vez mais focada em cuidar dos seus pacientes. No decorrer de sua jornada com Raul, podemos perceber o quanto ela é forte e determinada, mesmo mostrando seu lado humano em alguns momentos, se deixando levar por emoções. Piccolo é um menino diferente dos outros, com seus 8 anos ele é pequeno e frágil, o que atraiu a atenção dos valentões da escola. Sua vida se resumia praticamente em ser abusado na rua por esses meninos, e ser maltratado em casa pelo pai e o irmão mais velho. É uma experiência dolorosa mentalmente ler tudo aquilo acontecendo com aquele garotinho e não poder fazer nada.


Capa, Diagramação e Escrita: Seria difícil interpretar o tema numa capa, então para mim ela é muito boa da forma que está, os tons escuros trazem um pouco mais do peso da história. A diagramação está boa e confortável para leitura e não encontrei muitos erros de revisão além da falta de vírgulas antes ou depois de alguns nomes próprios (que me incomodou um pouco, mas não é nada tão grave). Apesar da segunda parte ser a mais difícil de ler, foi onde achei que a escrita do autor estava melhor. Todos os sentimentos de Piccolo e as coisas acontecendo a sua volta foram muito bem descritos, e isso tornou maior a imersão naqueles acontecimentos, consequentemente dificultou um pouco minha leitura, porque cada capítulo trazia uma carga emocional absurda sobre tudo o que estava acontecendo (e isso não é ruim, dependendo do seu ponto de vista), além das cenas dos abusos serem bem gráficas.

Concluindo: Esse não é um livro fácil de ler, porém é um bom livro. Ele trás revolta e é doloroso, eleva sua empatia em um nível extremo e, no final, faz você acreditar um pouco em justiça e na evolução da aceitação para com o outro.