Resenha - O Círculo

Título: O Círculo
Título Original: The Circle
Livro Único
Autor: Dave Eggers
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 522
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Submarino // Extra

Assustador.

Sinopse: Encenado num futuro próximo indefinido, o engenhoso romance de Dave Eggers conta a história de Mae Holland, uma jovem profissional contratada para trabalhar na empresa de internet mais poderosa do mundo: O Círculo. Sediada num campus idílico na Califórnia, a companhia incorporou todas as empresas de tecnologia que conhecemos, conectando e-mail, mídias sociais, operações bancárias e sistemas de compras de cada usuário em um sistema operacional universal, que cria uma
identidade on-line única e, por consequência, uma nova era de civilidade e transparência.
Mae mal pode acreditar na sorte de fazer parte de um lugar assim. A modernidade do Círculo aparece tanto na sua arquitetura arrojada quanto nos escritórios aprazíveis e convidativos. Os entusiasmados membros da empresa convivem no campus também nas horas vagas, seja em festas e shows que duram a noite toda ou em campeonatos esportivos e brunches glamorosos. A vida fora do trabalho, porém, vai ficando cada vez mais esquecida, à medida que o papel de Mae no Círculo torna-se mais e mais importante. O que começa como a trajetória entusiasmada da ambição e do idealismo de uma mulher logo se transforma em uma eletrizante trama de suspense que levanta questões fundamentais sobre memória, história, privacidade, democracia e os limites do conhecimento humano.

A Trama: Esse livro tem uma premissa simples: Mae, nossa protagonista, começa a trabalhar em uma empresa de tecnologia considerada uma das melhores do mundo. Porém o livro se torna uma distopia no estilo 1984, onde a tecnologia meio que toma conta de tudo e controla tudo.
Eu gostei muito da ideia de mostrar para onde poderia estar caminhando essa tendência de controle voluntário das pessoas nas redes sociais, como é fácil que as empresas monitorem tudo o que você faz hoje em dia. Eu gostei principalmente do final, que não foi o que eu esperava, porém de certa forma achei perfeito.
O meu único problema com a trama é que boa parte dela é um pouco monótona. O autor parece presumir que os leitores são estúpidos, tentando tornar tudo muito óbvio e reforçando um mesmo ponto inúmeras vezes, te dando aquela sensação de "ok, já entendi, siga em frente de uma vez".

Os Protagonistas: Mae é descrita como muito inteligente, capaz e etc. Eu gostei da protagonista, achei ela carinhosa e a mulher parecia realmente se preocupar com as pessoas à sua volta, porém Mae me pareceu um pouco inocente e volúvel, talvez até um pouquinho burra por não perceber as coisas óbvias que aconteciam ao seu redor. Ainda assim, foi uma protagonista muito boa e serviu para mostrar perfeitamente o propósito da trama.
Também achei o relacionamento de Mae com os homens um pouco forçado, ela parecia sentir uma atração repentina que não condizia com sua personalidade, simplesmente porque era conveniente na trama.

Os Personagens SecundáriosMinha personagem favorita foi Annie, uma amiga de infância da protagonista que já trabalhava no Círculo há tempos e parece ser uma das únicas pessoas sensatas. A família de Mae também é interessante, apesar de ser bem genérica. A trama realmente foca na protagonista e no "Círculo", que é como se fosse um personagem, já que é uma empresa com muita personalidade. Gostei da ideia de trabalhar em um local tão aberto a novas ideias, é uma pena que no final das contas isso tenha sido retratado como algo negativo.

Capa, Diagramação e Escrita: A capa é simples, com o símbolo que representa o Círculo. Como eu li em ebook, não posso comentar da diagramação.
Sobre a escrita de Dave, este autor realmente sabe como ser envolvente e conseguiu ter descrições perfeitas que permitem ao leitor imaginar exatamente como seria o Círculo. As descrições desse homem são impecáveis. Ele só não precisava ter subestimado a inteligência dos leitores, como eu mencionei antes.


Concluindo: É uma distopia bem adulta, diferente do que você geralmente encontra no gênero. Eu gostei muito e recomendo a leitura principalmente para que você possa refletir, o que acredito que fosse o intuito do autor. Definitivamente classificaria esse livro como leitura obrigatória aos mais ligados em redes sociais e etc.