Resenha - Pecados Mortais

Título: Pecados Mortais
Título Original: A
Série: Maggie O' Dell
Autor: Alex Kava
Editora: Harlequin Books
Páginas: 400
Ano: 2006
Saiba Mais: Skoob
Comprar: Travessa

Sinopse: Uma confissão no corredor da morte. Um padre atormentado por um segredo macabro. Crimes que continuam acontecendo mesmo após a execução do culpado. Um xerife de cidade pequena cara a cara com a investigação mais importante da sua carreira. Uma agente do FBI aterrorizada pelas memórias do caso mais terrível de sua vida. Conspirações que mantêm o verdadeiro assassino em liberdade. Em Pecados Mortais, Alex Kava cria um enredo de suspense com viradas surpreendentes



A Trama: A história segue a agente Maggie O’dell e o Xerife Nick Morelli à caça de um serial Killer de garotinhos. A trama se passa, em sua maior parte, na pequena cidade de Platte City, onde acontecem os assassinatos. Apesar de tipicamente comum, a história é envolvente e prende a atenção do leitor, embora  mistério principal é um pouco decepcionante e previsível. A tensão sexual de alguns personagens também me parecia um pouco exagerada, mas quando eu começava a notar isso a autora mudava o foco do livro. O livro é narrado em primeira pessoa por vários personagens, mas principalmente por Maggie e Nick, e em segundo plano pelo assassino. O realismo dado pela autora ao usar uma cidade real, com detalhamento populacional e geográfico deixou a trama mais autêntica.

Os Personagens: Maggie é forte, decidida, ácida e até irritante, mas também tem um lado frágil. É muito inteligente e batalhadora, um tanto obcecada pelo trabalho, e alheia aos próprios problemas e traumas. Nick é estereotipado - o cowboy super atraente, mulherengo e ligeiramente “distraído”.... conseguiu sua posição por status social, mas que no fundo é  inteligente, sensível e obviamente o homem ideal…. As personagens são superficiais mas têm seu apelo emocional com o leitor - apesar de tudo, Nick é mais cativante que Maggie. Sobre as demais personagens - Christine e o pai de Nick conseguiram despertar minha fúria, a primeira por ser interesseira, insensível e irresponsável e o segundo pelo machismo e egocentrismo. Amei Timmy, me lembrou eu mesma quando era criança - nerd, inusitado e criativo.


Capa, Diagramação e Escrita: A capa é a mesma da edição americana, não sei se já comentei, mas detesto quando deixam o nome do autor maior que o título do livro…mesmo que o autor seja muito famoso, acho que o destaque é o livro, afinal é isso que interessa. A capa é mediana, e eu gosto do alto relevo e coloração prateada das letras. Há poucos erros de diagramação, a escrita da autora é fluida e atrativa.

Concluindo: É um bom mistério policial - parecido com Colecionador de Ossos, onde a caçada ao assassino se mistura á vida, cheia de drama, dos personagens principais. O final não é surpreendente, nem conclusivo, mas estou curiosa pela continuação. A dosagem de todos os aspectos do livro, relação entre os personagens, dramas pessoais, romance, mistério e ação é muito bem feita, e torna o livro um ótimo passatempo.