Resenha - Crueldade

Título: Crueldade
Título Original: The Cruelty
Série: Crueldade
Autor: Scott Bergstrom
Editora: Seguinte
Páginas: 376
Ano: 2017
Saiba Mais: Skoob
Comprar: Amazon \\ Cultura

Sinopse: O mundo de Gwendolyn Bloom vira de cabeça para baixo quando seu pai desaparece durante uma viagem de trabalho. Ela logo descobre que ele não é o homem que, por dezessete anos, achou que fosse — e essa é só a primeira de muitas revelações que Gwendolyn terá pela frente. Sem poder contar com a ajuda de mais ninguém para encontrá-lo, a garota parte em uma jornada tão perigosa quanto alucinante, seguindo os rastros do pai pela Europa. Porém, para se infiltrar — e sobreviver — em um novo mundo cheio de maldade e perversão, ela precisará deixar toda a sua vida para trás, assumir uma nova identidade e se tornar alguém tão cruel quanto seus piores inimigos.

A Trama: Aos dezessete anos de idade, Gwen passa seus dias entediadaO trabalho diplomático de seu pai finalmente os levou de volta a Nova York, e ela agora frequenta uma escola para jovens "financeiramente dotados". Quando sua vida começa a tecer um tom de normalidade, o pai de Gwen viaja a negócios e desaparece misteriosamente em Paris, sozinha e amedrontada ela descobre as mentiras acerca do trabalho de seu progenitor e contra todas as expectativas e bom senso, ela foge do país para procurá-lo.

Os Personagens: Gwendolyn Bloom é realista, sua construção como personagem na verdade...Estava esperando que o autor concretizasse uma personagem "Rambo Girl", mas ela cresce e amadurece de acordo com a trama. Inicialmente Gwen já não apresenta um comportamento muito comum, solitária e mais introvertida que o normal, tem sua personalidade muito afetada pela morte da mãe e a constante mudança que é forçada a se submeter por causa do trabalho de seu pai. Impelida pela situação ela descobre dentre de si uma ousadia e crueldade dormentes que crescem enquanto a protagonista amadurece e submerge ainda mais no mundo obscuro do crime. Apesar de não ser totalmente cativante, Gwen me fez desenvolver uma preocupação fraternal por ela, o que tornava a leitura confortável e emocionante.

Capa, Diagramação e Escrita: A capa é linda, simples em um todo, o que contrastava lindamente com o desenho relativamente rebuscado no brasão principal - e que combinava perfeitamente com o tom bordô. A diagramação é simples e polida e apreciei muito a clareza e composição da trama e da escrita - que formou uma  leitura fluida e deliciosamente curiosa.

Concluindo: Não foi uma surpresa enorme, mas ainda assim foi uma surpresa muito agradável. Eu esperava uma trama mais pobre, com uma má composição e uma personagem superestimada e fantasiosa. O livro é criativo e a escrita é espetacular; Claro que Gwen têm um pouco mais de sorte do que qualquer um nessa mesma situação, mas tudo têm nexo e vertente para explicações plausíveis. O melhor é que o livro têm uma continuação, e estou curiosa para saber se o autor conseguirá manter a qualidade e a minha atenção.

Quotes:
" - É assim que meu pai costuma estar quando volt para casa do trabalho: exausto, moído, depois de um dia lutando heroicamente com memorandos e relatórios"
"- A justiça não é uma coisa abstrata, Gwendolyn. É o que você fez essa noite. Algo feio e cruel."
" - Que azar o meu, ter que ir pra guerra quando tudo que eu quero é fugir com esse garoto lindo e viver de frutas silvestres e amor"
"O cálculo já esta feito: encontrar meu pai é igual ficar perto (...), que é igual a demonstrar lealdade, que é igual a matar esse homofóbico, que é igual á .... "