Resenha - A Garota do Cemitério

Título: A Garota do Cemitério
Título original: Cemetery Girl
Série: Os Impostores
Livro 1 - A Garota do Cemitério
Livro 2 - A Inheritance (2015 US)
Livro 3 - A Haunted (2017 US)
Autor:
Editora: Valentina
Páginas: 128
Ano: 2017 
Saiba Mais: Skoob
Comprar: Amazon // Shoptime

Sinopse: Ela adotou o nome Calexa Rose Dunhill, inspirada numa lápide do sombrio ambiente em que acordou, ferida e apavorada, sem qualquer lembrança de sua identidade, de quem a jogou lá para morrer ou mesmo do porquê. Fez do cemitério o seu lar, vivendo escondida numa cripta. Mas Calexa não pode se esconder dos mortos – e, quando descobre que possui a estranha capacidade de ver as almas se desprenderem de seus corpos... Então, certa noite, Calexa presencia um grupo de jovens praticando uma sinistra magia. Horrorizada, testemunha o ato insano que eles cometem. Quando o espírito da vítima abandona o corpo, ele entra em Calexa, atormentando sua mente com visões e lembranças que parecem não ser dela. Agora, Calexa deve tomar uma decisão: continuar escondida para se proteger – afinal, alguém acredita que ela está morta – ou sair das sombras para trazer justiça ao angustiado espírito que foi até ela em busca de ajuda?

 A Trama: Inicialmente sem nome, uma garota é "desovada" no cemitério em uma noite chuvosa. Apesar da amnésia e do mal estar, ela está viva e consideravelmente bem. Com a intenção de se manter assim, ela resolve se esconder de seu algoz no mesmo cemitério em questão. Quando testemunha um crime grave, ela se sente dividida entre se esconder e fazer justiça. Ok, eu não sei o que esperava exatamente dessa HQ. Estava empolgada (por que sempre fico com qualquer coisa do tipo), mas trama é satisfatória, embora deixe uma sensação incompleta.





Os Personagens: Nesse primeiro livro temos contato real com apenas três personagens: Calexa, Lucinda e Kelner. Já os antagonistas têm evolução e objetivos superficiais e desanimadores, mas considerando que esse livro seria uma transição (apesar de ser o primeiro), isso não se torna exatamente um problema. Enfrentamos angustia e uma certa irritação com o medo e insegurança de Calexa. Já as reações de Lucinda e Kelner são reconfortantes.




Capa, Finalização e Arte: A capa é .....inexpressiva, as cores também não são muito favoráveis, embora o tamanho da edição seja ótimo. As cores da HQ no geral apresentam o clima mórbido e solitário que imagino ser a intenção dos criadores. A edição é de papel Couché Matte, não tenho certeza se gosto muito (aquele impressão de revistas), mesmo sendo comum para as HQs modernas, acho que sou mais tradicionalista. A arte me parece desproporcional, falta simetria, mas de certa forma isso combina com a trama.

Concluindo: Gostei e estou relativamente curiosa com os próximos volumes,
mas  talvez a HQ em si careça de um pouco de personalidade.