Quinta das Capas #97

Crianças

Hoje é Dia das Crianças e nada mais justo do que trazer um Quinta das Capas especial pra essa data. Capas com crianças podem variar das mais fofinhas às mais creepy (quem também tem mais medo de crianças assustadoras em filmes de terror do que de muito monstro por aí levanta a mão! \o/). Selecionei algumas para nós comentarmos hoje, a maioria de livros que já li, vamos conferir!


Começando com um clássico que eu gosto muito, essa edição de Alice é muito fofa! É um pocket de luxo em capa dura e, para mim, tudo nela funciona, deixando a coleção de qualquer leitor mais bonita (além dessa cena que ela ilustra trazer uma das citações mais icônicas do livro). Não podia deixar Harry Potter de lado, e trouxe uma das minhas capas favoritas da série. Tudo ali tem referência a momentos da história e acho incrível como o ilustrador conseguiu trazer tantos elementos da história para a capa sem deixá-la poluída. A capa de Mau Começo mostra perfeitamente a infelicidade que os irmãos Baudelaire estão vivendo no momento, e também ilustra uma das cenas do livro. Eu gosto como as ilustrações da série trazem esse tom mais antigo para as ilustrações, mantendo um tom simples na capa, mas ainda assim dizendo bastante sobre a história. Eu amo a capa de Crenshaw, a escolha de cores foi perfeita e ela também ilustra bem o sentimento passado pelo livro. É uma das capas mais bonitas e fofinhas que eu tenho na estante.



Suzy e as Águas-Vivas também tem uma capa bem fofa, gosto bastante dessa sensação de estar no fundo do mar causada pelas cores e todos os elementos contidos nela refletem bem na história contada, literal e figurativamente. A única coisa que não gosto tanto assim é a fonte do título, mas dá pra passar batido. Sou apaixonada pela capa de Fique Onde Está e Então Corra, como ela mostra a fragilidade da criança no meio de uma guerra, e também transmite a esperança dele (algo que você compreende quando lê o livro). Outra capa perfeita para a história que guarda é a de Passarinha. O livro conta a história de uma menina com síndrome de aperger, e a capa passa um pouco do estado de espírito em que a protagonista se encontra muitas vezes. George não diz muito sobre o conteúdo do livro, mas após você conhecer a história, consegue entender o significado da criança meio escondida. 


Para mim, essa primeira capa de O Orfanato da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares é a mais creepy, com essa foto antiga e o rosto das crianças raspados. Não li o livro ainda, mas já vi dizerem que o livro não é tão assustador quanto dizem, mas as fotos por dentro que eu vi uma vez quando o folheei na livraria com certeza são de dar medo em qualquer um. Também não li ainda Precisamos Falar Sobre o Kevin, mas por saber do que se trata a história, essa primeira capa é a que eu mais gosto, exatamente por retratar uma criança tão creepy. Outra capa mais sombria é a de Não Olhe Para Trás, apesar de eu não gostar nenhum pouco dela. A edição é bem genérica, a fonte do título não ficou bem e o fato de esse ser um dos poucos livros que realmente vão para a minha lista de "odeio eternamente" não ajuda muito. Ainda acho a pose da menina estranha na capa de A Menina Que Tinha Dons (como disse na resenha do livro), mas a capa funciona para a história., não é das minhas favoritas e não tem nada de mais.

Essas foram as capas de hoje! Não deixem de comentar o que acham delas e também me digam outras capas com crianças que vocês gostam (ou não). Até a próxima!