Quinta das Capas #98

Capas de Livros de Horror

Olá, Olá!! Pois é, o Halloween já passou e eu esqueci de postar essa coluna... Mas vocês são muito bonzinhos e irão relevar... Certo?

Li Caixa de Pássaros a pouco tempo, e apesar de achar a capa muito simples inicialmente, depois de ler a considero muito adequada ao livro e ao tipo de suspense que o autor queria empreender. Casas "assombradas" ou com aparência de tal sempre me pareceram assustadoras, e também clichês... Horror na Colina Darrington me dá a impressão de ser interessante a primeira vista, mas depois de estudar um pouco a capa, não parece decepcionante? Tratado Oculto do Horror é o meu tipo de livro! Me lembra filmes de terror B - dos quais sou muito fã. Se o interior de Condado Marcabro combinar com a arte da capa, podemos esperar uma boa leitura de terror, coisas fofas ou infantis retratadas com indiferença e esquecimento quase sempre dão arrepios - e eu nunca gosto de palhaços....

Ok...Em Unremitting Horror os zumbis invadiram a caverna do Gollun... piada sem graça. The Last Outpost tem um acabamento horrível, mas esse tipo de arte vêm sendo muito usada nas personagens de terror de hoje - vômitos sobrenaturais, a "condição" dos mortos, zumbis, possuídos e etc é ostentada com muito suor, veias, colorações em tons de cinza, aspecto pegajoso ou rachado... E isso somado á movimentos animalescos ou inumanos, nos assusta justamente por parecer selvagem, não natural e passível de contaminação - seria um medo advindo de nosso subconsciente, um medo primitivo - que claro causa mais agonia do que medo de fato, pelo menos no meu caso. A capa de Cannibal me chama mais  a atenção pela sensualidade do que pela temática canibalista abordada, haha. Amityville não precisa de muito para dar "frio na espinha", mas essa mistura de sangue e sombra da Darkside se adequa perfeitamente a trama, além de gerar curiosidade e incomodo.

Coraline é uma daquelas histórias criativas e emocionantes que escondem temáticas e abordagens mais macabras do que podemos observar a primeira vista - depois de ler muito Neil Gaiman, posso dizer que suas obras as vezes me lembram Tim Burton. Goodebumps está aqui como uma homenagem a minha infância, eu lia, assistia e sim, me apavorava. Comprei O Menino que Desenhava Monstros há algum tempo e estou ansiosa para ler, amo a capa - ela é simples mas promete alguma coisa! O Vilarejo tem a capa quase decepcionante, se não fosse o mistério gerado pela conjunto da imagem e do título.

Juntei e deixei essas capas por último, pois são de uma mesma série (não de livros, apesar do primeiro e do terceiro realmente serem da mesma série, mas digo quando uma editora lança por ex, "Clássicos de Romance" e lança vários autores com a mesma padronização de capas). A simplicidade e abordagem das capas em si já são um clássico, e em alguns casos realmente me fazem olhar duas vezes, imagino qual foi a reação das pessoas que se depararam com eles, quando foram lançados.