Resenha - Coraline

Resenha feita pela Lary
Título: Coraline
Autor: Neil Gaiman
Editora: Rocco Jovens Leitores
Páginas: 155
Ano: 2003
Saiba Mais: Skoob
Comprar: Walmart // Submarino

Sinopse: Primeiro livro de Neil Gaiman escrito especialmente para o público juvenil, Coraline é um conto de fadas às avessas que reconhece a subestimada e, por vezes esquecida, maturidade da maioria dos jovens leitores. Nele, Gaiman encara pela primeira vez o desafio de escrever fantasias assustadoras para as crianças e vai além dos tradicionais gigantes padronizados, príncipes encantados, frágeis princesas ou dragões, que habitam esse universo, criando uma personagem com a qual as crianças podem facilmente se identificar. Em uma tarde chuvosa, a menina consegue abrir uma porta que sempre estivera trancada na sala de visitas de casa e descobre um caminho para um misterioso apartamento ‘vazio’ no quarto andar do prédio. Para sua surpresa, o apartamento não tem nada de desabitado, e ela fica cara a cara com duas criaturas que afirmam ser seus “outros” pais. Na verdade, aquele parece ser um “outro” mundo mágico atrás da porta. Lá, há brinquedos incríveis e vizinhos que nunca falam seu nome errado. Porém a menina logo percebe que aquele mundo é tão mortal quanto encantador e que terá de usar toda a sua inteligência para derrotar seus adversários.

A Trama: O livro se foca na vida cotidiana de Coraline ao tentar se adaptar a mudança para uma nova cidade e consequentemente uma nova casa - uma pensão e seus estranhos moradores. Depois de alguns dias, ela se depara com um a porta para outro mundo, muito semelhante ao seu, porém muito mais divertido e interessante. A premissa geral de Coraline me fez lembrar muito de Alice no País da Maravilhas, mas com elementos mais macabros.


Personagens: Coraline é uma garota pré adolescente comum até certo ponto - corajosa, determinada, um pouco excêntrica, no íntimo se mostra muito carente e suas vontades durante a trama são na verdade muito simples. Ela acaba se envolvendo  com o "outro mundo" por puro tédio, amadurece rápido e usa muito bem seu maior trunfo - esperteza. Apesar de comum, ela me foi uma personagem cativante - o livro é curto e não há um motivo especial para gostar dela, mas ela simplesmente me marcou.

Meu personagem preferido talvez seja o único que não precisava de grandes detalhes, suas aparições foram perfeitas e não melhores por serem poucas, ele aparentemente não tinha nome, então vou chamá-lo pelo que ele é, um gato.  Temos personagens interessantes, como os moradores da casa - o Palácio Cor de Rosa é dividido em três "moradias", as senhoras Spinx e Forcible moram no porão, são artistas aposentadas em idade avançada e de discernimento precário. No sotão vive o Sr Bobinsky - recluso, adorador de queijos e treinador de camundongos consegue ser mais estranho que as criaturas do "outro mundo".

Os pais de Coraline, e a "Outra mãe" são descritos em duas linhas, uma pena, principalmente no caso dessa última, que tinha um enorme potencial não explorado - e era diga-se de passagem, muito assustadora.

Capa, Diagramação e Escrita: O jogo de sombras na capa, assim como as diferentes texturas é interessante. Gostei muito das ilustrações, não são bonitas, mas são fidedignas á imaginação de Coraline, e um pouco macabras talvez para um livro infanto-juvenil. Quanto a diagramação encontrei poucos erros de revisão, não totalizaram 10, o livro tem encadernação do tipo brochura e o papel usado é aquele do tipo papiro, poroso e com um tom mais amarelado. Apesar de ser uma edição comemorativa, é muito simples. A escrita é fluída e  emocionante.

 
Concluindo
:
A história é muito boa, criativa, um pouco bizarra, se você pensar bem, deliciosa de se ler, mesmo que um pouco infantil. De qualquer foram como um livro infanto-juvenil , ele é muito bom, e um dos meus preferidos no nicho em que se encaixa, tanto quanto ao tema, quanto a  faixa-etária prevista para ele.