Resenha - O Livro das Listas



Título: O Livro das Listas
Autor: Renato Russo
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 220
Ano: 2017
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Saraiva 

Uma chuva de filmes, músicas e livros para você incluir nos seus desejados.

Sinopse: 
Além de artista compulsivo, dotado de uma criatividade sem limites, Renato Russo era também um ávido consumidor de toda forma de arte. Durante sua vida breve e produtiva, entre um palco e outro, estúdios e turnês, o líder da Legião Urbana usou todo seu tempo livre para descobrir novas obras e revisitar as que amava. Discos, livros, filmes, artistas e referências variadas eram rapidamente integradas ao vasto repertório de Renato, que organizava seu pensamento criativo por meio de listas, muitas listas. Feito a partir das anotações do artista, até hoje inéditas ao público, este livro apresenta um panorama de suas grandes influências acompanhadas de informações acerca dos artistas e obras mencionadas. Reveladoras dos temas de interesse que podem ter influenciado as composições de Renato, as listas não apenas serviam para classificar o que ele já conhecia e para indicar o que ele ainda pretendia ler, ouvir, assistir e viver, como também são uma forma de conhecer o processo criativo de um dos grandes nomes da cultura popular brasileira.

A Trama: Se você já leu as outras duas obras de Renato Russo publicadas pela Companhia das Letras, já percebeu que Renato gostava (muito) de fazer listas. E esse livro nada mais é do que a reunião dessas inúmeras listas: de músicas, filmes, livros, artistas, o que fazer...
Cada lista apresentada nos permite entender um pouco melhor como funcionava a cabeça do músico - e também é uma ótima oportunidade para aumentarmos exponencialmente nossa lista particular de filmes para assistir/músicas para ouvir/ livros para ler. 

Capa, Diagramação e EscritaMais uma vez a editora se superou com o trabalho gráfico da obra. A capa é idêntica à de um dos cadernos realmente utilizados por Renato, e o interior é aquela coisa extraordinária de sempre - com diversas imagens e alguns trechos na caligrafia original do autor.
Essa não é uma leitura que irá te prender muito, afinal são listas e não há exatamente uma continuidade entre elas. É uma obra que pode ser lida rapidamente, porém, não aconselho - você vai querer ir buscar as referências citadas em cada uma, e seria uma pena perder essa oportunidade por "pressa". 

ConcluindoConfesso que gostei muito mais das outras duas obras do autor que já foram publicadas - apesar de ter acrescentado vários favoritos de Renato aos meus desejados, não acho que essa leitura me acrescentou muita informação. 
Mas esse é, literalmente, um livro feito para agradar aos fãs - e esse objetivo ele atinge com maestria.

PS: Para quem ficou sabendo, desde o ano passado há uma exposição sobre Renato Russo no MIS (Museu da Imagem e do Som de São Paulo), e essa exposição foi prorrogada até dia 18/02/2018. Se você ainda não foi e tiver a possibilidade de ir, aproveite. O ingresso comprado na hora é R$ 12,00 e vale cada centavo - eu provavelmente pagaria mais do que isso sem sequer questionar, é uma experiência mágica. 
Na exposição há itens originais do músico, figurinos de shows, textos, e duas oportunidades únicas: a de assistir ao show realizado em 1994, no Metropolian do Rio de Janeiro e a de ver um clipe de Tempo Perdido produzido por fãs, com câmera 360º.