Resenha - O Dueto Sombrio

Não há spoilers nessa resenha, exceto em trama.

Título: O Dueto Sombrio
Título Original: Our Dark Duet
Série: Monstros da Violência
1 - A Melodia Feroz
2 - O Dueto Sombrio
Autora: Victoria Schwab
Editora: Seguinte
Páginas: 448
Saiba mais: Skoob
Comprar: Shoptime // Americanas

Não sei definir..

Sinopse: Na sequência final de A Melodia Feroz, Kate Harker precisa voltar para Veracidade e se unir ao sunai August Flynn para enfrentar um ser que se alimenta do caos. Kate Harker não tem medo do escuro. Ela é uma caçadora de monstros — e muito boa nisso. August Flynn é um monstro que tinha medo de nunca se tornar humano, mas agora sabe que não pode escapar do seu destino. Como um sunai, ele tem uma missão — e vai cumprir seu papel, não importam as consequências. Quase seis meses depois de Kate e August se conhecerem, a guerra entre monstros e humanos continua — e os monstros estão ganhando. Em Veracidade, August transformou-se no líder que nunca quis ser; em Prosperidade, Kate se tornou uma assassina de monstros implacável. Quando uma nova criatura surge — uma que força suas vítimas a cometer atos violentos —, Kate precisa voltar para sua antiga casa, e lá encontra um cenário pior do que esperava. Agora, ela vai ter de encarar um monstro que acreditava estar morto, um garoto que costumava conhecer muito bem, e o demônio que vive dentro de si mesma.

A Trama: August agora tem um alto posto de comando na FTF, além de destruir os monstros remanescentes, agora sob "nova direção", ele passa seus dias a resgatar e selecionar os sobreviventes no lado norte da Cidade V. Kate agora em Prosperidade se junta a um inocente e inexperiente grupo de vigilantes para tentar diminuir a ascensão de anomalias que a população começa a criar. Em uma de suas caçadas Kate encontra um sinistro e desconhecido monstro, que incitado (de certa forma) por ela, se encaminha para Veracidade. Se sentindo responsável Kate volta para sua cidade Natal a fim de terminar o que começou e destruir " O Devorador de Caos".

Resenha - Gigantes Adormecidos

Título: Gigantes Adormecidos
Título Original: Sleeping Giants
Série: Arquivos Têmis
1 - Gigantes Adormecidos (2016)
Autor: Sylvain Neuvel
Editora: Suma de Letras
Páginas: 328
Ano: 2016
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Submarino // Saraiva 

Sinopse: 
Rose passeia de bicicleta pelo bosque perto de casa, quando de repente é engolida por uma cratera no chão. A cena intriga os bombeiros que chegam ao local para resgatá-la: uma menina de onze anos caída na palma de uma gigantesca mão de ferro. Dezessete anos depois, Rose é ph.D em física e a nova responsável por estudar o artefato que encontrou ainda criança. O objeto permanece um mistério, assim como os painéis que cercavam a câmara onde foi deixado. A datação por carbono desafia todas as convenções da ciência e da antropologia, e qualquer teoria razoável é rapidamente descartada. Quando outras partes do enorme corpo começam a surgir em diversos lugares do mundo, a dra. Rose Franklin reúne uma equipe para recuperá-las e montar o que parece ser um robô alienígena gigante quase tão antigo quanto a raça humana. Mas, uma vez montado o quebra-cabeças, ele se transformará em um instrumento para promover a paz ou causar destruição em massa? Parte ficção científica, parte thriller, Gigantes adormecidos é uma história viciante sobre a disputa pelo controle de um poder capaz de engolir todos nós.

A Trama: Tudo gira em torno da cientista Rose que, quando criança, cai em uma cratera que abriga uma mão gigante de um metal extremamente raro na natureza. Anos depois, ela passa a dedicar seu trabalho para uma empresa privada que pretende descobrir de onde veio essa mão e encontrar as outras partes que irão montar um gigante com a tecnologia mais avançada já vista no planeta. Acreditando se tratar de uma antiga mensagem deixada por seres superiores, Rose e sua equipe irão tentar resolver o quebra-cabeça enquanto tentam lidar com as próprias diferenças de opinião na equipe e sobre o que significa ser humano. Um livro que trata dos limites éticos da guerra e de até onde o ser humano pode ir para descobrir os grandes mistérios do universo.

Resenha - Pensei que fosse Verdade

Resenha feita pela Lary

Título: Pensei que Fosse Verdade
Título Original: What I Thought Was True
Autor: Huntley Fitzpatrick
Editora: Valentina
Páginas: 336
Ano: 2016
Saiba Mais: Skoob
Comprar: Amazon // Submarino

Sinopse: Um passado a ser esquecido. Um presente nada promissor. Um futuro a ser conquistado "O PARAÍSO À BEIRA-MAR." "O SEGREDO MAIS BEM GUARDADO DA NOVA INGLATERRA." A ilha de Seashell, onde passei minha vida inteira, é tudo isso e muito mais. No entanto, a única coisa que eu quero é ir embora daqui. Gwen Castle nunca quis tanto dizer adeus à sua ilha natal quanto agora: o verão em que o Maior Erro da Sua Vida, Cassidy Somers, aceita um emprego lá como faz-tudo. Ele é um garoto rico da cidade grande, e ela é filha de uma faxineira que trabalha para os veranistas da ilha. Gwen tem medo de que esse também venha a ser o seu destino, mas, justamente quando parece que ela nunca vai conseguir escapar do que aconteceu – ou da ilha –, o passado explode no presente, redefinindo os limites de sua vida. Emoções correm soltas e histórias secretas se desenrolam, enquanto Gwen passa um lindo e agitado verão lutando para conciliar o que pensou que fosse verdade – sobre o lugar onde vive, as pessoas que ama, e até ela mesma – com o que de fato é.

A Trama: Seashel é divina, um paraíso a beira-mar muito popular no verão, e embora pareça idílico para os visitantes, para alguns habitantes como Gwen é quase uma prisão. Ela espera ansiosamente que seu último verão na ilha acabe logo e que ela possa procurar seu futuro longe dali. Infelizmente essa temporada não será como as outras, Cass - com quem Gwen divide um passado começa a trabalhar na ilha e seus caminhos começam a se cruzar constantemente. Além disso ela precisa lidar com a falta crescente de dinheiro da família, com as crescentes duvidas acerca o seu futuro e o de seu irmão, trabalhar, enfrentar todo o peso de seu passado e as mudanças de comportamento dos próximo como seu primo e sua melhor amiga, assim como a percepção da população de uma comunidade pequena.

Resenha - Belas Adormecidas

Resenha feita pela Lary
Título: Belas Adormecidas
Título Original: Sleaping Beauties
Autor: Stephen King, Owen King
Editora: Suma de Letras (Cia das Letras)
Páginas: 728
Ano: 2017
Saiba Mais: Skoob
Comprar: Americanas // Submarino

Me segura que minhas pernas ainda estão bambas! 

Sinopse: Pelo mundo todo, algo de estranho começa a acontecer quando as mulheres adormecem: elas são imediatamente envoltas em casulos. Se despertadas, se o casulo é rasgado e os corpos expostos, as mulheres se tornam bestiais, reagindo com fúria cega antes de voltar a dormir. Em poucos dias, quase cem por cento da população mundial feminina pegou no sono. Sozinhos e desesperados, os homens se dividem entre os que fariam de tudo para proteger as mulheres adormecidas e aqueles que querem aproveitar a crise para instaurar o caos. Grupos de homens formam as “Brigadas do Maçarico”, incendeiam em massa casulos, e em diversas partes do mundo guerras parecem prestes a eclodir. Mas na pequena cidade de Dooling as autoridades locais precisam lidar com o único caso de imunidade à doença do sono: Evie Black, uma mulher misteriosa com poderes inexplicáveis. Escrito por Stephen King e Owen King, Belas Adormecidas é um livro provocativo, dramático e corajoso, que aborda temas cada vez mais urgentes e relevantes.

A Trama: Uma estranha epidemia se alastra pelo mundo, todas as mulheres sem exceção entram em coma logo após cair no sono, de forma tranquila uma fina seda produzida pelas mesmas as envolvem e protegem seu sono. Ao tentar abrir os casulos de forma forçada, suas ocupantes reagem atacando o "agressor" furiosamente para depois retornar ao sono profundo. Desesperada a população masculina se vê  sozinha e perdida diante da situação. Inicialmente muitas mulheres ainda se mantém de pé, mas ao longo da trajetória do livro todas acabam adormecendo... Exceto por Evie, inesperadamente ela consegue dormir e acordar sem nenhum problema, além de ter algumas outras... peculiaridades. A trama então se centra em Dooling, onde Evie reside e nas várias vertentes comportamentais masculinas decorrentes da epidemia.

Resenha - Geekerela


Título: Geekerela
Título Original: Geekerella
Autora: Asheley Poston
Editora: Intrínseca
Páginas: 384
Ano: 2017
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Submarino // Saraiva 

Sinopse: 
Quando Elle Wittimer, nerd de carteirinha, descobre que sua série favorita vai ganhar uma refilmagem hollywoodiana, ela fica dividida. Antes de seu pai morrer, ele transmitiu à filha sua paixão pelo clássico de ficção científica, e agora ela não quer que suas lembranças sejam arruinadas por astros pop e fãs que nunca tinham ouvido falar da série. Mas a produção do filme anunciou um concurso de cosplay numa famosa convenção valendo um convite para um baile com o ator principal, e Elle não consegue resistir. Na Abóbora Mágica, o food truck vegano onde trabalha, ela encontra a ajuda de uma amiga cheia de talentos para moda que vai criar o traje perfeito para a ocasião. Afinal, o concurso é a chance de Elle se livrar das tarefas domésticas impostas pela terrível madrasta e das irmãs postiças malvadas. Já Darien Freeman, o astro adolescente escalado para ser o protagonista do filme, não está nada ansioso para o evento, embora o papel seja seu grande sonho. Visto como só mais um rostinho bonito, o próprio Darien também está começando a achar que se tornou uma farsa. Até que, no baile, ele conhece uma menina que vai provar o contrário. Esta releitura de Cinderela transporta para o universo nerd os principais elementos do clássico conto de fadas, fazendo uma verdadeira homenagem a todos aqueles que sabem o que é ser fã e se dedicar de coração àquilo que amam.

A TramaVou começar com a única parte que realmente não achei brilhante: é bem previsível. Principalmente por ser um retelling, a autora manteve todos os elementos que conhecemos da história clássica da Cinderella e, por isso, é fácil dizer para onde o livro vai te levar. Mas como já diz aquela velha história: o que importa não é o final, é o caminho! E, senhor, essa história foi sim uma grande aventura!
Gostei muito de que a autora criou todo um mundo particular que venera essa série de batalha no espaço, Starfield, e que ela conseguiu balancear toda essa magia intergaláctica com a magia de um clássico que a gente já conhece desde criança. As partes mais modernas da história foram o grande brilho da narrativa e o que me fez gostar tanto da leitura.