Resenha - O Dueto Sombrio

Não há spoilers nessa resenha, exceto em trama.

Título: O Dueto Sombrio
Título Original: Our Dark Duet
Série: Monstros da Violência
1 - A Melodia Feroz
2 - O Dueto Sombrio
Autora: Victoria Schwab
Editora: Seguinte
Páginas: 448
Saiba mais: Skoob
Comprar: Shoptime // Americanas

Não sei definir..

Sinopse: Na sequência final de A Melodia Feroz, Kate Harker precisa voltar para Veracidade e se unir ao sunai August Flynn para enfrentar um ser que se alimenta do caos. Kate Harker não tem medo do escuro. Ela é uma caçadora de monstros — e muito boa nisso. August Flynn é um monstro que tinha medo de nunca se tornar humano, mas agora sabe que não pode escapar do seu destino. Como um sunai, ele tem uma missão — e vai cumprir seu papel, não importam as consequências. Quase seis meses depois de Kate e August se conhecerem, a guerra entre monstros e humanos continua — e os monstros estão ganhando. Em Veracidade, August transformou-se no líder que nunca quis ser; em Prosperidade, Kate se tornou uma assassina de monstros implacável. Quando uma nova criatura surge — uma que força suas vítimas a cometer atos violentos —, Kate precisa voltar para sua antiga casa, e lá encontra um cenário pior do que esperava. Agora, ela vai ter de encarar um monstro que acreditava estar morto, um garoto que costumava conhecer muito bem, e o demônio que vive dentro de si mesma.

A Trama: August agora tem um alto posto de comando na FTF, além de destruir os monstros remanescentes, agora sob "nova direção", ele passa seus dias a resgatar e selecionar os sobreviventes no lado norte da Cidade V. Kate agora em Prosperidade se junta a um inocente e inexperiente grupo de vigilantes para tentar diminuir a ascensão de anomalias que a população começa a criar. Em uma de suas caçadas Kate encontra um sinistro e desconhecido monstro, que incitado (de certa forma) por ela, se encaminha para Veracidade. Se sentindo responsável Kate volta para sua cidade Natal a fim de terminar o que começou e destruir " O Devorador de Caos".


Personagens: Kate continua formidável - tempestuosa, confusa, corajosa, insegura, espontânea - ou seja me deixando louca. August muda drasticamente seu comportamento, aparentando uma maior segurança mas também um amargor cego e insistente. Em vários momentos ele deixa escapar uma insegurança e gentileza tão características de seu personagem, mas tão logo ele libera esses sentimentos, com a mesma rapidez ele sepulta tudo dentro de si. As personagens secundárias continuam divertidas e interessantes, mas senti um pouco a perda motivacional de alguns personagens, talvez por que o enfoque da autora dessa vez se abriu para outras vertentes, como os novos vilões por ex. - que conseguiram me passar sentimento, mas não profundidade.

Capa, Diagramação e Escrita: A capa é bem padronizada, parecida com a do primeiro volume e praticamente idêntica a vers
ão americana. A diagramação é simples, prática e o tamanho da fonte é perfeito; A escrita de Victoria continua dinâmica e empolgante.
 
Concluindo
N
ão sei muito bem como definir o que senti no final da leitura. O livro e a
trama em si me geram muitas emoções conflitantes - amo a construção da trama e das personagens, a abordagem do inicio e das consequências da violência são muito inteligentes e reais, além de estar presente em diversos momentos da trama, de forma sutil ou não, em pequenos detalhes ou em grandes atos. O comportamento das personagens e como se relacionam e se comportam perante a todo esse caos, é fascinante - toda a criação do "organismo" de Monstros da Violência é. O livro é hipnotizante e devorei os dois em pouco tempo, mas apesar de delicioso acho que O dueto Sombrio me foi indigesto, embora claro, isso não tire o mérito de uma obra-prima.