Resenha - A Caçadora de Dragões

Título: A Caçadora de Dragões
Título Original: The Last Namsara
Série: Iskari
1 - A Caçadora de Dragões
2 - The Caged Queen (2018 US)
3 -  Untiltled (2019 US)
Autora: Kristen Ciccarelli
Editora: Seguinte
Ano: 2018
Páginas: 398
Saiba mais: Skoob
Comprar: Submarino // Americanas

Amei!!

Sinopse: Primeiro volume de uma trilogia fantástica, em que dragões e humanos estão em guerra — e cabe a uma garota matar todos eles. Quando era criança, Asha, a filha do rei de Firgaard, era atormentada por sucessivos pesadelos. Para ajudá-la, a única solução que sua mãe encontrou foi lhe contar histórias antigas, que muitos temiam ser capazes de atrair dragões, os maiores inimigos do reino. Envolvida pelos contos, a pequena Asha acabou despertando Kozu, o mais feroz de todos os dragões, que queimou a cidade e matou milhares de pessoas — um peso que a garota ainda carrega nas costas. Agora, aos dezessete anos, ela se tornou uma caçadora de dragões temida por todos. Quando recebe de seu pai a missão de matar Kozu, Asha vê uma oportunidade de se redimir frente a seu povo. Mas a garota não vai conseguir concluir a tarefa sem antes descobrir a verdade sobre si mesma — e perceber que mesmo as pessoas destinadas à maldade podem mudar o próprio destino.


A Trama: Asha é a temida princesa de Firgaard, amaldiçoada ainda pequena ela é conhecida por causar uma das maiores catástrofes do reino, quando Kozu o primeiro dragão destruiu a cidade levando parte de sua população e deixando  a princesa a beira da morte. Tendo sobrevivido a ira do povo e ao fogo de dragão Asha já adulta leva o título de Iskari, caçando os dragões remanescentes da grande guerra, buscando o perdão de seu povo e sua própria vingança. A fim de manter a paz no reino, o Rei ordena o casamento da princesa com o herói do povo, Jarek - mas dá a Asha uma última chance de liberdade; Matar Kozu.

Personagens: Asha é incrível - de caráter bem formado, ela vive uma batalha diária para manter a constância de sua personalidade, apesar da dualidade interna, ela é bem resignada ao que presume ser o seu "destino", por consequência disso, o que ela deixa aflorar de seu interior é o que ela julga ser o esperado dela. Asha ainda lida com as coisas de forma bem analítica, estudando suas opções (mesmo as de cunho sentimental) de forma rápida, prática e decidida. Gostei muito da construção das personagens no geral, o autora me passou muita sinceridade - eles não são necessariamente realistas, mas são palpáveis, (talvez isso seja devido a minha imersão na história, de qualquer forma tornou a experiência literária mais profunda e divertida). Sempre é difícil comentar sobre os demais personagens sem revelar muito sobre o enredo, ( mas eu tenho um "tic" nervoso se eu não comentar nada, hahah ). Dax me impressionou pela fragilidade descabida a um herdeiro do trono, principalmente em um reino em que a "ferocidade" é tão valorizada, mas o que mais o destacou foi as formas que ele achou para lidar com isso, tornando a sua realidade, a dos demais. Ainda não sei o que pensar de Roa, decide que quero gostar dela. Safire talvez poderia ser uma personagem mais elaborada, alvo de diversos preconceitos sua temática no livro é importante mas por ser um pouco "batida" poderia ter uma abordagem diferente. Torwin - o escravo é desafiador e afiado, é muito divertido acompanhar seu desenvolvimento com Asha, já que os dois parecem estar em lados opostos de uma balança muito insegura, e se recusam a cair. Jarek é insuportável, juro que eu queria cortar os ..... dele jogar o livro na parede.

Capa, Diagramação e Escrita: A capa é simples, mas bonita - exprime o que eu imagino ser traços de "mitologia Draksor" (confuso, eu sei - mas na minha concepção seria a caracterização dos tecidos, brasões e texturas do reino de Firgaard). A diagramação é simples, mas me apaixonei pelas "Histórias Antigas" narradas por Asha entre os capítulos. A escrita de Kristen é muito sedutora, intensa -  é exatamente essa condução que encanta o leitor de A Caçadora de Dragões.

 
Concluindo
:
Gostei muito de ler Caçadora de Dragões, depois de mais de um ano, foi o livro que alavancou minhas leituras novamente  (eu n
ão estava exatamente em uma ressaca literária, mas meu rendimento em cada livro estava muito lento). O começo da saga Iskari, tem um certo nível de criatividade, é divertido, inteligente e muito bem construido, espero ansiosamente pela continuação.