Indicações de Leitura #4 - Setembro Amarelo

Leia a introdução sobre o Setembro Amarelo no blog!

Setembro Amarelo não é apenas sobre suicídio, é sobre saúde mental e o quanto falar sobre esse assunto é importante. Pensando nisso, pedimos a colaboração de alguns blogs e editoras - que tornaram o nosso mês ainda mais especial ao nos ajudarem com esse projeto.
Os livros indicados hoje foram sugeridos pelo fofíssimo Grupo Editorial Novo Conceito.

A Playlist de Hayden - Michelle Falkoff
Depois da morte de seu amigo, Sam parece um fantasma vagando pelos corredores da escola, o que não é muito diferente de antes. Ele sabe que tem que aceitar o que Hayden fez, mas se culpa pelo que aconteceu e não consegue mudar o que sente. Enquanto ouve música por música da lista deixada por Hayden, Sam tenta descobrir o que exatamente aconteceu naquela noite. E, quanto mais ele ouve e reflete sobre o passado, mais segredos descobre sobre seu amigo e sobre a vida que ele levava. A PLAYLIST DE HAYDEN é uma história inquietante sobre perda, raiva, superação e bullying. Acima de tudo, sobre encontrar esperança quando essa parte parece ser a mais difícil.
Um garoto se afoga, desesperado e sozinho em seus momentos finais. E morre. Então ele acorda. Nu, ferido e com muita sede, mas vivo. Como pode ser? Que lugar é este, tão estranho e deserto? Enquanto se esforça para compreender a lógica de seu pior pesadelo, o garoto ousa ter esperança. Poderia isto não ser o fim? Poderia haver mais desta vida, ou quem sabe da outra vida?




Lia está doente e sua obsessão pela magreza a deixa cada vez mais confusa entre a realidade e a mentira. Mas ela perde totalmente o controle quando recebe a notícia de que sua melhor amiga, Cassie, morreu sozinha em um quarto de motel. E o pior: Cassie ligou para Lia 33 vezes antes de morrer.
O que começou como uma aposta entre duas amigas para ver quem ficaria mais magra tornou-se o maior pesadelo de duas adolescentes reféns de seus próprios corpos. 
Ao negar seu problema, Lia impõe a si mesma um regime cruel em que contar calorias não é o bastante. Ao omitir seu desespero, apela ao autoflagelo numa tentativa premeditada de aliviar seus tormentos. Seus pais e sua madrasta tentam ajudá-la a qualquer custo, mas nem mesmo sua doce irmã, Emma, consegue fazer com que Lia pare de se destruir.
Agora, Lia precisa encontrar um modo de lidar com todos os seus fantasmas, e a morte de Cassie é um deles.
Esse livro foi resenhado aqui no Fome há bastante tempo, em 2011, e você pode conferir a resenha aqui.

Amizade entre garotas pode ser intensa e, no caso de Mia e Lorrie Ann, não há dúvidas de que isso é verdade.
À medida que crescem, a vida de Mia e Lorrie Ann é preenchida com praia, diversão e passeios ao shopping.
Por outro lado, como toda amizade, há conflitos e dores. 
Mia e Lorrie Ann convivem há muito tempo e possuem personalidades opostas. Mia é a bad girl , vivendo em uma família problemática. Lorrie Ann é linda e amável, quase angelical, e tem uma família que parece ter sido arrancada de um conto de fadas. 
Mas, quando uma tragédia acontece, a vida perfeita sai fora de controle...

Eu nasci no Brasil e vivi em uma caverna até os meus cinco anos de idade. Mais tarde, minha mãe e eu nos mudamos para uma das inúmeras favelas da cidade de São Paulo. Aprendi desde cedo a não confiar na polícia e nem em outros adultos. Fui obrigada a cuidar de mim mesma e do meu irmãozinho antes de, finalmente, irmos parar em um orfanato. Um ano depois, quando eu tinha oito anos de idade, fui adotada por uma família sueca de Vindeln, em Västerbotten. 



Nick suportou o bullying de várias maneiras por ser “diferente”. Entretanto, ele aprendeu que não se deve entrar no jogo de um bully — e nem você deve ser um. Em Fique Forte, Nick mostra algumas estratégias para criar “um sistema de defesa”, que permitirá enfrentar os bullies e o motivará a desenvolver sua autoconfiança. AFINAL, NENHUM BULLY PODE DEFINIR QUEM VOCÊ É.





Setembro Amarelo: Se você está passando por situações como as relatadas acima ou conhece alguém que esteja passando por elas, é importante alertamos que as obras acima podem contes gatilhos. 
Não deixe de procurar e aceitar ajuda, especialmente a profissional. Não deixe de estar presente caso conheça alguém que possa estar passando por isso, é importante que esteja lá por essa pessoa - incentivando-a a conversar e a buscar apoio. Falar sempre é a melhor solução. 
Caso precise de ajuda imediata, entre em contato com o CVV (Centro de Valorização da Vida) por telefone, através do número 188 - válido em todo o território nacional -, ou pelo site www.cvv.org.br