Resenha - Céu Sem Estrelas

Título: Céu Sem Estrelas
Livro Único.
Autor: Iris Figueiredo
Editora: Seguinte
Páginas: 360
Ano: 2018 
Saiba Mais: Skoob
Comprar: Amazon // Saraiva // Submarino

Leia a introdução sobre o Setembro Amarelo no blog!

Sinopse: Um romance sensível e envolvente sobre autoestima, família e saúde mental.
Cecília acabou de completar dezoito anos, mas sua vida está longe de entrar nos trilhos. Depois de perder seu primeiro emprego e de ter uma briga terrível com a mãe, a garota decide passar uns tempos na casa da melhor amiga, Iasmin. Lá, se aproxima de Bernardo, o irmão mais velho de Iasmin, e logo os dois começam um relacionamento.
Apesar de estar encantado por Cecília, Bernardo esconde seus próprios traumas e ressentimentos, e terá de descobrir se finalmente está pronto para se comprometer. Cecília, por sua vez, precisará lidar com uma série de inseguranças em relação ao corpo — e com a instabilidade de sua própria mente.

A Trama: No dia do seu aniversário de 18 anos, Cecília acaba sendo demitida do emprego e isso a deixa sem rumo e sem coragem de contar para a mãe mais um "fracasso" em sua vida. Isso acaba gerando um grande desentendimento depois, fazendo com que ela saia de casa e vá morar com a melhor amiga e a família dela, em especial o irmão, Bernardo, por quem Cecília sempre teve uma paixão secreta. O livro aborda vários temas que rondam a vida da protagonista e pessoas ao redor dela, como a baixa auto-estima, gordofobia, problemas familiares, saúde mental, relacionamento abusivo e por aí vai. É um daqueles livros que você consegue sentir em cada palavra que a autora sabe do que está falando, seja por pesquisa aprofundada ou experiência própria, e isso trás uma atmosfera bem real para a história. Além desse ter sido um dos poucos livros que realmente conseguiu me prender nos últimos tempos, com vontade de ler sem parar para descobrir qual seria o desfecho de tudo. A única coisa que não funcionou muito bem para mim foi o romance, mais especificamente o começo dele, que pareceu muito apressado, mas aos poucos fui gostando mais do casal.

Os Personagens: Foi difícil me adaptar a Cecília por todos as questões que passam por sua cabeça, e até me irritava um pouco quando ela não conseguia tomar uma decisão que parecia bem óbvia. Mas é claro que eu tive que me lembrar de exercer toda a minha empatia. Cecília passa por problemas que eu nunca passei, e obviamente suas decisões e dilemas serão bem diferentes dos meus, fazendo-a encontrar empecilhos que eu não conseguia ver. Sua saúde mental é algo que vai sendo trabalhado ao longo da história, e achei bem real a forma como a autora dispôs isso na narrativa. Iasmin, melhor amiga da protagonista, é a personalidade extrovertida para complementar a introvertida de Cecília. Gostei bastante dela e estou na expectativa da autora lançar um livro sob sua perspectiva para resolver um problema aí. Bernardo me surpreendeu por sua personalidade, mas isso não o impediu de fazer algumas burradas, demonstrando como um mal entendido poderia desmoronar a fina barreira emocional de Cecília. Num geral, todos os personagens são relacionáveis de alguma forma, diversos e possuem personalidade própria.

Capa, Diagramação e Escrita: A capa é muito bonita e representa um momento bem impactante da história, o fusca azul na contra-capa também marcando presença (tipo um personagem não-literal bem importante pro relacionamento de Cecília e Bernardo). A diagramação é simples, mas confortável para leitura. A maior parte do livro é narrado sob o ponto de vista de Cecília, mas temos algumas passagens narradas por Bernardo, e a autora fez um bom trabalho em diferenciar a voz dos dois. A escrita é fluida e leve, mesmo se tratando de um tema pesado, e isso impele o leitor a querer cada vez mais descobrir o desfecho daquilo tudo. Fiquei com vontade de ler mais coisas da Íris (principalmente aquele livro da Iasmin que espero muito que aconteça!).

Concluindo:
 Céu Sem Estrelas é um livro impactante, que deve ser lido pelo máximo de pessoas possível. Apesar dos temas pesados, o livro consegue trazer doses de romance e felicidade, em que torcemos para os personagens ficarem juntos e para a protagonista ficar bem. Vale muito a pena a leitura.

Setembro Amarelo (pode conter spoilers, mas também serve como aviso de gatilho caso você seja muito sensível ao tópico): Ao longo da história, vamos descobrindo que Cecília sofre de Transtorno de Personalidade Borderline, o que causa humor, comportamento e relacionamentos instáveis. Por esse e todos os outros problemas (baixa auto-estima, preconceito por ser gorda, sua personalidade introvertida) ela passa por um estágio muito difícil da leitura (e, obviamente, da sua vida) de auto-mutilação e pensamentos suicidas (além de uma possível tentativa de suicídio em um período em que ela desaparece). Algo positivo da leitura é a autora ter feito Cecília aceitar procurar a ajuda necessária, servindo de incentivo para leitores que possam estar passando pelos mesmos problemas e encontram dificuldades em saber o que fazer. Nas notas da autora, Íris fala sobre o assunto e passa meios de se procurar ajuda imediata ou apenas conversar com alguém que possa te ajudar (pelo número do CVV - ligue 188 - e também pelo site - www.cvv.org.br).

Se você passa por problemas parecidos com os de Cecília, não deixe de procurar ajuda, especialmente a profissional. E se você conhece alguém que possa estar passando por isso, é importante que você esteja lá por ela, incentivando-a a conversar sobre isso e a buscar ajuda.