Resenha - O Último Adeus

Título: O Último Adeus
Título Original: The Last Time We Say Goodbye
Autor: Cynthia Hand
Editora: Darkside Books
Páginas: 352
Ano: 2016
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Submarino // Saraiva 

Leia a introdução sobre o Setembro Amarelo no blog!

Sinopse: 
O Último Adeus é narrado em primeira pessoa por Lex, uma garota de 18 anos que começa a escrever um diário a pedido do seu terapeuta, como forma de conseguir expressar seus sentimentos retraídos. Há apenas sete semanas, Tyler, seu irmão mais novo, cometeu suicídio, e ela não consegue mais se lembrar de como é se sentir feliz. O divórcio dos seus pais, as provas para entrar na universidade, os gastos com seu carro velho. Ter que lidar com a rotina mergulhada numa apatia profunda é um desafio diário que ela não tem como evitar. E no meio desse vazio, Lex e sua mãe começam a sentir a presença do irmão. Fantasma, loucura ou apenas a saudade falando alto? Eis uma das grandes questões desse livro apaixonante. O Último Adeus é sobre o que vem depois da morte, quando todo mundo parece estar seguindo adiante com sua própria vida, menos você. Lex busca uma forma de lidar com seus sentimentos e tem apenas nós, leitores, como amigos e confidentes.

A Trama: Alexis é uma jovem de 18 anos cujo irmão mais novo, Tyler, cometeu suicídio 2 meses antes do início da narrativa, deixando para trás apenas um post-it como última lembrança: "Desculpa, mãe, mas eu estava muito vazio". A menina se culpa por não ter visto os sinais mais cedo e tenta viver com a saudade do irmão, enquanto lida com um pai afastado, um ex-namorado, melhores amigas se afastando e uma mãe que perde cada vez mais a noção da realidade. O livro começa com Lex fazendo terapia e iniciando um diário, no qual tenta anotar todas as primeiras e últimas vezes que se lembra, como uma forma de lidar com a perda e seus sentimentos. Acompanhamos toda a jornada de Lex enquanto ela tenta lidar com o momento depois de que o impensável, de fato, aconteceu.

Os Personagens: Vou começar dizendo que a Lex é incrível. Em primeiro lugar, ela é uma personagem que cresce muito na trama toda. O foco é sempre nela, sendo narrado em primeira pessoa, e em toda a confusão mental que ela passa ao ter que lidar com o que o irmão fez. A situação é extremamente delicada e a autora construiu a Lex com uma forma de pensar muito particular: ela é do campo de exatas e todo o seu raciocínio se dá por meio de números e suposições lógicas. Por isso, é muito interessante acompanhar o pensamento dela durante a narrativa, enquanto ela tem que lidar com o emocional vs. o racional, que lhe acompanhou a vida inteira. Seu irmão, Tyler, também é um personagem presente, principalmente durante as lembranças de primeiras e últimas vezes narradas no diário de Lex. Foi muito importante a autora dar voz para Tyler, principalmente para poder entender quem é a própria Lex e como Tyler será um presença eterna na vida de todos.

Capa, Diagramação e Escrita: Fãs da Darkside já sabem que as edições  deles costumam ser muito bem elaboradas, mas para esse livro em especial, eu gostaria de chamar atenção aos detalhes e cuidados que a editora teve. Toda a capa é feita de post-its e, na contra capa, temos o bilhete do Tyler. Na lateral, tem a caneta deixada para trás e todo o livro é escrito em azul - não qualquer azul, mas aquele tom de caneta BIC. Achei incrível que eles usaram a temática do post-it para desenvolver todo o projeto editorial. Além disso, no começo do livro há um emaranhado de linhas com a caneta que vai se dissipando e se simplificando ao longo dos capítulos, que acompanha também o desenvolvimento da personagem principal. Tem como não amar?


Concluindo: Só de falar desse livro por aqui já me dá vontade de abrir e começar a ler de volta. Acho que ele tem uma temática muito importante e achei que a autora conseguiu transmitir vários sentimentos, sejam eles de luto, saudade ou mesmo do processo de seguir em frente, de uma forma muito sensível. Outros tópicos como estruturas familiares e o amor entre irmãos também intensificam toda a narrativa. Lembrando que esse livro tem gatilhos, eu recomendo muito ele se você gosta de narrativas com a temática do Setembro Amarelo e que ele fique sempre como uma forma de conforto no coração de quem ler.


Setembro Amarelo (pode conter spoilers, mas também serve como aviso de gatilho caso você seja muito sensível ao tópico): O livro trata abertamente sobre suicídio e sobre o impacto que perder uma pessoa próxima pode causar em toda uma estrutura familiar. Ele também trata sobre o processo de recuperação e o quão importante é a ajuda de profissionais, não apenas para quem sofre de depressão, como também para quem perdeu alguém pelos mesmos motivos. Se você se identificou com a história da Lex ou do Tyler, ou então conhece alguém que esteja passando por uma situação parecida, é sempre importante procurar ajuda, principalmente a profissional. Você pode entrar em contato com o CVV (Centro de Valorização da Vida) por telefone, através do número 188 - válido em todo o território nacional -, ou pelo site www.cvv.org.br